Navegação do blog
  1. Premium
  2. Blog
  3. Golpe Pix

Golpe do Pix: é possível recuperar o dinheiro?

O golpe do Pix pode ser aplicado de diferentes maneiras. Saiba quais são e se tem como recuperar o dinheiro.

Publicado em: 31 de maio de 2024

Categoria Segurança na internetTempo de leitura: 3 minutos

Texto de: Time Serasa

Mão de homem segurando smartphone com logotipo PIX. Site do Banco Central do Brasil em notebook em segundo plano. Novo sistema de pagamento instantâneo. Foco seletivo.

O Pix vem facilitando o dia a dia dos brasileiros, por ser uma forma de pagamento rápida e simples. Porém, essa mesma agilidade também acaba deixando muitas pessoas vulneráveis a golpes e fraudes. O golpe do Pix pode ser aplicado de diferentes maneiras. Saiba quais são e como recuperar o dinheiro.

Quais são os tipos golpes do Pix?

Existem vários golpes criados em torno da ferramenta de pagamento Pix, cada um organizado de forma diferente.

  • Confira alguns deles:

  • ●     Golpe do cadastro do Pix

A pessoa recebe mensagens em nome de instituições financeiras que pedem para cadastrar uma chave Pix. Porém, esse processo só pode ser feito dentro do aplicativo oficial do banco.

  • ●     Comprovante de Pix falso

Aqui, o golpe é em vendedores. O criminoso retira a mercadoria e mostra ou envia um comprovante falso de pagamento. O golpista leva o produto e depois bloqueia o vendedor. O Pix é instantâneo, então é importante conferir na mesma hora se o dinheiro caiu na conta antes de entregar um produto ou serviço.

  • ●     O golpe do Pix errado

Os golpistas fingem que fizeram um Pix sem querer e pedem o valor "de volta". Ao ser pressionado a fazer a suposta devolução, muita gente acaba caindo no golpe e transferindo o dinheiro para o criminoso.

  • ●     Pix agendado

Nesse caso, o golpista chega a de fato agendar um pagamento em Pix para a pessoa que ele aborda. Porém, assim que a vítima faz o pagamento do mesmo valor, imaginando que está apenas devolvendo o dinheiro a alguém, o criminoso cancela o agendamento. Assim, a vítima tem o dinheiro roubado e não chega a receber nada em troca.

  • ●     Golpe do robô do Pix

Muito comum nas redes sociais, os golpistas fazem propagandas prometendo que a vítima terá retorno financeiro após fazer um Pix. Aqui, as vítimas podem ainda ter seus dados pessoais roubados, ao clicarem em sites maliciosos que os criminosos enviam.

Assista | Sempre Alerta: Tipos de golpes com Pix e como se prevenir

Como evitar cair em golpes do Pix

  • Para se proteger de golpes que usam o Pix, é possível estar preparado por meio de ações como estas:
  •  
  • ●     Sempre esperar que a transação apareça como completa na sua própria conta bancária e recusar pagamentos agendados, já que eles podem ser cancelados antes de o dinheiro cair de fato.
  • ●     Agir com calma mesmo que alguém pressionar a fazer uma transação ou passar algum dado. Pare e repense na situação antes de agir.
  • ●     Jamais clique em links enviados por desconhecidos ou que pareçam ser perigosos.
  • ●     Desconfie de promoções que peçam transferências de qualquer valor antes de dar um retorno real.
  • ●     Sempre que receber um contato estranho dando instruções sobre sua conta e ou pedindo seus dados pessoais, confira com a sua própria instituição bancária como agir.

 

É importante seguir atento porque atualmente, na maior parte das situações, ainda não é possível cancelar o Pix. Contudo, existe um mecanismo criado pelo Banco Central (BC) e que pode ser utilizado no caso de golpes para tentar reaver o dinheiro.

O que fazer em caso de fraude ou golpe

Se você já caiu em uma fraude, é possível pedir a devolução do dinheiro transferido via Pix, mas é preciso agir rápido.

Para esses casos, o BC criou o mecanismo especial de devolução (MED). A ferramenta é exclusiva do Pix e segue um processo para auxiliar as vítimas a receber de volta o dinheiro.

O passo a passo orientado no MED é o seguinte:

  1. Entre em contato com seu banco, em até 80 dias da data em que você fez o Pix, para informar sobre o ocorrido e solicitar a devolução dos valores.

  2. Registre um boletim de ocorrência (BO).

  3. Em seguida, registre uma reclamação informando todos os dados, comprovantes e documentos, inclusive o BO registrado.

  4. Com a reclamação feita, e se entender seu banco entender que ela faz parte do MED, a instituição deve registrar uma notificação de infração em sistema do Banco Central. Assim, o banco do suposto golpista irá bloquear os valores e ambas as instituições terão um tempo para avaliar detalhadamente o caso.

Após 7 dias de análise, se for comprovado o golpe ou a fraude, o dinheiro do pagador é devolvido em até 96 horas. Caso não haja saldo suficiente na conta de quem recebeu o Pix até o prazo máximo de 90 dias da transação original, a instituição de relacionamento do recebedor deve monitorar a conta e, assim que houver dinheiro disponível nela, o banco deve finalizar a devolução. Se as instituições concluírem que não foi fraude, o recebedor terá os recursos desbloqueados.

Porém, se depois desse tempo estipulado pelo BC o problema não tiver sido solucionado, a instituição orienta que o cidadão procure o Procon de seu estado, o Poder Judiciário ou mesmo registre uma reclamação no Banco Central.

Falha operacional no Pix

Em caso de falha operacional no ambiente Pix da própria instituição bancária (como uma transação em duplicidade), o processo é outro. A pessoa deverá:

  1. Entrar em contato com O banco, em até 80 dias da data em que o Pix foi feito, para informar sobre o ocorrido e solicitar a devolução dos valores.

  2. O banco deve avaliar se houve a falha e, em caso positivo, em até 24 horas o dinheiro é devolvido.

Finanças em dia com o Serasa Limpa Nome

Ter as contas em dia é a prioridade para a maioria dos brasileiros. Para isso, é importante pesquisar sobre as formas seguras de renegociar dívidas.

O Serasa Limpa Nome é a maior plataforma de renegociação de dívidas no país, com descontos de até 90% nos débitos e opções de parcelamento. O serviço é gratuito e a negociação pode ser feita em apenas três minutos nos canais oficiais da Serasa: site, app (iOS e Android), WhatsApp (11) 99575-2096 ou nas agências dos Correios espalhadas pelo país.  

Para negociar online:  

  • ●     Acesse o Serasa Limpa Nome ou o aplicativo e informe seu CPF e senha.  
  • ●     Confira sua dívida na tela e clique em Negociar.   
  • ●     Escolha a melhor opção de pagamento (Pix ou boleto, por exemplo) e o número de parcelas (caso opte pelo parcelamento).   
  • ●     Confirme as condições escolhidas e pronto!   
Celular mostrando a carteira digital Serasa

Compartilhe o artigo

Este artigo foi útil?

Escolha de 1 a 5 estrelas para avaliar

Artigos relacionados