Entrar

Golpe do crédito fácil: entenda como funciona a fraude do empréstimo

O golpe do crédito fácil começa com uma ligação, e-mail ou anúncio em mídias sociais no qual o falso funcionário de um banco ou financeira oferece juros baixos e condições vantajosas para obter dinheiro imediato na conta. O crédito fácil pode ser tentador, mas o consumidor tem de estar atento para as armadilhas. Entenda como funciona a fraude do empréstimo.

A oferta de crédito fácil é o artifício usado pelos criminosos para colherem informações pessoais e financeiras e, para completar o golpe, solicitarem um depósito de segurança. O valor adiantado é justificado pelo contrato que prevê multa caso a Receita Federal não autorize ou uma caução para dar garantia até o primeiro pagamento. Após o depósito ou transferência, o falso atendente desaparece com o dinheiro e o consumidor fica sem o empréstimo e ainda mais endividado.

Normalmente, os consumidores em condição mais vulnerável como aqueles endividados estão mais propensos a cair no golpe. A oferta se apresenta tentadora porque a falsa operadora aceita até cliente com o nome sujo no mercado, ou seja, negativado pelo cadastro de monitoramento do Serasa. Somente uma quadrilha que praticou este crime no país roubou R $30 milhões das vítimas. Os criminosos foram presos em julho pela polícia, segundo o portal G1.

Com a crise financeira, desemprego e inflação em alta, desde o início da pandemia o empréstimo tem sido uma alternativa cada vez mais considerada por diferentes perfis de consumidores. Mas é preciso atenção, planejamento e segurança na hora de tomar o crédito.

Como não cair no golpe do falso empréstimo

Os golpistas costumam utilizar artifícios de engenharia social para convencer as vítimas sobre a seriedade da proposta falsa. O argumento é tão bem articulado que muitas vezes fica difícil identificar os sinais de fraude. A regra é desconfiar das abordagens repentinas em e-mail e telefones, mas também é preciso ficar atento para propaganda fraudulenta em mídias sociais que induzem o consumidor a clicar e fornecer suas informações pessoais. Como foi o consumidor que “se interessou” pelo anúncio, a relação parece mais confiável. Independente do meio pelo qual você começa a negociação, fique atento para fazer a certificação de veracidade da oferta.

  1. Defina critérios para avaliar a oferta de empréstimo. Compare taxas e propostas. Antes de preencher um cadastro e fechar negócio, saiba a origem da empresa e como está a avaliação dela nos sites Reclame Aqui e consumidor.gov.

  2. Desconfie de ofertas muito abaixo da média do mercado. Mesmo que a proposta seja de uma empresa bem avaliada, confira a origem do site ou a veracidade do atendimento. Acontece de os golpistas utilizarem a credibilidade de uma marca para aplicar a fraude. Vá no site da empresa e utilize um segundo ou terceiro canal de comunicação para confirmar se a pessoa está vinculada e se a oferta é mesmo da empresa.

  3. Pesquisa se a financeira ou o banco está realmente habilitada para a oferta de crédito. A autorização é concedida pelo Banco Central e a lista pode ser acessada e filtrada por tipo de instituições. O banco de dados está no site do BC.

  4. Jamais faça um pagamento antecipado para receber um empréstimo, especialmente se a conta destino for de uma pessoa física ou mesmo jurídica não autorizada.

  5. Mas se você foi vítima do golpe do falso empréstimo, faça o registro do boletim de ocorrência para a polícia e denuncie o CPF ou CNPJ para o banco destino do valor adiantado. Não há garantia de rever o valor transferido, mas é uma forma de interromper a quadrilha que aplica a fraude.

  6. Monitore os seus dados pessoais e financeiros regularmente para se certificar de que seu nome não foi usado como “laranja”, ou seja, você foi vítima de um empréstimo ou financiamento em conta falsa. Você pode consultar o CPF gratuitamente aqui ou assinar o boletim de alerta aqui.

Quer evitar fraudes e problemas futuros? Conheça o Serasa Premium

Com ele, você será alertado por e-mail e SMS sempre que houver uma movimentação no seu CPF e CNPJ como: novas consultas, protestos, ações judiciais, vazamento de dados na Dark Web e mudança em seu score e muito mais:

Função Lock&Unlock: bloqueie e desbloqueie seu Serasa Score para consultas de terceiros. Isso pode ajudar você a evitar que golpistas peçam crédito em seu nome.

Relatórios: receba um resumo quinzenal e tenha acesso total ao seu histórico de dados.

Consultor VIP: atendimento exclusivo sempre que precisar de ajuda.