Entrar

Aumento do combustível – Combustíveis mais caros em 2022

Veja agora quais fatores estão influenciando o aumento do combustível no Brasil e o que esperar disso para o futuro

colunista Fabiana Ramos
Publicado em: 29 de Março de 2022.

A oscilação no preço do combustível sempre foi uma constante no Brasil. Mas, nos últimos meses, o aumento do combustível vem sendo alvo de muitas discussões.

Atualmente, o valor médio da gasolina em diferentes Estados brasileiros está na casa dos R$ 6,65. O que condiz com uma alta de cerca de 44% em comparação a janeiro de 2021. Até pouco tempo atrás a cotação do dólar era o maior fator de impacto sobre o preço dos combustíveis.

Mas, agora, outros fatores e acontecimentos também vêm contribuindo para ocorrência desse aumento. Você sabe quais são eles?

Continue sua leitura e veja mais detalhes sobre o aumento do combustível e quais fatores vêm influenciando essa alta. E o que esperar em relação ao aumento dos combustíveis para o futuro. Confira!

O que causou o aumento do combustível em 2022?

O avanço da pandemia gerou grandes impactos não apenas na saúde, mas também no mercado de combustível. Sobretudo porque, em razão das regras de isolamento social impostas, a demanda por consumo foi abrasada por esse fator.

Com a chegada da vacina contra COVID-10, houve a retomada de hábitos no Brasil e no mundo, o que reaqueceu a procura por combustíveis. Mas a oferta acabou não acompanhando a demanda. Como resultado, ocorreu um aumento da inflação sobre o preço dos combustíveis.

Outro responsável pelo aumento do combustível foi o fator geopolítico. A recente guerra entre Ucrânia e Rússia também gera impactos negativos sobre o preço dos combustíveis e não é para menos.

Afinal, a Rússia é a segunda maior produtora e exportadora de petróleo. Desse modo, qualquer fator que impacte na oferta ou na própria demanda do produto faz com que o preço do combustível se eleve.

Sem contar que a política de preços pela Petrobras prevê o preço do combustível no Brasil baseado no mercado internacional. Então, qualquer mudança drástica neste cenário, como vem ocorrendo com a guerra, também vai gerar impactos sobre o preço dos combustíveis a nível nacional.

Leia também | O que interfere no aumento dos preços? Entenda os reajustes

Qual foi o aumento do combustível em 2022?

No início de janeiro de 2022, a Petrobrás lançou alguns reajustes no valor dos combustíveis. Desse modo, houve um aumento de 4,85% no valor da gasolina e 8,08% no Diesel.

Nessa mesma data, mais especificamente, 11 de janeiro de 2022, o preço do barril de petróleo do tipo Brent estava cotado em US$ 83. Mas, recentemente sua cotação já chegou a atingir U$ 139, acumulando alta de mais de 40% no ano.

Confira o preço médio do combustível por estado:

  • Acre  R$ 7,041

  • Alagoas R$ 6,547

  • Amapá R$ 5,902

  • Amazonas R$ 6,611

  • Bahia R$ 7,024

  • Ceará R$ 6,598

  • Distrito Federal R$ 6,880

  • Espírito Santo R$ 6,854

  • Goiás  R$ 7,107

  • Maranhão  R$ 6,496

  • Mato Grosso R$ 6,522

  • Mato Grosso do Sul R$ 6,475

  • Minas Gerais R$ 6,966

  • Pará R$ 6,811

  • Paraíba  R$ 6,490

  • Paraná R$ 6,409

  • Pernambuco  R$ 6,540

  • Piauí  R$ 6,908

  • Rio de Janeiro R$ 7,198

  • Rio Grande do Norte R$ 7,097

  • Rio Grande do Sul R$ 6,488

  • Rondônia R$ 6,767

  • Roraima  R$ 6,504

  • Santa Catarina  R$ 6,556

  • São Paulo  R$ 6,370

  • Sergipe  R$ 6,525

  • Tocantins R$ 6,857

Qual a influência do dólar sobre a alta dos combustíveis?

Por ser uma commodity transacionada no mercado internacional, o preço do combustível nas refinarias é vinculado ao dólar.

É a mesma dinâmica aplicada ao minério de ferro, da soja, da carne ou do trigo, por exemplo. Se o produtor vende o produto mais caro no exterior, ele não vai reduzir os preços no mercado nacional. O mesmo acontece com o combustível.

Ou seja, se um barril custa cerca de US$ 100 lá fora, a Petrobrás não vai calcular um valor menor para o Brasil. Sobretudo porque terá prejuízos pelo fato de ter que importar os derivados do petróleo para realizar o refino do combustível.

Houve uma época em que a política da Petrobrás não acompanhava a variação do dólar. Mas, claramente essa era uma política que trazia imensos prejuízos à empresa, pois desassociar o câmbio se tornava inviável.

Portanto, mesmo havendo outros fatores que impactam no preço do combustível atualmente, a influência do dólar continua forte nesse processo. Ou seja, com alterações no dólar, as oscilações no preço da gasolina, diesel e derivados do petróleo tendem a sofrer impactos.

Até que ponto os combustíveis podem subir?

De acordo com a Petrobrás, o último levantamento em relação ao aumento do combustível retratado nos últimos dias tem um valor médio de R$ 3,86 pelo litro de combustível.

Antes o preço médio era de R$ 3,25, o que significa que o aumento do combustível é de 18,8%. Isso afeta também o diesel que, na refinaria, saía por R$ 3,61 em média de preço. E hoje está por R$ 4,51%, tendo um aumento de 24,9%.

A alta nos valores de refinaria impacta o consumidor final e o produto acaba passando por encargos, tributações, impostos estaduais e margem de lucro que alteram e promovem o aumento do combustível em valores.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) o caso do etanol está bem próximo do valor da gasolina, sendo o preço médio em torno de R$ 5,04 e o diesel em R$ 5,42. Enquanto isso, o GNV – Gás Natural Veicular passou a custar R$ 4,43.

De acordo com especialistas, acredita-se que, em 2022, a gasolina ainda pode sofrer grandes alterações e vir a se tornar ainda mais cara do que em 2021, sendo fortemente influenciada por fatores como a pressão do câmbio e alta do petróleo.

Leia também | Inflação 2022: por que ela não para de subir e quais os impactos?

Impactos da Guerra

Quanto aos impactos da Guerra entre Rússia e Ucrânia, há dois possíveis cenários de conflito: no primeiro, a invasão não excede as fronteiras e acaba por ser breve. Já em um segundo cenário, o conflito se expande para os territórios membros da Otan, e, nesse caso, as consequências econômicas acabam sendo ainda mais graves.

No entanto, mesmo com a dificuldade de prever os acontecimentos futuros em relação à guerra, é possível esperar uma “acomodação” nos valores se a tensão entre os países acabar por diminuir.

O fato é que não há como prever o futuro, mas o aumento do combustível atual é notável e seu impacto na economia brasileira é inevitável.

Como a guerra afeta a economia? - Serasa Ensina