Entrar

O que é B3 e como funciona a bolsa de valores brasileira

Ao se perguntar o que é B3, talvez você não saiba que ela também é uma empresa que negocia suas próprias ações. Entenda como funciona

colunista Fabiana Ramos
Publicado em: 27 de janeiro de 2022.

Certamente você já ouviu falar na bolsa de valores. Perguntas sobre o que é B3 ou o que significa Bovespa já podem ter passado pela sua cabeça. E ainda que você não saiba muito bem do que se trata, em algum momento já escutou notícias informando que a bolsa caiu ou subiu.

Neste artigo, vamos te apresentar a B3: a única bolsa de valores em funcionamento hoje no mercado brasileiro. Para entender exatamente o que é e como ela funciona, siga com a leitura!

O que é B3?

Para entender o que significa B3, podemos começar pelo significado do nome. B3 é a abreviação para Brasil, Bolsa, Balcão (B³) e representa uma empresa de capital aberto sediada em São Paulo que surgiu em 2017, após a fusão de duas outras empresas: a BM&F Bovespa ((Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo) e a CETIP (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos).

A BM&F Bovespa, por sua vez, já era a junção de duas outras empresas surgida em 2008: a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) e a BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros), que, junto com a CETIP, na época, eram consideradas como os principais agentes do mercado financeiro e de capitais. Elas eram responsáveis pela negociação, registro, oferta, liquidação e operacionalização de ativos e demais instrumentos financeiros do mercado.

Como todas essas empresas se juntaram em uma só, houve um fortalecimento significativo para o grupo, beneficiando não somente os sócios, mas o mercado financeiro como um todo, com o ganho de eficiência nas operações e extinção de despesas operacionais.

Por outro lado, com a fusão, não se pode negar que houve também uma enorme concentração de mercado, monopolizando o setor. E a gente sabe que a existência de um monopólio, mesmo que velado, não é boa para nenhuma esfera da sociedade.

De toda forma, o grupo foi autorizado tanto pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) quanto pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o órgão máximo de fiscalização do mercado de capitais.

O fato é que a B3 hoje é a maior bolsa de valores da América Latina e uma das principais do mundo.

Como funciona a B3?

Já entendemos como a B3 foi criada, mas para que ela existe especificamente? Qual a sua funcionalidade?

A principal função da B3 é proporcionar o funcionamento e a negociação de ativos na bolsa de valores. Ela atua como um grande mercado de compra e venda de ações (e de outros ativos mobiliários), criando um ambiente seguro para que essas transações ocorram de forma transparente.

É através da B3 também que uma empresa que deseja levantar capital junto ao público consiga vender parte de suas ações, colocando-as em circulação no mercado. Quando esse processo é feito pela primeira vez, recebe o nome de IPO (Initial Public Offering – ou Oferta Pública Inicial).

Para isso, elas passam por um rigoroso e burocrático processo de aceitação, e nem todas as empesas têm condições financeiras de arcar com esse custoso sistema de análises e auditorias.

Quais ativos podem ser negociados na bolsa de valores?

São vários os ativos financeiros que podem ser negociados na bolsa de valores. Vamos conhecer alguns deles:

– Ações de empresas: são as mais conhecidas por serem o principal ativo negociado na B3. Quando um investidor compra ações de uma empresa, ele se torna sócio dela, pois adquire uma pequena parte do seu capital. E por ser sócio, ele passa a ter direito ao recebimento dos lucros dessa companhia, sendo parte deles distribuídos como dividendos. Quanto mais ações um investidor possuir, mais dividendos ele receberá.

Leia também | O que são ações ordinárias e ações preferenciais?

– ETFs (Exchange Traded Funds): os ETFs funcionam como se fossem fundos de investimentos, mas negociados em ambiente de bolsa de valores. São também conhecidos como fundos de índice, já que seguem algum índice preestabelecido no mercado financeiro, como, por exemplo, o índice Bovespa (Ibovespa). É um investimento muito recomendado ao investidor iniciante ou para aquele que não tem tempo ou interesse para estudar as empresas individualmente. Uma desvantagem: os ETFs não distribuem dividendos.

– Fundos Imobiliárois (FIIs): os fundos imobiliários nada mais são do que um dos tipos de fundos de investimentos mais acessíveis da bolsa de valores. O investidor que adquire uma cota (muitas vezes por menos de R$ 100) passa a receber uma espécie de “aluguel” mensal em razão dos rendimentos obtidos pelos imóveis pertencentes ao fundo.

– Opções: são negociados na bolsa de valores contratos de compra e venda de mercadorias (commodities) combinados para o futuro. É acertado um preço fixo para uma venda futura. Sofrem bastante oscilações e são pouco conhecidos do público em geral, pois exigem bastante experiência do investidor para negociá-los.

Índices da B3

Você já deve ter ouvido falar que a bolsa está em baixa ou está em alta. E pode também ter ficado em dúvida, já que acabamos de ver que diversos ativos financeiros são negociados nela, e por diferentes preços. Sabemos que a cotação de algumas ações sobe, enquanto a de outras, desce.

Como entender, então, essa volatilidade? Como podemos dizer que a bolsa caiu ou subiu se os preços de alguns ativos se alternam ao mesmo tempo?

Para determinar essa alta ou baixa é utilizado um índice. E o índice mais conhecido da nossa bolsa é o Índice Bovespa, chamado de Ibovespa. Quando esse índice sobe, ouvimos falar que a bolsa subiu; quando o índice cai, é noticiado que a bolsa caiu, ou está em queda.

Um índice representa uma carteira teórica de papéis negociados em bolsa. O Ibovespa representa o desempenho médio das principais empresas listadas na bolsa brasileira.

Aém do Ibovespa, alguns dos índices mais importantes são:

– IBrX 100 (ou IBrX): índice composto pelas 100 ações mais negociadas na B3, independentemente do valor de mercado da empresa.

– SMLL (Small Caps): índice composto pelas small caps, ou seja, empresas que possuem menor valor de mercado na bolsa. São empresas que estão em período de crescimento, possuindo um desempenho mais elevado ao longo do tempo.

– IFIX (Fundos Imobiliários): índice composto pela performance média dos principais fundos de investimento imobiliários.

Conclusão

De tudo o que falamos até aqui, podemos concluir que a bolsa de valores possui um papel muito importante na nossa sociedade, pois permite que as empresas realizem investimentos sem a necessidade de recorrer a empréstimos bancários com altas taxas de juros, por exemplo. Todo o dinheiro adquirido será utilizado no desenvolvimento de produtos e tecnologias que acabam melhorando a vida das pessoas, gerando empregos e fazendo crescer a economia do país.

Por outro lado, o investidor também tem a oportunidade de participar dos negócios mais promissores do país, investindo o seu dinheiro em empresas sérias, de forma simples e rápida, mesmo que com pouco dinheiro. Contudo, é sempre bom lembrar que, apesar das inúmeras vantagens, também existem riscos, já que se trata de um mercado com oscilações.

Conhecer o funcionamento da bolsa é fundamental para boas negociações. Para saber mais informações sobre o mercado financeiro, continue acompanhando os conteúdos exclusivos do blog da Serasa.