Entrar

Golpe do suporte no Twitter: entenda como funciona e proteja seus dados pessoais

O Twitter é a mídia social da conversação direta. A proposta da empresa em operação desde 2006 é que marcas e figuras públicas estabeleçam diálogos com seus públicos e seguidores. Muitas vezes, em vez de reclamar ou pedir ajuda nos canais oficiais de atendimento, os consumidores fazem um post e marcam a conta do prestador de serviço. Este movimento que tende a encurtar caminhos para obter uma solução para o seu problema pode ser a porta de entrada para o golpe do Twitter.

O problema é que nem sempre o consumidor prestará atenção ao perfil que vai responder sua reclamação. Os criminosos podem forjar um perfil parecido com o da marca prestadora do serviço ou responder em perfil pessoal como se representasse a marca. O diálogo de suporte normalmente encerra com um link para completar o atendimento. O consumidor será levado a um site falso da empresa, é a armadilha para o roubo de dados pessoais e financeiros.

O Twitter reforça que a conta de falsa identidade na mídia social desrespeita as regras de conduta e deve ser denunciada pelos usuários. As empresas que se sentirem lesadas em relação ao uso indevido da marca por terceiros também podem denunciar de acordo com a política de marca do Twitter. Após a comunicação de fraude pelo usuário ou pela empresa, o Twitter fará a verificação e caso confirmada falsa identidade a conta poderá ser excluída.

Entenda como funciona o golpe no Twitter e proteja seus dados pessoais

Os golpistas observam o comportamento dos usuários da rede para identificar reclamações referentes a uma marca nas conversações. Normalmente, é criada uma conta similar à original ou um perfil de gerente de relacionamento da marca. As contas falsas são uma estratégia para estabelecer confiança no primeiro contato. Ao identificarem as vítimas, os criminosos começam a articular o golpe. Quando bem sucedido acaba em prejuízos financeiros. Entenda a fraude no passo a passo:

  1. O usuário posta uma reclamação de marca em publicação aberta no Twitter com a expectativa de que a empresa entre em contato para solucionar o problema.

  2. Um perfil falso da empresa ou de um representante da marca responde publicamente ao usuário e encaminha um atendimento.

  3. Após as primeiras trocas públicas de mensagens, o golpista avisa que enviará um link para o atendimento prosseguir de acordo com os termos de segurança da empresa.

  4. O consumidor clica no link e é encaminhado para um falso site da marca onde haverá um formulário de cadastro. Ao preencher as informações, o consumidor estará entregando aos criminosos as suas informações pessoais e financeiras.

Dicas para acionar marcas em redes sociais com segurança

Para não cair no golpe do falso atendente de suporte no Twitter, é preciso estar atento para qual demanda você está solicitando e se a marcação na rede social é o melhor caminho. As grandes empresas possuem diversos canais de suporte como telefone, chat ao vivo, contato via site, canal de denúncia e outros meios. O post em mídia social normalmente se justifica caso a demanda afete outros consumidores e precise de um alerta coletivo. Caso o Twitter seja a forma adequada para a sua solicitação esteja atento para estas dicas na hora de solicitar suporte na mídia social:

Verifique a autenticidade do perfil marcado

Há perfis falsos imitando marcas autênticas com traços idênticos aos da conta original. Para não confundir é preciso fazer tripla verificação: o nome de exibição na descrição do perfil, o nome de identificação do perfil (@nomedoperfil) e o selo de verificação de autenticidade. As contas empresariais costumam solicitar o selo de verificação que, quando concedido, aparece em um ícone de checked do lado direito da identificação de perfil. Caso não tenha o selo não significa que é um perfil falso, mas por segurança opte por acessar o endereço no site oficial da marca e verificar antes de prosseguir a interação.

Não forneça informações por mensagem direta ou fora da mídia social

Os golpes de engenharia social (roubo por persuasão) normalmente vão direcionar a conversa para fora do ambiente da mídia social. Na resposta ao post de reclamação, o falso atendente vai escrever “resposta no DM” para direcionar a conversa para a caixa de mensagens. Na sequência vai pedir informações para localizar o seu cadastro. Não forneça nenhuma informação confidencial como senha e dados de identificação, mesmo que seja uma conta verificada.

Desconfie de links enviados na conversa

Outra tática é fornecer ao consumidor um link para um falso site da empresa no qual abre diretamente um formulário ou cadastro para ser preenchido pelo consumidor com a queixa ou demanda. Mesmo que o layout seja muito similar ao original da marca, não forneça dados confidenciais a não ser que esteja apto a confirmar a autenticidade da origem do site, com domínio confirmado e cadeado de segurança na url.

Mantenha um monitoramento ativo da movimentação dos seus dados pessoais

Mesmo com toda a precaução no manejo de redes sociais, aplicativos e sites na internet, os golpes têm feito cada dia mais vítimas porque as táticas são diversificadas e renovadas sistematicamente. Portanto, o monitoramento ativo do CPF e a proteção do Score Serasa são aliados para a sua segurança. Quanto antes você detectar uma movimentação estranha, menor o transtorno e o prejuízo.

Quer evitar fraudes e problemas futuros? Conheça o Serasa Premium

Com ele, você será alertado por e-mail e SMS sempre que houver uma movimentação no seu CPF e CNPJ como: novas consultas, protestos, ações judiciais, vazamento de dados na Dark Web e mudança em seu score e muito mais:

Função Lock&Unlock: bloqueie e desbloqueie seu Serasa Score para consultas de terceiros. Isso pode ajudar você a evitar que golpistas peçam crédito em seu nome.

Relatórios: receba um resumo quinzenal e tenha acesso total ao seu histórico de dados.

Consultor VIP: atendimento exclusivo sempre que precisar de ajuda.