Você costuma andar com cédulas de dinheiro na carteira? Entenda os riscos dessa prática e saiba como proteger seu dinheiro.

Com tanta tecnologia fazendo parte da nossa rotina, muitas vezes a gente se pergunta: será que as cédulas de dinheiro ainda são úteis no nosso dia a dia? Neste artigo, vamos entender que, em alguns momentos, sim, mas na maior parte do tempo não precisamos mais delas.
Muitas pessoas ainda têm o hábito de sacar todo o seu salário ou aposentadoria no dia do pagamento, por exemplo. Assim, fazem suas transações ao longo do mês usando apenas o dinheiro físico.

As cédulas de dinheiro podem ser importantes para certas situações em que não é possível usar outra alternativa. Porém, não significa que é uma boa ideia depender completamente do dinheiro de papel. Nos próximos parágrafos, vamos compreender melhor quando e por que vale a pena andar com cédulas de dinheiro.

Formatos do dinheiro

Antes de mais nada, é importante ter em mente que o dinheiro, hoje, é um conceito abstrato. Houve um tempo em que “dinheiro” era o mesmo que notas e cédulas. Elas podiam ser vistas, tocadas e, claro, trocadas em formato físico.
No entanto, hoje, em grande parte das transações que realizamos, não existe nenhuma troca de dinheiro físico. Em vez disso, o formato de dinheiro que ganha espaço é o virtual. Por exemplo: seu cartão de vale-transporte contém dinheiro, mas esse valor é descontado toda vez que passa pelo leitor de cartões. A operação, então, ocorre de maneira “invisível”.

O formato virtual, na realidade, é apenas informação, indicando que o dinheiro existe e o caminho que ele percorre. Esse formato entra em ação quando você faz uma transferência entre contas, ou quando você passa seu cartão de crédito na maquininha da loja.
Por um lado, o dinheiro físico continua tendo seu espaço. Por outro, é um equívoco não aproveitar a praticidade e segurança que o “dinheiro virtual” garante em muitas situações.

Vantagens das cédulas de dinheiro

É importante ter cédulas de dinheiro à mão para realizar transações mais simples. Em especial, aquelas em que você sabe ou desconfia de que outras alternativas não são aceitas. Um bom exemplo é o dinheiro para pagar passagens de transporte público.
Mesmo que você normalmente não use ônibus, trem ou metrô para se deslocar, pode haver uma situação imprevista em que será necessário usá-lo. Se isso acontecer, ter cédulas de dinheiro e algumas moedas na carteira fará toda a diferença.

Além disso, em alguns momentos, a tecnologia pode falhar. Por exemplo, o sistema de recebimento ou a máquina de cartão de loja podem estar fora do ar. Nesses momentos, você não consegue pagar usando o dinheiro em formato virtual, sendo o dinheiro físico sua única opção disponível.
Obviamente, então, a vantagem das cédulas de dinheiro é oferecer uma saída para momentos de emergência. Justamente por isso, você não precisa carregar todo o seu dinheiro nesse formato; e nem deve, também.

Riscos das cédulas de dinheiro

Você não deve carregar todo o seu dinheiro em formato físico, porque existem riscos importantes associados a ele.
Primeiro, há o risco de furto ou roubo. Quando o dinheiro de papel é roubado, as chances de recuperá-lo são extremamente pequenas, quase nulas. Por outro lado, se os cartões da conta bancária e de crédito forem levados, você pode bloqueá-los antes que sejam usados para fazer transferências e compras em seu nome.
O mesmo vale para o risco de perda. Perder uma carteira cheia de dinheiro de papel é muito mais grave do que perder uma carteira com seus cartões.

Depois, há o risco de danos acidentais. Uma nota de cem reais pode ser molhada ou rasgada e perder o valor. Isso jamais acontece com o dinheiro que fica em formato virtual na sua conta.
Além disso, há também o risco de fraudes. Quando você recebe uma cédula de dinheiro em qualquer transação, pode estar recebendo uma falsificação que não tem valor. Enquanto isso, ao receber o dinheiro por meio de depósitos e transferências, você tem certeza de que o valor que entrou na conta é real.

Isso não significa que não existem riscos também associados a contas, cartões e outros serviços. Justamente por isso, é importante sempre manter uma parte dos seus recursos em “dinheiro vivo” e a outra parte guardada em formato virtual. Assim, você está sempre protegido.

Melhores alternativas

A primeira alternativa às cédulas de dinheiro é simplesmente deixar os valores na conta bancária.
O aplicativo do banco e o Internet Banking podem ser usados para movimentar o dinheiro sem precisar sacá-lo, fazendo pagamentos e transferências.
Alguns bancos ainda exigem que sejam realizados procedimentos de segurança, como cadastro de senha e liberação de aparelhos, antes de autorizar o acesso à sua conta por meio de aplicativos e Internet Banking. Então, você precisa se informar sobre esses procedimentos.

A segunda alternativa são os cartões, tanto de débito quando de crédito, para a realização de compras sem usar dinheiro físico.
Os cartões de débito retiram dinheiro diretamente da sua conta bancária. Ou seja, eles são um instrumento que permite que você faça suas compras e pague à vista sem precisar sacar o dinheiro físico no caixa.
Enquanto isso, os cartões de crédito funcionam como uma espécie de empréstimo de curto prazo da instituição financeira. Eles permitem realizar as compras mesmo sem ter o dinheiro disponível de imediato e aumentar o prazo de pagamento.

No entanto, o uso de cartões exige uma dose de controle maior com as finanças, já que você pode acabar perdendo de vista seus gastos e ficando com as contas no vermelho.
Para completar, você também pode utilizar serviços criados especialmente para facilitar a realização de transações virtualmente. Uma das alternativas disponíveis é a carteira digital da Serasa.

A carteira digital da Serasa é uma opção segura para guardar seu dinheiro de forma virtual. Com ela, você pode pagar contas online, realizar transferências, parcelar boletos em até 12 vezes no cartão de crédito e até mesmo recarregar seu celular. Em breve, também será possível usar o Pix para fazer transferência e receber valores.
Para ter acesso à carteira digital, basta baixar o aplicativo da Serasa e fazer o seu cadastro. Depois, é só transferir seu dinheiro para a conta e começar a utilizar os recursos disponíveis. O aplicativo é 100% seguro e muito fácil de usar.

Além disso, você não precisa se preocupar com qualquer movimentação “surpresa”, pois a Serasa não utiliza os valores depositados nas contas para pagar dívidas. Ou seja, seu dinheiro sempre ficará muito bem guardado para ser usado exclusivamente em transações que você escolher.

Esse conteúdo foi útil para você? Então, continue navegando pelo Serasa Ensina, o blog de educação financeira da Serasa, para aprender mais sobre finanças pessoais.

Consulte grátis seu CPF e seu SCORE Comece agora uma nova vida financeira.

Consultar agora