Se você está se preparando para sair da casa dos pais, leia este artigo e descubra quanto custa morar sozinho.

Sair da casa dos pais é a realização do sonho de independência de muitos jovens adultos. Porém, antes de tomar essa decisão tão importante, é preciso saber quanto custa morar sozinho para reduzir as chances de não conseguir arcar com as novas responsabilidades financeiras.

Com um planejamento adequado, tendo uma reserva para comprar alguns eletrodomésticos, móveis e um valor para suprir os gastos fixos dos primeiros meses, deixar a casa dos pais para morar sozinho pode ser muito mais fácil. Para você saber mais sobre o que é necessário para fazer essa mudança com mais segurança, continue a leitura.

Quanto custa morar sozinho? Veja como calcular

Em resumo, o custo de morar sozinho inclui duas categorias. A primeira categoria é a de gastos para preparar o local onde você vai viver e fazer a mudança. O valor do caminhão de mudança, por exemplo, deve estar na sua conta de quanto custa morar sozinho.
A segunda é a dos custos para manter esse local (e se manter) após a mudança. Aqui entram os primeiros alimentos e os móveis fundamentais, por exemplo.

Vale a pena fazer uma lista dos itens que entram nessas categorias e uma estimativa do valor de cada um como parte do seu planejamento. Faça orçamentos em diferentes lojas e sites para se informar e fazer boas escolhas.
Assim, você sabe o quanto precisará gastar de imediato (itens da primeira categoria) e o quanto precisará gastar ao longo do tempo, depois que estiver morando sozinho (itens da segunda categoria).

Quanto preciso juntar para morar sozinho?

Não existe um número pronto para responder a essa pergunta. Na realidade, a resposta não poderia ser mais simples: quanto mais dinheiro você puder juntar antes de começar a morar sozinho, melhor.
Ter uma boa reserva de emergência é uma grande vantagem em momento de transição como esse. A reserva permite que você continue pagando suas despesas essenciais quando ocorre algum evento que afeta sua vida financeira.
Procure fazer com que a reserva cubra pelo menos três meses das suas despesas essenciais. Assim, se você perder temporariamente sua fonte de renda principal, ainda vai conseguir pagar aluguel, supermercado e outras contas por algum tempo.

Tenha em mente que este valor não pode ser usado para comprar móveis ou qualquer outra coisa necessária durante a mudança, mas deve ser utilizado para cobrir emergências, como o próprio sugere. Então, poupe um valor apartado do que vai precisar para comprar seus eletrodomésticos e itens básicos.

Quais são os móveis que não podem faltar?

Um dos principais itens que pesam sobre quanto custa morar sozinho é a mobília da nova casa. Por um lado, móveis de qualidade podem ser caros; mas, por outro, não é interessante comprar móveis baratos se eles precisarem ser trocados logo em seguida.
Então, a melhor alternativa é investir em móveis de qualidade, mas adquirindo apenas aqueles que são essenciais em um primeiro momento. Com o tempo, você pode fazer novas aquisições.

É claro que a definição de quais são móveis essenciais varia conforme a perspectiva e as necessidades de cada um. Muitas pessoas concordam que não podem faltar a cama e o guarda-roupas para o quarto, o sofá para a sala e uma mesa para a cozinha, que pode ser usada tanto para as refeições como para trabalhar. Avalie o que você mais usa no dia a dia, na casa dos seus pais, e o que pode ficar para depois.

No entanto, você também pode considerar opções mais econômicas para substituir móveis tradicionais. Em vez de gastar com um conjunto de sofás, por exemplo, você comprar apenas uma poltrona ou alguns pufes.

O que é um eletrodoméstico fundamental e o que pode ficar para depois?

Além dos móveis, utensílios domésticos e eletrodomésticos também são importantes para quem vai morar sozinho. Com a grande variedade de opções disponíveis hoje, pode ser difícil identificar o que é fundamental e o que pode esperar. Estes itens, por serem mais tecnológicos, acabam pesando sobre quanto custa morar sozinho.

Mais uma vez, a resposta depende da sua perspectiva e necessidades. Porém, aqui vão duas dicas que podem ajudar.
A primeira dica é evitar comprar utensílios muito específicos, que são utilizados para uma única finalidade. Em qualquer loja você encontra máquina de fazer pão, crepe, fondue e afins, que provavelmente vai usar poucas vezes.
Em vez de gastar com estes aparelhos, prefira utensílios mais versáteis, que podem ser usados em várias situações. Assim, você não gasta dinheiro com eletrodomésticos que ficarão encostados em sua casa.

A segunda dica é priorizar utensílios tradicionais em vez de comprar versões elétricas. Tenha em mente que os eletrodomésticos não somente custam mais caro como, também, consomem energia.
Ou seja, ao comprar uma cafeteira elétrica em vez do tradicional bule, você gasta mais e ainda terá que pagar uma conta de luz mais alta no final do mês. Um único eletrodoméstico pode não fazer tanta diferença. Porém, quanto mais versões elétricas de utensílios você comprar, maior será o peso na sua conta.

Antes de encerrar essa questão, mais uma dica importante sobre utensílios domésticos: se esse é um custo que vai pesar no seu bolso, você pode economizar fazendo um chá de panela com seus amigos. Nesse evento festivo, você chama pessoas próximas para conhecer sua casa nova e os convidados trazem utensílios de acordo com uma lista que você pode elaborar e circular previamente.

A compra de um único utensílio não pesa tanto no bolso dos amigos e familiares, e é uma forma de demonstrar apoio à pessoa que está passando por um momento importante de transição. Além disso, é uma boa oportunidade para reunir o pessoal e se divertir.

Com quais contas preciso me preocupar todo mês?

Depois que a casa nova estiver pronta e a mudança for concluída, as contas continuam chegando todos os meses. Por isso, na hora de calcular quanto custa morar sozinho, você precisa levar essas despesas recorrentes em consideração.
Para a grande maioria dos jovens que saem da casa dos pais, a primeira conta nessa lista é o aluguel do imóvel. Além disso, também pode ser necessário recolher IPTU e pagar taxas de condomínio. Por isso, é importante se informar sobre as taxas do seu prédio, se esse for o caso, para não haver surpresas.

A segunda conta são as compras de supermercado. Para quem mora sozinho, elas podem não ser tão pesadas, mas precisam ser bem planejadas, já que o preço dos alimentos vem aumentando bastante.
Água, energia, gás de cozinha e Internet também são fundamentais para que ter mais conforto no local. Por isso, você precisa manter o pagamento dessas contas sempre em dia.

Além disso, você pode gastar com transporte, especialmente se a nova casa fica mais longe do trabalho. Leve em consideração como a mudança vai afetar seu deslocamento para os locais que você normalmente frequenta.
Agora que você já sabe quanto custa morar sozinho, o próximo passo é fazer uma comparação séria desse custo com a sua condição financeira atual e avaliar se é viável seguir adiante no momento. Se não for, entenda que adiar os planos temporariamente não é um problema. Na realidade, essa é uma decisão inteligente para evitar problemas futuros.

Assim, quando você finalmente estiver morando em sua própria casa, será uma experiência muito mais tranquila, em uma situação de segurança financeira e emocional.

Esse conteúdo foi útil para você? Continue navegando no Serasa Ensina, o portal de educação financeira da Serasa, para conferir mais dicas de finanças pessoais.

Consulte grátis o seu Serasa Score!

VEJA AGORA SUA PONTUAÇÃO.

Consulte grátis seu CPF e seu SCORE Comece agora uma nova vida financeira.

Consultar agora