Entrar

Como organizar suas despesas e sair do endividamento?

Como pagar as dívidas?

Conta de luz atrasada, dívida no cartão de crédito, juros de empréstimo… Se esses termos estão te tirando o sono, você pode ser um dos mais de 62 milhões de brasileiros endividados, de acordo com o Boletim Econômico Serasa Experian.

Os motivos que podem levar uma pessoa a deixar de pagar suas contas e ficar com o nome sujo são os mais diversos possíveis: desemprego, diminuição do salário ou descontrole financeiro. Isso pode acabar deixando seu CPF negativado.

Como conseguir zerar suas dívidas

O descontrole financeiro pode ser um dos grandes vilões de quem está com dívidas em atraso. Por isso, planejar e organizar suas finanças é um dos passos mais importantes para sair definitivamente do endividamento.

Se você procura formas para acabar com as dívidas e sair do vermelho, preparamos 6 dicas para te ajudar a organizar suas despesas e voltar a ter crédito. Ah, no final você ainda confere uma dica bônus para nunca mais ficar endividado.

1- Entenda a situação para sair do endividamento

O primeiro passo para sair do vermelho é visualizar toda a sua vida financeira. Coloque no papel tudo aquilo que você deve, seus gastos fixos, como conta de luz, boleto do celular, fatura da internet, os gastos variáveis (aqueles que não acontecem todo mês) e também o quanto você ganha. Assim você tem uma visão de todo o seu orçamento e consegue perceber os gastos e ganhos de forma mais fácil.

Tudo que entra e sai da sua conta bancária precisa estar planilhado! Se você não quiser fazer em um caderno, por exemplo, pode usar um documento no Excel ou a nossa tabela financeira, que é prática e simples de usar.

2- Priorize gastos

Com tudo anotado, agora é a hora de fazer cortes no seu orçamento. Despesas como serviços de streaming ou TV a cabo, alimentação fora de casa, roupas e calçados podem ser diminuídos. Para manter seu orçamento em dia e não gastar mais do que ganha, você precisa priorizar o que realmente é necessário para sua vida e cortar despesas que podem ficar para outro momento.

3- Tenha uma estratégia para pagar ou negociar suas dívidas

Para os especialistas financeiros, o melhor a fazer é sempre pagar as dívidas à vista, mas sabemos que nem sempre é possível evitar o parcelamento para negociar dívidas atrasadas. Uma boa estratégia é eliminar inicialmente as dívidas que têm maiores taxas de juros, como cartão de crédito e cheque especial.

Outro ponto importante é saber o quanto você pode pagar por mês até quitar a dívida em atraso. Assuma somente compromissos que você pode arcar para não entrar em novas dívidas.

Exemplo: suponhamos que após fazer uma planilha dos seus gastos, você chegue ao valor de R$ 5.000 em dívidas. Ainda de acordo com sua tabela, você pode pagar no máximo R$ 110 de parcela por mês até finalizar o débito. Ao negociar, você consegue um empréstimo com CET (Custo Efetivo Total) de 1,33% ao mês. Nesse exemplo, você vai demorar cerca de 6 anos para quitar a dívida.

4- Empréstimo para negativado

Quando se tem várias dívidas altas em aberto, é difícil conseguir pagar todas de uma única vez. Nesse caso, uma boa saída é procurar formatos de empréstimo com taxas de juros menores. Um dos modelos mais conhecidos é o empréstimo pessoal para quem está com restrições no nome, o famoso empréstimo para negativado.

Ao contrário de alguns cartões de crédito podem ter taxas de juros que chegam a quase 20% ao mês, há modalidades de crédito com taxas menores, que podem te ajudar a sair do vermelho. Além disso, com o nome limpo de novo, você pode aumentar o Score para futuramente conseguir acessar crédito.

5- Seja cauteloso

Imprevistos acontecem. Você pode precisar viajar, consertar um encanamento ou trocar uma peça no seu carro. Por isso, ao fazer o planejamento para pagar sua dívida, tenha em mente que algo que não estava nos planos pode acontecer. O importante aqui é fazer uma reserva mensal para possíveis imprevistos ou gastos emergenciais que podem surgir e te fazer cair em outras dívidas.

6- Complemente seu orçamento

Ter uma fonte de renda extra além de te ajudar a sair do endividamento pode ser uma maneira de fazer um pé de meia para alcançar outras conquistas. Em muitos casos o que era algo informal e apenas momentâneo pode se tornar um negócio ou sua principal fonte de renda.

Veja algumas formas de conseguir um dinheiro a mais para seu orçamento:

  • Faça um bazar com roupas, utensílios, equipamentos outras coisas que você tem e não usa mais, mas que estão em bom estado de conservação;

  • Tem um talento ou conhecimento? Ofereça aulas particulares, desde ensinar a tocar instrumento, reforço escolar ou de idioma, por exemplo;

  • Use suas habilidades para fazer e comercializar produtos artesanais ou comidas;

  • Se você gosta de animais, cuidar e passear com pets pode te ajudar a conseguir um dinheiro extra.

7- Dica bônus: tenha uma reserva financeira

Com todas essas dicas em mãos, conseguir sair do endividamento não é tão difícil quanto parece, concorda? Quando você planeja, as coisas ficam mais simples e têm menos chances de dar errado. Assim, para impedir que você caia na inadimplência novamente, o próximo passo é fazer uma reserva financeira.

Poupe sempre que possível. Especialistas em finanças recomendam que você economize de 15 a 30% do salário para ter um reserva de emergência. Esse dinheiro serve para momentos de crise. É aconselhável que sua reserva corresponda a pelo menos 6 vezes ao que você ganha. Isso porque caso você fique desempregado, conseguirá se manter por até 6 meses, enquanto se recoloca no mercado de trabalho.

É importante que a reserva fique em uma conta separada da sua conta corrente. Você pode fazer uma poupança ou outros investimentos de baixo risco, como Tesouro Direito ou CDB. Na conta corrente, além de se misturar com o dinheiro destinado às contas, muitas vezes, não há rendimentos, mas apenas taxas.

Gostou do conteúdo? Para saber mais sobre organização financeira, acesse nosso canal no YouTube e ouça o Podcast Serasa Ensina na sua plataforma preferida.