Entrar

O que é política monetária de um país e como ela afeta sua vida?

Confira abaixo o que é política monetária de um país, como ela atua e quais são seus objetivos e instrumentos.

colunista Fabiana Ramos
Publicado em: 13 de julho de 2022.

Política econômica é o conjunto de medidas tomadas pelo governo com o objetivo de produzir impacto econômico no país. Ela está dividida em três pilares: política monetária, política fiscal e política cambial.

Essas medidas utilizam de dados, metas e instrumentos para serem aplicadas, a fim de conduzir economicamente uma região. Aprender sobre elas te ajuda a compreender o que está por trás de vários acontecimentos e decisões econômicas.

Hoje vamos falar sobre a política monetária, continue no texto!

O que é política monetária?

A política monetária é um dos pilares da política econômica, e visa influenciar no custo do dinheiro e na disponibilidade de moeda em circulação.

A forma com que essa política é aplicada no país, por meio do Banco Central, impacta diretamente no poder de compra dos cidadãos, na geração de empregos e no PIB (Produto Interno Bruto).

Além disso, a política monetária possui papel de destaque na superação de crises e na manutenção da estabilidade econômica. Desse modo, o objetivo dessa política é controlar a inflação, estimulando ou desestimulando o aumento generalizado dos preços dos produtos e serviços.

Assista | O que é inflação? - Serasa Ensina

Quais são os tipos de política monetária?

A política monetária a ser adotada depende do comportamento da economia atual. Existem dois tipos:

Política Expansionista

Tem a função de fomentar a economia e incentivar o consumo, através do aumento do poder de compra, com o objetivo de melhorar o desempenho econômico do país.

Para isso, é comum observar uma baixa na taxa de juros e um aumento dos prazos de pagamento, de forma que o crédito seja facilitado, estimulando o consumo. Além disso, entram ações como a compra de títulos públicos, oferta de créditos para os bancos com taxa de redesconto menor e redução da taxa do depósito compulsório.

Como consequência, há maior disponibilidade de recursos na economia, aumento da procura por bens e serviços, aumento da renda, da produtividade industrial e, por fim, do PIB daquele ano. Essas medidas também podem ser usadas para conter um cenário de deflação, e por meio da redução da taxa de juros e estímulo ao consumo, é comum que haja o aumento da inflação.

A política monetária expansionista é usada, geralmente, quando a economia se encontra numa situação de recessão ou de crises, quando é preciso fomentar o seu crescimento.

Política Restritiva ou Contracionista

Tem a função de “esfriar” a economia e reduzir o consumo – por meio da restrição do poder de compra – com o objetivo de desacelerar o aumento da inflação.

Para isso, a principal medida é adotar uma alta na taxa de juros. Além disso, entram ações como a venda de títulos públicos por parte do governo, o aumento do depósito compulsório e a restrição ao redesconto, cobrando taxas maiores e reduzindo os prazos, gerando uma menor disponibilidade de dinheiro.

O resultado disso é a limitação de recursos na economia, ficando mais caro consumir e, dessa forma, há a redução nas compras, na produção industrial e, por fim, no PIB daquele ano. Entretanto, apesar do PIB ser afetado negativamente, a tendência é que os preços parem de subir e ocorra a desaceleração do aumento da inflação.

A política monetária restritiva ou contracionista é usada, geralmente, em situações em que o país esteja em acelerado crescimento, mas com a inflação fugindo de seu controle, a fim de reduzir esse ritmo de crescimento e, consequentemente, a inflação também.

Leia também | O que é o poder aquisitivo? Entenda mais sobre esse indicador

Instrumentos da política monetária

A política monetária utiliza de alguns instrumentos para atingir as metas definidas. São eles:

Open Market

No open market são negociados os títulos públicos entre os bancos. Quando o Banco Central vende os títulos, a oferta de moeda é reduzida e há um cenário de política restritiva. Por outro lado, quando há a compra de títulos, ele está injetando dinheiro na economia, estimulando o consumo e contribuindo para a política expansionista.

Redesconto
É um tipo de empréstimo que o Banco Central concede à uma instituição financeira. Por meio dele, é possível estimular ou desestimular a economia, cobrando taxas maiores ou menores de juros por esse empréstimo. Porém, em geral, é usado na política expansionista.

Depósito Compulsório
É uma taxa cobrada pelo Banco Central e recolhida de todos os bancos, podendo elevar ou diminuir as taxas dos bancos e outras instituições.

Quando o valor do depósito compulsório é elevado, os bancos ficam com menos recursos para emprestar para a população, o que resulta na diminuição da moeda em circulação, atuando na política restritiva. No entanto, quando esse valor diminui, os bancos podem emprestar mais dinheiro, estimulando a economia, que atua como política expansionista.

Além desses, a Taxa Selic também atua como um importante instrumento dessa política.

A Selic é a taxa básica de juros do país e guia todas as outras taxas de juros, como as do seu cartão de crédito, de empréstimos, de financiamentos, de rendimentos de aplicações financeiras e de muitos investimentos, inclusive a poupança.

Existem muitos indicadores que podem elevar, manter ou diminuir a taxa de juros, mas é a inflação que determina o futuro dela.

Quando a inflação sobe, há a tendência do Copom – Comitê de Política Monetária – aumente a Selic para desacelerar a economia, uma vez que, com juros mais altos, as pessoas pegam menos crédito, consumindo menos por causa dos altos juros. Ao reduzi-la, o efeito é ao contrário: há o estímulo do consumo.

Por que aprender sobre a política monetária do país?

As consequências da política monetária não se resumem apenas à variação da inflação ou dos juros, ela afeta também a decisão de consumo das famílias e empresas, o preço dos ativos, o preço do crédito, entre outros.

Por isso é importante ficar por dentro do que acontece na economia do país, assim, você consegue se planejar e direcionar seu dinheiro. Além disso, entende qual direção adotar para os seus investimentos, se é um momento de mais cautela, ou até mesmo se é um bom momento para renegociar suas dívidas.

Agora que você sabe como a política econômica do país pode afetar diretamente o seu bolso, vale a pena conferir maneiras de manter sua estabilidade financeira, além de consultar a situação de suas dívidas e negociá-las com até 90% de desconto. Acesse o site do Serasa e confira as ofertas!