O Feirão Limpa Nome da Serasa começa em novembro e, nesta edição, pode ajudar milhões de consumidores a organizarem as finanças.

De acordo com o Mapa da Inadimplência, o estudo mais recente sobre endividamento feito pela Serasa, atualmente mais de 60 milhões de brasileiros estão com o nome sujo. Durante o evento, a maioria dessas dívidas negativadas estará disponível para negociação com descontos de até 99% e condições especiais para quitação.

Todas essas vantagens prometem facilitar – e muito – o pagamento das dívidas. Mesmo assim, para fazer uma boa negociação e não se enrolar com as contas novamente, o consumidor precisa estar preparado.

A seguir, listamos cinco dicas simples que podem te ajudar a fechar acordo com mais segurança. Confira:

1. Descubra o tamanho das suas dívidas

O primeiro passo pode ser desconfortável, mas não tem outro jeito: para quitar as dívidas, é preciso encarar o problema e entender exatamente como está a sua situação.

Depois de ficar com o nome sujo, muitos consumidores deixam de consultar o valor das dívidas por entenderem que já não vão conseguir pagá-las. E é aí que pode vir a surpresa.

Com o passar do tempo, algumas despesas aumentam bastante por conta dos juros. Quer alguns exemplos? De acordo com os dados mais recentes do Banco Central, a taxa de juros do cheque especial alcançou o patamar de 128,6% ao ano. No crédito rotativo, o número é ainda mais assustador: 335,8% ao ano. É isso mesmo: em menos de 12 meses, a dívida pode triplicar e fugir do controle.

Então, para sair do vermelho, comece descobrindo o quanto você deve hoje. No Serasa Limpa Nome, você pode consultar o valor atual das suas dívidas com mais de 50 empresas entre bancos e instituições financeiras, universidades, operadoras de telefonia, recuperadoras de crédito, lojas, empresas de cosméticos e de diversos outros segmentos.

Como são parceiras da Serasa, essas companhias normalmente oferecem descontos muito especiais para quem negociar pelo Limpa Nome – e no Feirão as ofertas são ainda melhores.

Não encontrou a empresa para quem você deve no Limpa Nome? Então, a melhor opção é entrar em contato direto com ela.

Isso não significa que você vai ter que pagar todas as dívidas nesse momento. A ideia, é que você entenda o tamanho do problema e defina qual estratégia irá adotar para resolver a situação.

Com essas informações em mãos, é hora de encarar os números. Para facilitar, você pode criar uma tabela.

Na primeira coluna, faça uma lista com todas as suas dívidas – incluindo até mesmo as que não estão atrasadas/negativadas. Nas próximas colunas, detalhe as dívidas: coloque o valor das parcelas, as taxas de juros cobradas, o número restante de prestações e o valor total da despesa.

Ao fazer esse exercício, você vai conseguir perceber quanto do seu orçamento mensal está comprometido com dívidas e quais delas são as mais caras, ou seja, as que têm taxas de juros mais altas. O ideal é começar pagando essas, pois são as que crescem mais rápido.

2. Entenda o quanto você ganha e gasta

Para organizar a vida financeira de verdade, é muito importante entender de forma detalhada como funciona a sua renda mensal.

Continue com as anotações, registrando o quanto você ganha e quanto gasta no dia a dia. Se você é um profissional CLT, confira o seu holerite e considere o seu salário líquido, ou seja, o valor que realmente cai na conta após os descontos.

No caso de autônomos e empreendedores, como esse valor pode variar, o ideal é considerar a sua renda média mensal.

Em seguida, liste os seus gastos fixos – aqueles que você tem todo mês e que são indispensáveis. Nessa categoria, entram despesas como aluguel, condomínio, compra no supermercado, contas de água e energia.

Depois, separe os gastos variáveis. Nesse grupo, entram as despesas que podem ser reduzidas ou cortadas em situações de emergência: passeios em restaurantes, compras no shopping, aplicativos de carona e serviços de streaming são alguns exemplos.

3. Avalie a possibilidade de cortar gastos de forma inteligente

Você já deve ter ouvido falar que cortar gastos é um dos passos mais importantes para organizar a vida financeira e sair das dívidas.

Na prática, isso pode ser um grande desafio, já que alguns dos gastos considerados “supérfluos” podem ser importantes para garantir mais conforto, bem-estar ou até qualidade de vida no dia a dia.

É por isso que muitos especialistas em economia comportamental defendem que o corte radical dessas despesas, como sair para comer fora, ter um pacote de Internet mais completo ou o plano de TV a cabo não se sustentam a longo prazo ou geram frustração.

Para que essa estratégia funcione, é preciso se planejar para fazer um esforço maior durante um período determinado, enquanto você ajusta suas contas. Depois que tudo estiver em dia, dá para se permitir, com planejamento, incluir algumas dessas despesas na rotina.

Por outro lado, alguns “gastos invisíveis” podem ser cortados do seu orçamento sem dor e o mais rápido possível: anuidade de cartão de crédito, tarifas bancárias, aqueles serviços de assinatura que você não usa ou a mensalidade da academia que você não frequenta são alguns exemplos.

Quer se preparar para negociar as dívidas e pagar o acordo com mais tranquilidade? Então, comece a fazer uma faxina no orçamento e elimine o que puder.

4. Calcule o quanto você pode pagar pelas dívidas

Depois de entender a situação das suas dívidas, avaliar sua renda mensal e descobrir o quanto dá para economizar eliminando alguns gastos do orçamento, compare o que você ganha com o valor total das suas dívidas. Isso vai te ajudar a entender quanto do seu orçamento você pode usar para pagar essas contas negativadas/atrasadas.

De modo geral, os especialistas em finanças defendem que o ideal é nunca comprometer mais do que 30% do seu orçamento mensal para quitar dívidas. Isso porque em algum momento pode acontecer imprevistos, e se você estiver com o orçamento muito apertado pode não conseguir honrar com seus compromissos financeiros.

Se com essa parcela da sua renda não for possível quitar todas as suas dívidas agora, não adie os planos de organizar sua vida financeira e dê um passo de cada vez: siga a dica que já demos e comece negociando as suas dívidas mais caras.

5. Finalmente, comece a negociação

Antes de mais nada, entenda quais dívidas você conseguiria pagar com o dinheiro que economizou após o corte de gastos. Reforçando: a prioridade deve ser quitar as contas com juros mais altos.

Depois de seguir todos esses passos, você pode negociar com mais segurança e aproveitar as ofertas especiais do Feirão Limpa Nome. Além dos grandes descontos, durante o evento muitas empresas oferecem a opção de parcelar o acordo em mais vezes. Assim, fica mais fácil quitar a dívida sem pesar no bolso.

Gostou das dicas de negociação para o Feirão Limpa Nome? Então, é hora de começar a dar os primeiros passos para colocar a vida financeira em ordem. E não se esqueça: depois de ficar com o nome limpo novamente, continue controlando sua receita e gastos e mantenha um planejamento financeiro para evitar cair na inadimplência novamente.

Faça a faxina nas suas contas!

NEGOCIE GRÁTIS SUAS DÍVIDAS

Consulte grátis seu CPF e seu SCORE Comece agora uma nova vida financeira.

Consultar agora