Entrar

Nômade digital: vantagens e desvantagens de se tornar um

Ser nômade digital é um estilo de vida apreciado por muitas pessoas. Para se tornar um, basta um espírito livre e uma boa conexão com a internet

colunista Fabiana Ramos
Publicado em: 28 de março de 2022.

Muito se tem falado sobre o nômade digital: o que é? Como vive? Do que se alimenta? Brincadeiras à parte, ser nômade digital é, antes de tudo, ter um estilo de vida próprio.

Aqueles que têm aptidão para um modo de viver mais livre, que topam desafios, que encaram as dificuldades e não se sentem ameaçados com os altos e baixos que esse estilo de vida proporciona, são potenciais candidatos para experimentar o nomadismo digital.

Continue sua leitura e veja agora tudo o que precisa saber sobre como se tornar um nômade digital. Veja como ele trabalha, onde vive, quais são as vantagens e desvantagens desse modo de viver. Confira!

O que é ser nômade digital?

Desde os primórdios da civilização, ouvimos falar na palavra “nômade”. Nômade significava aquele que se mudava de um lugar para o outro. Nos tempos antigos, os nômades se mudavam à procura de comida e água, mas hoje, além de continuarem se mudando, adquiriram mais outra característica.

Nômade digital é um profissional que trabalha on-line, não precisando estar “preso” a um espaço físico como um escritório, uma sala de aula, uma cidade ou um país em particular.

Não se trata de uma profissão específica, mas sim da maneira como se decidiu trabalhar. É claro que não é qualquer profissional que pode se tornar um nômade digital. Por exemplo, um engenheiro que precisa estar presente para fiscalizar a construção de um shopping center não tem como se ausentar da obra, devendo permanecer naquele local (pelo menos enquanto durar o empreendimento).

O nômade digital pode trabalhar de qualquer lugar do mundo, desde que tenha uma boa conexão à internet. A vida dele se resume a dois requisitos:

1. Ganhar dinheiro na internet;
2. Viajar ou se mudar constantemente sem ter um local fixo para viver.

Podemos citar profissões como redatores, fotógrafos, professores, produtor de conteúdo, dono de e-commerce, editor de vídeos, gestor de mídias sociais, tradutor, designer, ilustrador, etc, as possibilidades são ilimitadas, principalmente com as novas profissões surgindo hoje em dia no mercado de trabalho.

Como o nômade digital trabalha?

Quando se pensa em nômades digitais, a ideia que passa pela cabeça das pessoas remete às praias paradisíacas de águas transparentes postadas em algum feed do Instagram. Pessoas deitadas na areia, com os pés para cima e um laptop no colo diante do mar. No dia seguinte, elas já estão em um safari na África, digitando ao lado de uma girafa. Fazem muito dinheiro pela internet e vivem uma vida de sonhos.

Opa! Será que é assim mesmo a realidade? Imagine você sentado na areia com um laptop, debaixo de um sol quente… será que você conseguiria realmente trabalhar?

Pois é, a vida vai muito além daquilo que vemos pela internet.

Na verdade, por trás de todo profissional bem sucedido, seja ele um nômade digital ou não, existe muito trabalho duro, uma acurada inteligência emocional, o desenvolvimento de inúmeras habilidades, networking, proatividade e muita disciplina.

Portanto, esqueça a boa vida que você vê nas redes sociais.

Assista | Renda extra com aplicativos - Serasa Ensina

Vantagens em ser nômade digital

A vida de um nômade digital é recheada de muitos benefícios e vou listar alguns deles aqui:

1. Liberdade geográfica

A possibilidade de poder morar em qualquer lugar do mundo é mesmo fascinante. Morar em uma maravilhosa ilha ou no alto de uma montanha cercada de neve é uma oportunidade e tanto. Estar aberto a conviver com diferentes culturas é o sonho de muita gente. A única exigência é que o local tenha acesso à internet (o que nem sempre é fácil).

2. Trabalhar com o que se gosta

Normalmente, os nômades digitais são pessoas que abandonaram o mercado de trabalho tradicional e escolheram trabalhar com aquilo que lhes dava prazer. E quando trabalhamos com algo de que gostamos, o resultado do nosso trabalho é mais satisfatório, trazendo-nos mais felicidade no dia a dia.

E quando entregamos um resultado melhor, somos mais bem pagos por isso. Com um trabalho que se destaca dos demais, podemos elevar o preço dos nossos serviços, gerando também um benefício financeiro.

3. Economia 

Os nômades digitais não costumam ser ricos. Mas por terem liberdade geográfica e poderem escolher onde morar, eles acabam optando por cidades cujo padrão de vida não seja elevado. Geralmente, instalam-se fora das capitais, em lugares mais baratos, e nem por isso abrem mão da qualidade de vida.

Desvantagens em ser nômade digital

Eu sei que até aqui você se animou com a vida vivida assim de forma mais leve e solta, mas nem tudo é um mar de rosas no nomadismo digital. Esses profissionais também enfrentam suas dificuldades e aqui eu quero te mostrar algumas desvantagens:

1. Viver longe de quem se ama

Num primeiro momento, pode até parecer fácil, mas estar longe de quem se ama não é assim tão simples. Para além da saudade da família e dos amigos, que dispensa comentários, existem momentos em que tudo que se quer é um colo de mãe. Os perrengues cotidianos são enfrentados sozinho e é muito duro, às vezes, você não ter uma única pessoa conhecida no local para ao menos dividir um almoço.

Fora as datas e ocasiões especiais que, frequentemente, são passadas à distância: o aniversário do sobrinho, o nascimento do afilhado, o casamento dos amigos de infância, as gargalhadas com os amigos e outros tantos bons momentos que não farão mais parte da rotina.

E ainda, por mais que você faça novos amigos enquanto percorre o mundo afora, sempre haverá o dia de dizer adeus quando chega a hora de partir. Nem sempre conseguimos estabelecer amizades sólidas ao longo do caminho e isso pode ser muito solitário.

2. Incertezas quanto à vida financeira

Normalmente, o nômade digital não conta com contratos fixos de trabalho. Ele precisa conquistar novos clientes no dia a dia, e, por conta disso, haverá meses de muita fartura e meses de quase miséria.

Por conta disso, a organização financeira e o planejamento são de extrema necessidade.

3. Não há mais finais de semana

Como o nômade digital cria o seu horário, não existe mais aquela rotina estabelecida de 9h às 18h. E como geralmente ele ganha por produção, quanto mais produzir, mais dinheiro entra no seu bolso. E, certamente, o trabalho se estenderá para os finais de semana e feriados, além, é claro de ultrapassar as 8h diárias nos 5 dias da semana.

É muito difícil um profissional que escolheu ter esse tipo de vida recusar um trabalho porque hoje é domingo à tarde. Justamente por não poder contar com um salário fixo por mês e não saber se no mês seguinte haverá trabalho, os horários em que se dispõe a trabalhar são os mais diversos.

Quem tem um negócio próprio sabe que o volume de trabalho no empreendedorismo é muito maior do que quando se trabalhava pelo regime da CLT.

Mas, e aí? Ficou animado com a vida de nômade digital? Acha que encararia este desafio? Sem dúvidas é um estilo de vida interessante, não é mesmo?