Lá se vai mais de um ano desde que a pandemia começou e para muitas pessoas o período de isolamento social significou também redução ou perda da renda familiar. Para driblar a crise, os brasileiros estão se reinventando a fim de conseguir manter as contas em dia, não ficar endividado, e quem sabe, juntar uma grana extra.

Em fevereiro deste ano, a Serasa Experian entrevistou 2.059 pessoas para falar sobre renda e finanças na pandemia. Para metade dos entrevistados, os gastos no último ano aumentaram e para 38% houve redução na renda. Ainda de acordo com a pesquisa, a população das classes CDE, em especial as mulheres, são os que mais sofrem com a crise.

Como está mais difícil pagar as contas básicas, como conta de luz, aluguel e alimentação, um dos grandes desafios para essa parcela da população é não ficar com o nome sujo para continuar tendo crédito no mercado e assim atravessar o momento com mais tranquilidade.

Já consultou seu CPF hoje?

Consulte agora o CPF

Veja algumas dicas de fonte de renda extra

Na pandemia, para muitas pessoas, aquilo que poderia ser uma fonte de renda extra acabou se tornando um negócio que a pessoa levará para a vida, pois encontrou na crise uma forma de se reinventar, redescobrir ou mudar de vida.

Mas não se engane, para que uma fonte de renda extra não se torne uma dor de cabeça, é preciso planejar e ter calma. Confira formas de ter uma fonte de renda extra, se nenhum ou pouco investimento para você sair do sufoco e ficar com o saldo no azul.

1 – Vender pela internet produtos e itens que você não utiliza mais
Todo mundo tem em casa roupas, calçados e acessórios que não utiliza mais. Mas nem só de itens pessoais vivem os bazares. Você pode vender a bicicleta que está parada, instrumentos musicais, livros, eletroeletrônicos, móveis e muito mais.

Ao anunciar produtos pela internet, sempre confira o quanto o site ou plataforma vai cobrar pelo serviço, se a negociação é feita pela plataforma ou entre anunciante e comprador, frete e outras informações que podem comprometer sua venda.

Confira alguns sites para vender produtos na internet:

OLX: você pode vender de tudo nesse site, desde móveis, carros a aparelhos de ginástica. A plataforma é gratuita e só cobra por serviços como anúncios e espaços destacados no site.

Enjoei: famoso pelo desapego de roupas, calçados e acessórios, no aplicativo, é possível encontrar uma infinidade de produtos, como decoração e outros objetos. A plataforma cobra uma porcentagem na venda que varia de acordo com o preço do produto.

Estante Virtual: esse é para quem tem livros e quer desapegar ou comprar esses itens mais baratos. O site reúne livrarias e sebos de todo o Brasil e você encontra desde literatura nacional a livros técnicos e científicos. Para anunciar, é necessário adquirir um dos planos oferecidos pelo site.

2 – Dirigir por aplicativos de transporte
Mobilidade é uma das necessidades das pessoas que vivem em grandes cidades e precisam se deslocar. Se você tem um carro, ser motorista de aplicativo pode ser uma fonte de renda extra, mas é preciso ficar atento a algumas informações antes de se filiar a alguma plataforma de transporte de passageiros.

Colocar seu carro para rodar na cidade também custa dinheiro. Você tem o combustível, desgaste do carro, eventuais acidentes, multas e outras taxas que precisam ser contabilizadas.
Além disso, os aplicativos também cobram uma porcentagem no valor de cada viagem, que varia de acordo com a plataforma. Por isso, confira bem se essas taxas serão realmente lucrativas.

3 – Vender alimentos
Ter mãos de fada na cozinha não é para qualquer pessoa. Mas vender doces, salgados ou marmitas exige investimento e cuidado na hora de colocar a mão na massa. Ao preparar alimentos e coloca-los a venda, você precisa calcular o preço da matéria prima e os custos operacionais para não perder dinheiro.

Para calcular o valor do seu produto, inclua também valores da conta de luz, gás, água. Além disso, é preciso calcular o tempo gasto, embalagens e outros itens que estão incluídos na produção e venda de alimentos. O Sebrae oferece informações e dicas para te ajudar a ganhar dinheiro vendendo alimentos.

4 – Oferecer aulas particulares
Se você tem um talento ou habilidade, oferecer aulas particulares presenciais ou pela internet pode ser uma boa forma de fonte de renda que exige pouco investimento, uma vez que você vai ensinar algo que já domina.

Opções não, desde reforço escolar, aulas de idioma, instrumentos musicais e também culinária e habilidades manuais. Para que essa fonte de renda extra funcione, monte uma agenda para ter o controle de alunos, se será necessário ter tempo para corrigir as atividades ou esclarecer dúvidas dos alunos.

Além disso, para transmitir aos outros aquilo que para você é tão natural, tenha paciência e didática para ensinar de forma clara.

5 – Passear com pets
Essa é uma dica para quem gosta de animais, especialmente cachorros. Esses bichinhos de estimação precisam gastar energia e, na maioria dos casos vivem em apartamentos onde não há espaço suficiente para a atividade.

Existem aplicativos na internet que conectam donos de pets com pessoas que se disponibilizam a passear com cães. Geralmente o serviço é cobrado por hora e varia de acordo com a região.

Lembre-se que essa é uma atividade que exige bastante cuidado e responsabilidade. Ao andar com cachorros pela cidade, é preciso estar atento ao trânsito, pedestres e outras situações que podem acontecer e colocar a sua vida e a do animalzinho em risco.

Gostou das dicas? Então siga nosso canal no YouTube e veja outras maneiras de conseguir uma renda extra e juntar dinheiro, para você conseguir se planejar melhor e tirar seus planos do papel.

Quer conferir a pontuação do seu CPF? Basta acessar o Serasa Score. Ele pode ser um dos critérios utilizados na concessão de crédito.

As melhores ofertas de crédito pessoal!

COMPARE GRÁTIS

Consulte grátis seu CPF e seu SCORE Comece agora uma nova vida financeira.

Consultar agora