Entrar

Imposto de Renda: o que é e como fazer a declaração!

Confira tudo o que você precisa saber sobre a Declaração de Imposto de Renda em 2022 e evite cair na malha fina da Receita!

colunista Veridiana Lopes
Publicado em: 11 de março de 2022.

Todo ano é importante prestar contas ao governo e uma das formas de fazer isso é através da declaração do imposto de renda.

O Imposto de Renda (IR), é o tributo mais famoso do país e com certeza você já ouviu falar sobre ou já teve que lidar com ele. Mas, você sabe o que é, para o que serve, por que o Governo quer saber das suas continhas? Se surgiu essa dúvida, esse texto vai te ajudar a entender.

Você sabe que se tornou adulto e passou a ganhar dinheiro, quando você precisa declarar sua renda. Esse é o momento em que você consegue avaliar toda a sua vida financeira, o que paga em serviços, o que você recebe, seus investimentos, TUDO.

O que é Imposto de Renda?

Ele é um tributo federal em que você paga ao Governo uma porcentagem de tudo que você ganha. Para fazer esse acompanhamento, o Governo solicita aos trabalhadores e empresas que informem para a Receita Federal quais são seus ganhos anuais.

Ao longo do ano, você ganha e gasta dinheiro. De forma geral, a renda é tributada no momento do recebimento. No ano seguinte, o leãozinho da Receita avalia se o que ele cobrou de você é, realmente, o que você precisaria pagar conforme o tamanho dos seus ganhos.

Para o leão ter todas essas informações, você precisa fazer a “Declaração de Ajuste Anual” para Imposto de Renda sobre Pessoas Físicas (IRPF).

A declaração de imposto de renda é feita do início de março até o fim de abril.

Aprenda mais sobre imposto de renda com esse vídeo completo!

Todos os anos, a Receita Federal libera o programa da Declaração do Imposto de Renda. Para facilitar a vida dos contribuintes, você só precisa fazer o download do programa e preencher os campos e áreas específicas com suas informações. Assim, gera um documento que é a sua declaração de todas as grandes ações financeiras do ano.

O que eu preciso declarar o Imposto de renda?

Basicamente todas as suas despesas e ganhos. Você precisa declarar seu salário anual, o carro que você tem, a casa, a escola das crianças, se você faz faculdade, o plano de saúde que você paga, o dinheiro guardado na poupança. É quase tudo na vida mesmo.

Se você fizer parte de algum dos grupos abaixo, saiba que você é obrigado a declarar o Imposto de Renda. Caso não declare, terá que pagar multa:

Renda: Se você recebeu, por exemplo, um salário anual maior que R$ 28.559,70. Ou, o rendimento dos seus investimentos anuais foi superior a R$ 40.000,00.

Atividade rural: Teve uma renda bruta maior que R$ 142.798,50. Plantou soja e vendeu os gados? Vai ter que declarar.

Ou, se você quer compensar algum saldo devedor em impostos, essa é a hora também.

Ganho de capital e operações em bolsa de valores: se, em qualquer mês do ano, ganhou capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas.

Bens e direitos: Teve a posse ou a propriedade, até o último dia do ano, de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00.

Condição de residente no Brasil: passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição se encontrava até o último dia do ano anterior.

Dependendo de todos esses fatores, você pode chegar a pagar ao longo do ano 27,5% de Imposto de Renda no holerite. É de chorar? Sim, então declara tudo direitinho.

Como funciona o pagamento do Imposto de Renda?

Com a prestação de contas feita pela declaração anual, você consegue saber se já pagou tudo que precisava pagar. Caso você tenha pago um valor a mais, a Receita devolve o dinheiro, é o que se chama restituição do Imposto de Renda. Caso ao contrário, você paga o valor restante.

Para pagamento do restante, a Receita disponibiliza um boleto bancário ou débito automático.

Por que é cobrado?

A explicação para o pagamento do Imposto de Renda é de cunho social. A ideia é que a parcela da população com rendimentos maiores contribui mais para o governo, a fim de gerar dinheiro para melhorias na qualidade de vida de toda população.

Para onde vai esse dinheiro?

De acordo com o Ministério da Fazenda, parte dos impostos arrecadados é destinada à saúde, educação e programas de transferência de renda, como “Fome Zero” e “Bolsa Família”.

Outra fração, é enviada para programas de geração de empregos e inclusão social, como plano de reforma agrária, construção de habitação popular, saneamento e reurbanização de área degradadas.

Existe também uma parcela direcionada para investimentos em infraestrutura, segurança pública, cultura, esporte, defesa do meio ambiente e estímulo ao desenvolvimento da ciência e tecnologia.

Portanto, pagar seu imposto de renda gera dinheiro para melhorias no país.

Como fazer a declaração?

Passo 1 - Reúna os documentos necessários.

Para declarar o seu imposto é importante ter os documentos essenciais em mãos, já que eles irão agilizar o seu processo de preenchimentos.

Basicamente, você precisa de Informações sobre o contribuinte e seus dependentes, como:

1. Endereço atualizado;
2. Nome, CPF, grau de parentesco e data de nascimento dos dependentes;
3. Atividade profissional atual;

Em outros casos informações sobre bens do declarante, também podem ser necessárias, como:

No caso de imóveis – Data de aquisição, área do imóvel, IPTU, registro de inscrição no órgão público e registro no cartório de Imóveis;

Para embarcações, veículos e aeronaves – Número do Renavam, registro no órgão fiscalizador;

No caso de contas correntes e aplicações financeiras – CNPJ da instituição financeira, agência e número da conta. Documentos de rendas variáveis.

No caso de investimentos – Notas de corretagem e extratos de IR enviadas pelas corretoras onde negociação é feita;

Passo 2 - Escolha o tipo de declaração

Ao acessar o programa e antes de preencher é importante entender em qual etapa se quer começar:

Nova Declaração: escolha essa opção caso queira iniciar o processo do zero;
Dados do ano anterior: escolha essa opção caso queira aproveitar os dados de declarações anteriores;
Declaração Pré-Preenchida: nessa opção, é possível retomar o preenchimento de uma declaração, caso você já tenha iniciado o processo anteriormente.

Passo 3 - Escolha entre declaração simplificada e completa

Ao preencher, você deve escolher o tipo de declaração que deseja, podendo ser a declaração simplificada ou a completa.

Para quem possui muitas despesas e dependentes, a declaração completa pode ser mais vantajosa. Já para quem não possui dependentes ou muitas despesas que possam ser deduzidas do imposto, a declaração simplificada é mais indicada.

Em ambos os casos é importante que se escolha com cautela, porque no momento de enviar a declaração, o resultado pode acabar doendo no bolso.

Passo 4 - Faça o preenchimento dos campos

Após ter reunido todos os dados necessários, não deixe de preencher os campos solicitados para que a entrega da sua declaração seja efetivada.

Por isso, se atente a campos de preenchimento como: Dados pessoais, Rendimentos tributáveis, Lista de dependentes, Rendimentos isentos e não tributáveis e tudo que precise ser declarado.

É importante abrir o jogo e contar tudo da sua vida financeira para o Governo.