Entrar

Caí em um golpe pela Internet. O que fazer?

Saiba como agir em casos como esse e como se prevenir.

Ser vítima de um golpe pela Internet, infelizmente, não é uma situação incomum. Hoje, uma boa parte deles usa a tecnologia para atingir as vítimas. E é por isso que tantas pessoas já caíram em algum golpe pela Internet.

Infelizmente, esses golpes não são apenas um inconveniente. Eles podem causar problemas sérios na vida pessoal e financeira das vítimas, trazendo dívidas e até problemas de saúde, quando não resolvidos.

Se você é uma dessas pessoas, saiba que existem medidas para reduzir o prejuízo. Acompanhe esse artigo até o final e descubra o que fazer quando detectar que caiu em um golpe pela Internet!

O que é um golpe?

Para começar, vamos entender melhor o que é um golpe. Esse termo que usamos de maneira tão frequente no dia a dia se refere a qualquer situação em que sejam apresentadas informações falsas para tirar vantagem de alguém.
Vamos usar o exemplo de um golpe bem comum: o esquema de pirâmide, que foi mencionado no início do texto. Basicamente, são usadas informações falsas para convencer as vítimas de que elas podem ganhar muito dinheiro com um certo “investimento”. Assim, é possível tirar vantagem de todos os envolvidos.

Como ocorre um golpe pela internet?

Existem diversos tipos de golpes que podem ser aplicados pela Internet. Alguns são fáceis de identificar, especialmente quando trazem anúncios com ofertas mirabolantes e comunicações com texto e identidade visual suspeitos. Por outro lado, alguns muito são complexos e precisam de atenção máxima, como os e-mails que trazem boletos falsos e afins. Veja alguns dos principais tipos de golpe aplicados pela Internet:

Roubo de identidade

Ocorre quando alguém usa falsamente o nome de outra pessoa, criando sites e perfis de redes sociais com identidade falsa, por exemplo. Isso pode ser feito, entre outros motivos, para ganhar dinheiro com atividades ilícitas usando o nome de uma pessoa não relacionada como fachada.

Fraude de antecipação de recursos

Ocorre quando alguém tenta convencer uma pessoa a fazer uma “antecipação” de certo valor, com a promessa de devolver o dinheiro e oferecer outras compensações no futuro.
É o famoso golpe que promete depositar milhões de dólares na sua conta desde que você pague uma taxa da operação bancária para isso.

Phishing

Ocorre quando alguém convence uma pessoa a fornecer seus dados pessoais, que podem então ser usados para vários tipos de golpes e outras atividades ilícitas.
Uma das formas mais comuns de phishing são os e-mails falsos que trazem anexos infectados, como fotos e vídeos. Ao baixar o anexo, você instala sem saber um programa “espião” em seu computador, que coleta e vaza suas informações pessoais.
Nesta categoria, por exemplo, entram os e-mails que se passam pelas operadoras de telefonia, cobrando boletos de valores absurdos que você nunca solicitou. Por não reconhecê-los, surge a dúvida e, assim, a pessoa baixa o arquivo e abre. Desta forma você já liberou todos seus dados para os criminosos e se tornou mais uma vítima.

Pharming
Ocorre quando alguém redireciona uma pessoa para um site falso, diferente daquele que ela pensa estar acessando.
Isso acontece, por exemplo, quando você recebe um e-mail supostamente enviado pelo seu banco ou em uma super oferta bombástica de uma loja famosa. Ao clicar no link para acessar o site, você é levado a uma página que parece legítima, mas não é. Qualquer informação inserida nessa página é enviada para os responsáveis pelo golpe.


O que fazer ao cair em um golpe pela Internet?

Ao notar que caiu em um golpe pela Internet, mantenha a calma. Existem medidas que você pode tomar para minimizar os prejuízos.

A primeira coisa que você deve fazer é acionar a polícia. Procure uma delegacia e faça um Boletim de Ocorrência, para que a situação fique registrada.
Em seguida, bloqueie cartões de crédito e débito, carteiras virtuais e demais serviços financeiros que você considera que podem estar expostos. Assim você evita, por exemplo, ter seu cartão clonado.

Informe às instituições financeiras, para que elas também fiquem atentas a movimentações estranhas em seu nome. E não se esqueça de trocar as senhas que podem ter vazado. Isso vale para senhas de e-mail, redes sociais, contas bancárias e de qualquer outro site ou serviço. Até mesmo senhas de Netflix ou Uber, por exemplo.

Por fim, avise seus parentes e amigos. Suas informações podem ser usadas pelos responsáveis pelo golpe para entrar em contato com pessoas próximas a você, pedindo dinheiro. Se eles estiverem cientes, não correrão o risco de cair no golpe.

Como se proteger dos golpes virtuais?

Se você ainda não caiu em golpes virtuais, sua tarefa é a prevenção. Felizmente, existem algumas medidas bem simples que você pode tomar para se proteger de um golpe pela Internet.

1. Tome cuidado ao divulgar informações sobre você nas redes sociais ou em conversas online com desconhecidos. Mesmo um dado inocente, como seu número de telefone, pode ser usado para aplicar golpes.

2. Desconfie de e-mails suspeitos. Caso não tenha certeza de que o remetente de um e-mail é confiável, não responda nem abra qualquer anexo.

3. Ao acessar sites, sempre confirme se são seguros antes de clicar em qualquer botão ou digitar alguma coisa. Observe se o endereço da página está correto, pois uma única letra diferente pode indicar que o site é falso. Veja, também, se há um cadeado ao lado do endereço, indicando que o site é protegido.

Finalmente, instale um bom antivírus, com um módulo de proteção online. Esse tipo de recurso identifica e alerta o usuário sobre riscos na W, como páginas infectadas e sites duvidosos.

Suspeita de um crime virtual? Saiba o que fazer
Se você não caiu em um golpe pela Internet mas observou uma situação suspeita de crime virtual, você também pode tomar medidas.
Descubra se na sua cidade ou região existe um Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos (DRCI). Essas são unidades especializadas em investigar e agir diante de atividades ilícitas na Web.

Para registrar seu Boletim de Ocorrência, tente levar as provas que puder reunir, como prints de tela do e-mail de phishing ou do site de pharming.

Dependendo da situação, você também pode fazer uma denúncia a um serviço da Internet que possa tomar medidas para reprimir o golpe. Em muitos serviços de e-mail, como o Gmail, do Google, por exemplo, é possível denunciar mensagens de spam. Nas redes sociais, também é possível denunciar perfis de usuário falsos.

Além disso, você pode alertar as pessoas sobre o crime por meio das suas próprias redes sociais. Dessa forma, menos pessoas próximas vão ser enganadas e prejudicadas.

Tomando os cuidados certos, você pode se afastar do perigo do golpe pela Internet e evitar muitas dores de cabeça no dia a dia. Com o Serasa Premium, por exemplo, você pode monitorar seus dados 24 horas por dia e receber notificações de vazamentos de dados, consultas feitas em seu CPF e muito mais. Que tal conhecer mais sobre essa ferramenta?