Com o aumento na conta de luz, medidas para economizar energia elétrica são ainda mais importantes. Confira algumas dicas.

Independentemente da sua situação financeira, todas as famílias são afetadas quando ocorre um aumento na conta de luz. É claro que a situação é mais delicada nos lares em que a renda é menor, mas analisar esses custos e tomar medidas para economizar energia elétrica é interessante para todos.
Para não sofrer tanto impacto nos gastos com energia, algumas ações simples podem trazer bons resultados. Quer saber como? Continue a leitura.

Entenda as bandeiras tarifárias
As bandeiras tarifárias da cota de energia elétrica foram criadas através da Resolução Normativa nº 547 da ANEEL, em 16 de abril de 2013. O objetivo era advertir o consumidor sobre os custos atuais de geração de energia elétrica e, assim, promover economia no consumo de energia.

Quando as condições de produção de energia são favoráveis, a bandeira é considerada verde. Neste caso, não há cobrança adicional na tarifa. No entanto, quando há alguma crise hídrica ou problema de escassez de recursos naturais, as bandeiras podem mudar. Elas classificam-se como: amarela, vermelha ou vermelha patamar 2.

Em mais de 90 anos o Brasil não passava por uma crise hídrica tão intensa, segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). No entanto, desde 2020 os reservatórios das hidrelétricas tiveram alta redução, fazendo com que as usinas térmicas fossem acionadas. Por isso, o governo fez uma revisão nas tarifas adicionais, mudando o valor da bandeira mais cara. Veja o valor adicional das bandeiras por 100 kWh consumidos:

• Bandeira vermelha patamar 2 – R$ 9,49
• Bandeira vermelha patamar 1 – R$ 4,169
• Bandeira amarela – R$ 1,343
• Bandeira verde – Não há cobrança extra

Como economizar energia e minimizar o impacto do aumento na conta de luz?
O fornecimento de energia já é um custo alto. Com o aumento na conta de luz, ele custará ainda mais. Como a energia elétrica nas residências e indústrias é essencial, praticamente uma exigência, é inviável ficar sem acesso à luz.
Por isso, para que o reajuste impacte da menor forma possível, algumas ações são essenciais, visando economizar o máximo do consumo de energia. Confira algumas dicas do que você pode fazer.

1. Priorize a luz natural
Procure dar mais espaço para a luz natural entrar em sua casa. Durante o dia, abra as cortinas e janelas para deixar o sol entrar e apague as luzes.
Aliás, esse ponto pode ser planejado na construção ou reforma da sua casa, privilegiando o acesso à luz natural por meio de janelas maiores, claraboias e outras alternativas. Isso também proporciona mais conforto visual e bem-estar às pessoas que frequentam esses ambientes.
Uma alternativa eficiente também é abusar da tecnologia e fazer uso da automação, com sensores de presença, timers inteligentes entre outros equipamentos. Os aparelhos, apesar de terem um valor elevado, podem compensar o investimento em pouquíssimo tempo.

2. Troque as lâmpadas
Esta é outra dica que pode trazer mais despesas de imediato, mas que vale a pena a médio e longo prazo. A troca de lâmpadas da casa também pode ser uma opção bastante eficiente para minimizar o impacto do aumento na conta de luz. Até porque, como já falamos anteriormente, a iluminação gera um dos maiores gastos da conta de energia.

Por isso, é importante optar pelos modelos que demandem menor consumo. O ideal é substituir todas as lâmpadas fluorescentes ou incandescentes por itens de LED. Com isso, a redução de consumo pode chegar a 80%. Além disso, vale lembrar que essas categoria de lâmpada tende a durar mais, o que melhora o custo-benefício. maior!

3. Tire os aparelhos eletrônicos da tomada
Você sabia que mesmo desligados os equipamentos elétricos ligados à tomada consomem energia? Verifique na sua casa quantos eletrodomésticos ainda estão plugados quando não estão sendo utilizados. Entre os equipamentos que mais consomem energia estão os televisores e microondas. Por isso, desconecte tudo o que não estiver em uso e verifique como esse hábito ajudará a reduzir o consumo de energia em sua casa.

4. Substitua os eletrodomésticos antigos
Não tem jeito: o desgaste com o uso constante dos equipamentos faz com que eles consumam cada vez mais energia. Uma geladeira com mais de 10 anos, por exemplo, consome o dobro de energia de um modelo mais moderno.
Por isso, é fundamental revisar os eletrodomésticos e eletrônicos que você tem em casa para fugir do aumento na conta de luz. Em alguns casos, uma boa manutenção também pode te ajudar a economizar dinheiro.

5. Reduza o uso de “aparelhos que esquentam”
Aumento na conta de luz
Edite a imagem para adicionar uma legenda
Equipamentos como ferro elétrico, chuveiro, prancha de cabelo e secador estão entre os que mais consomem energia elétrica. Isso porque eles utilizam resistências elétricas, que demandam mais energia para que funcionem plenamente.
Por isso, é importante utilizar esses eletrodomésticos com muita cautela e desligá-los assim que terminar o uso. Para não ter um grande aumento na conta de luz, dê preferência a passar mais roupas ao ligar o ferro, reduzir o tempo dos banhos ou utilizar a função verão do chuveiro e priorize deixar o cabelo secar naturalmente.

6. Utilize o ar-condicionado de maneira consciente
O ar-condicionado é um grande vilão no consumo de energia elétrica. Por isso, se você quer ter menos impacto no aumento na conta de luz, precisa controlar o uso desse equipamento. Como alternativa, em dias menos quentes você pode utilizar um ventilador, que é mais econômico e pode garantir o frescor que você busca.

7. Invista em energia renovável
A energia solar é uma das melhores alternativas para fugir do aumento na conta de luz. Além disso, a eletricidade vinda de painéis solares não emite dióxido de enxofre, óxidos de nitrogênio e dióxido de carbono, que são prejudiciais à natureza. Estes poluentes são nocivos para a saúde humana e também influenciam negativamente no clima.
O investimento nesse tipo de fonte de energia pode ser alto no início, mas vai garantir autonomia energética e redução de até 95% na conta de luz ao longo dos meses. O equipamento possui baixa manutenção e garante uma fonte limitada de luz por até, pelo menos, 30 anos. Normalmente, o investimento feito em um sistema solar é recuperado em até quatro anos, em média.
Além disso, quem opta por ter energia renovável em casa ou até mesmo na empresa pode contar com a redução de impostos. Exemplo disso é o programa IPTU Verde, oferecido por alguns municípios brasileiros. Neste caso, o cidadão que implementar melhorias focadas na utilização sustentável dos recursos naturais ganha desconto no imposto. Procure saber se o governo da sua região é adepto a ações nesse sentido.

Com essas dicas, é possível reduzir o consumo de energia elétrica em sua residência, sem sofrer impactos significativos com o aumento na conta de luz. Além disso, é importante ficar sempre de olho nas bandeiras tarifárias de cobrança, visando o consumo consciente do recurso com as bandeiras amarela e vermelha em vigência.

Gostou das dicas? Navegue aqui pelo Serasa Ensina e confira mais conteúdos de educação financeira.

Faça a faxina nas suas contas!

NEGOCIE GRÁTIS SUAS DÍVIDAS

Consulte grátis seu CPF e seu SCORE Comece agora uma nova vida financeira.

Consultar agora