Entrar

Por que você deve se preocupar com a proteção de dados?

A preocupação com a proteção de dados é muito válida, pois vazamentos de informações podem dar origem a fraudes e golpes.

A importância da proteção de dados

A proteção de dados é um assunto que está “na boca do povo”. No início de 2021, tivemos o vazamento de CPF de 226 milhões de brasileiros. Nos últimos anos, vimos notícias sobre o uso dos nossos dados pessoais pelas gigantes de tecnologia, como Google e Facebook.

Raramente, a utilização dessas informações é feita com nosso consentimento. Até por isso, algumas leis apareceram ao redor no se dava para uma finalidade legal. No caso dos CPFs, as chances de fraudes são enormes. E é por isso que você deve se preocupar com a proteção de dados.
Confira algumas considerações sobre o assunto e veja como se cercar de medidas preventivas relacionadas aos seus dados!

O uso de dados pessoais

Dados pessoais são qualquer informação que permite a identificação de um indivíduo. Isso inclui:
  • Nome completo e apelido;

  • Informações sobre renda;

  • Hábitos de navegação;

  • Dados sobre consumo;

  • Dados de localização;

  • Endereço residencial;

  • Identidade e CPF;

  • Endereço de IP;

  • E-mail, e outros.

Esses dados são normalmente inseridos em formulários eletrônicos, redes sociais, compras pela internet e em inúmeras outras situações. Diariamente, oferecemos nossos dados nas relações pessoais e comerciais. Isso significa que muitas empresas e órgãos da administração pública detêm nossas informações.
Esse uso de dados pessoais, por si só, não é um problema. Ele é necessário para que possamos assumir obrigações, ter direitos e firmar relações. No entanto, a questão é mais delicada quando se fala de proteção de dados.
Você se lembra do escândalo da campanha eleitoral norte-americana que envolveu a empresa Cambridge Analytica e o Facebook? Os dados de milhões de usuários da rede social foram utilizados, sem o consentimento deles, para influenciar as eleições.
Esse é um bom exemplo de que, na atualidade, qualquer cidadão é encarado como um produto. Isso fica bastante explícito no ambiente digital.

A proteção de dados no ambiente digital

Na navegação na internet, as empresas oferecem diversos serviços que podemos acessar de forma gratuita. Consultar a previsão do tempo ou o preço de um produto, ler notícias, estabelecer relações profissionais são alguns exemplos.
No entanto, cada vez que acessamos uma página, os famosos cookies coletam alguns dados sobre nossa atividade. Endereço IP, tempo de navegação e outras informações são guardadas pelo proprietário daquele site.
Já reparou que cada vez que você acessa uma página existe um termo de consentimento falando sobre os cookies? Essa é uma novidade recente, fruto das legislações ao redor do mundo que tratam sobre a proteção de dados. No Brasil, ela se chama LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.
Essa lei brasileira é de fundamental importância, porque os cookies são espécies de rastros que deixamos na internet. Aplicativos, lojas virtuais, redes sociais, portais de notícia, todas essas empresas podem acessar um dado seu. Seus cliques são passíveis de rastreamento.
E como fica a proteção de dados nesse contexto? Explicada nas políticas de privacidade das páginas e aplicativos, que quase ninguém lê. E é neste cenário em que estamos inseridos: dados pessoais circulando e sendo tratados como mercadoria.
Os anúncios e conteúdos personalizados que aparecem para você não saem “do nada”. Eles são frutos do uso de seus dados pessoais pelas plataformas. A partir de algoritmos, é traçado o perfil do usuário (seu perfil) com padrões de comportamento. Assim, eles influenciam suas escolhas.
E esse não é o único motivo pelo qual devemos nos atentar à proteção de dados. Enquanto houver um uso autorizado pelo usuário para determinada finalidade, está tudo bem. É o que prega a LGPD. O problema maior é quando seus dados pessoais são vazados.

Vazamento de dados

Um grande inimigo da proteção de dados é o vazamento. Por mais que tenhas soluções tecnológicas de segurança da informação, convivemos com alguma frequência com grandes vazamentos de dados. E essas quebras de sigilo pode trazer muito prejuízo a um cidadão. Nas mãos erradas, os dados representam perigos no mundo offline. Especialmente se o dado vazado for o CPF.
O perigo do vazamento de CPF
O recente vazamento de mais de 200 milhões de CPF dos brasileiros trouxe pânico a todos nós. Afinal, esse documento pode ser utilizado por criminosos em diversas transações e fraudes. Junto com o número de CPF, vazaram outros diversos dados, como e-mail, telefone e informações sobre escolaridade, salário e estado civil.
Um criminoso em posse desses dados pode muito bem efetuar golpes financeiros. E eles são variados: abertura de contas bancárias, solicitação de crédito junto às instituições financeiras, abertura de empresas e até acesso às mídias sociais são algumas possibilidades.
E como saber se seus dados foram vazados? É impossível. Mas é possível adotar algumas medidas para minimizar os efeitos do vazamento.

A importância de se prevenir

Quando nossas informações pessoais são objetos de vazamento, devemos nos cercar de medidas protetivas. Algumas dizem respeito às nossas senhas na internet, mas outras nos ajudam a monitorar nosso CPF. Veja algumas práticas de proteção de dados:

  • Fique de olho em seu CPF, pois já existem serviços que monitoram seu número e facilitam a adoção de medidas legais;

  • Atente-se a e-mails, ligações e mensagens suspeitas de pessoas se passando por terceiros, empresas ou instituições;

  • Tenha cuidado ao alterar as perguntas utilizadas como verificação de segurança para que não se esqueça delas;

  • Altere suas senhas de e-mail, redes sociais, aplicativos bancários e plataformas do governo (se tiver);

  • Utilize as duas etapas de verificação, algo comum em aplicativos de banco e mídias sociais.

Proteja seus dados

O uso de dados pessoais online e offline é amplo. Mesmo com as leis de proteção de dados, fraudes online e vazamento de dados continuam acontecendo. Ainda que tenhamos soluções de segurança da informação de última geração, é impossível evitar essas ocorrências. Por isso, o melhor é se prevenir em caso de ocorrência.
Felizmente, já existem soluções capazes de monitorar os dados do CPF, evitando fraudes e uso indevido de informações. Com esse recurso, a proteção de dados se torna um pouco mais robusta, pois minimizaria os efeitos de vazamento de dados e crimes virtuais. Que tal consultar seu CPF grátis para ver se há algo de errado com ele?

Quer saber se mais alguém consultou seu CPF?

Ative o Serasa Premium e saiba quem pode ter consultado seus dados a qualquer momento.
Monitore seu CPF

Quer monitorar seu CPF? Conheça o Serasa Premium

O Serasa Premium envia alertas por e-mail e SMS sempre que houver uma movimentação no seu CPF e CNPJ como: novas consultas, protestos, ações judiciais, vazamento de dados na Dark Web e mudança em seu score e muito mais:

Função Lock&Unlock: bloqueie e desbloqueie seu Serasa Score para consultas de terceiros. Isso pode ajudar você a evitar que golpistas peçam crédito em seu nome.

Relatórios: receba um resumo quinzenal e tenha acesso total ao seu histórico de dados.

Consultor VIP: atendimento exclusivo sempre que precisar de ajuda.

Monitore seu CPF e evite problemas futuros com Serasa Premium

Quero Serasa Premium