Entrar

Cartão de crédito: como funciona o dinheiro de plástico?

Cartão de crédito, como funciona? Tire todas as suas dúvidas antes de começar a fazer compras com esse meio de pagamento.

Foto elaine ortiz
Publicado em: 26 de novembro de 2021.

Você já se perguntou, quando o assunto é cartão de crédito, como funciona esse meio de pagamento e por que ele é tão usado pelas pessoas?

De fato, o uso do “dinheiro de plástico”, como é conhecido o cartão de crédito, tem crescido no Brasil nos últimos anos. Para se ter ideia, de acordo com o Banco Central, em 2020 havia 134 milhões de cartões ativos no país – um salto de 12% em relação ao ano anterior.

E mais: uma pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), divulgada em novembro, mostrou que foram realizados 8,2 bilhões de pagamentos com cartões de crédito, débito e pré-pagos no terceiro trimestre de 2021, sendo o cartão de crédito o meio que movimentou o maior valor (R$ 420,1 bilhões).

Quer entender melhor como funciona o cartão de crédito? Neste artigo, vamos trazer mais detalhes sobre o meio de pagamento. Continue a leitura!

Cartão de crédito: como funciona?

Antes de saber como funciona um cartão de crédito, é importante entender o que é o cartão de crédito.

O cartão de crédito é um meio de pagamento que possui um limite definido pela instituição financeira após pesquisar seu perfil financeiro, renda mensal e outras informações como seu score, por exemplo.

Ele permite que o consumidor compre produtos ou pague serviços nos estabelecimentos que aceitam essa modalidade. E o mais interessante é que o usuário só paga por esses valores no dia do vencimento da fatura do cartão – que pode ocorrer em até 45 dias após a efetivação da compra.

No entanto, caso o pagamento não seja efetuado ou somente uma parte da fatura seja quitada, taxas de juros altas serão aplicadas no próximo mês. Falaremos mais sobre isso abaixo, no tópico sobre parcelamento.

Existem duas categorias de cartão de crédito: básico e diferenciado – mas ambos costumam cobrar taxas de anuidade pelos serviços oferecidos.

Segundo define o Banco Central, o cartão de crédito básico é aquele utilizado na sua função clássica, somente para pagamentos de bens e serviços em estabelecimentos credenciados.

Já o cartão diferenciado, além de permitir pagamentos, está associado a programas de benefício ou recompensas, como milhas, seguro-viagem, descontos, atendimento personalizado no exterior entre outros.

Vale ressaltar que não é necessário possuir conta-corrente em um banco ter acesso a um cartão de crédito e também que não são apenas os bancos tradicionais que possuem o direito de emitir cartões. Fintechs, bancos digitais e até mesmo algumas lojas podem oferecer o serviço.

Além disso, o cartão pode ser emitido para pessoas físicas ou para pessoas jurídicas. Mas não se esqueça: não é garantido que o emissor fornecerá um cartão de crédito para você. Somente após analisar seus dados é que o crédito será concedido ou não.

Outro ponto importante sobre como funciona cartão de crédito é a bandeira. A bandeira é a responsável por processar as compras feitas no seu cartão de crédito e repassar essas informações para o emissor. Ela é, portanto, uma intermediadora da transação. No Brasil, as bandeiras mais conhecidas são: Mastercard, Visa, American Express, Hipercard e Elo.

Como funciona o limite do cartão de crédito

Quando você solicita um cartão de crédito e tem seu perfil analisado, um limite é estabelecido automaticamente pela instituição que emitirá o cartão. Cada instituição possui seus critérios próprios de análise para a concessão do limite, mas a ideia é oferecer um valor que esteja de acordo com a renda do usuário para que os gastos sejam equilibrados.

Dependendo do uso e do comportamento do consumidor (caso pague as faturas em dia e os valores totais, por exemplo), o limite pode ser aumentado automaticamente, desde que o cliente tenha concordado previamente. A instituição também pode reduzir o limite, mas é necessário comunicar o usuário com 30 dias de antecedência.

E em caso de necessidade de compra de um item ou serviço que esteja acima do seu limite, é possível também solicitar aumento pontual pelas redes de atendimento do cartão – também sem garantias de que o aumento será concedido.

Todo usuário de cartão de crédito precisa respeitar seu limite. Caso o valor de crédito disponível já esteja comprometido em sua totalidade por compras parceladas nos meses anteriores, novas compras poderão ser bloqueadas até que o pagamento da próxima fatura seja efetuado.

De forma geral, funciona assim: se você tiver um limite total disponível de R$200 em seu cartão e efetuar uma compra de R$200 em duas vezes, isso significa que você esgotou seu limite e não será possível fazer novas aquisições. No entanto, quando seu cartão vencer (vamos supor que o vencimento da sua fatura seja todo dia 10), seu limite será liberado conforme a quitação das parcelas.

Assim, se você fez a compra parcelada em duas vezes no início de novembro, no dia 10 de dezembro irá pagar a primeira parcela de R$ 100. Neste momento, logo após o pagamento, seu limite será de R$ 100.

No próximo mês, no dia 10 de janeiro, quando pagar a nova fatura com a segunda parcela, seu limite voltará para os R$200 (caso não tenha efetuado mais nenhuma compra no período).

Leia também | Fatura do cartão de crédito: como controlar os gastos?

Como funciona o parcelamento no cartão de crédito

Parcelar as compras que você faz com o cartão de crédito é diferente de parcelar a fatura total do seu cartão. Segundo especialistas e educadores financeiros, as duas práticas devem ser evitadas sempre que possível.

Isso porque, ao fracionar muito as compras, o usuário pode perder a visibilidade de quanto já utilizou do seu cartão e começar a fazer as famosas “parcelinhas”, que nunca acabam, comprometem seu limite, incentivam o consumismo e ainda podem levar ao endividamento.

Já parcelar a fatura total do seu cartão ou ainda efetuar o pagamento mínimo não deveria nem ser uma opção considerada pelo consumidor. Ao fazer isso, você está passando a utilizar o crédito rotativo do cartão, uma das linhas de crédito mais caras do Brasil – em agosto de 2021, os juros do rotativo chegaram a 336,1% ao ano, maior taxa desde agosto de 2017, quando era 392,3% ao ano, segundo o BC.

Leia também | Juros do cartão de crédito: 5 coisas que você precisa saber

Objetivamente, o parcelamento no cartão de crédito funciona da seguinte forma: a dívida da fatura em atraso ou que foi paga parcialmente não pode permanecer por mais de 30 dias no crédito rotativo, para evitar alcançar valores absurdos, impossíveis de serem quitados.

O cliente deve efetuar o pagamento integral da dívida da fatura anterior junto com as compras da fatura atual ou optar por uma linha de crédito parcelado.

A instituição emissora do cartão, por sua vez, deve oferecer opções para o cliente financiar a dívida, o chamado parcelamento da fatura. Caso o cliente não escolha qual parcelamento deseja, a dívida é transferida automaticamente para uma linha de crédito predefinida.

O crédito parcelado possui juros mais baixos do que o crédito rotativo, mas ainda assim costumam ser mais altos do que outras modalidades de crédito. Por isso, se estiver precisando de dinheiro para pagar seu cartão, você pode consultar o Serasa eCred, a plataforma de empréstimo e cartão de crédito da Serasa, e encontrar opções mais vantajosas do que o rotativo. Quase sempre vale muito mais a pena adquirir outro empréstimo para quitar sua fatura do cartão.

Leia também | Serasa eCred: o que é e como usar?

Como funciona o estorno de cartão de crédito em compras parceladas

Sempre que houver alguma divergência na compra, como item errado ou preço diferente do acordado, ou até mesmo arrependimento em compras online, solicitar o estorno do cartão de crédito é uma possibilidade.

O estorno nada mais é do que a devolução do valor de alguma compra feita com o cartão de crédito. Trata-se de um direito do consumidor e é recebido em forma de crédito na sua fatura.

Para solicitar o estorno, mesmo em compras parceladas, o titular do cartão deve fazer o pedido para a loja ou o site em que adquiriu o produto. Depois, é só aguardar a avaliação do estabelecimento, que irá verificar se é cabível a devolução.

Se o pedido for aprovado, a loja repassa o valor e a autorização de estorno para a empresa responsável pelo cartão. Em seguida, a operadora programa a devolução do crédito ao cliente.

Caso o estorno seja feito em forma de créditos, ele vai estar disponível na mesma fatura, se ela ainda estiver aberta, ou na seguinte, se a atual já tiver sido fechada. Dessa forma, o estorno do cartão de crédito pode levar até 45 dias.

Se a compra for parcelada, o valor da compra é retornado para sua fatura em forma de crédito, pagando a parcela daquele mês. Caso você já tenha feito o pagamento da sua fatura, o estorno é feito no mês seguinte e eliminando o gasto.

Para saber se sua compra já foi estornada, é só verificar as informações que constam na sua fatura e procurar algum crédito gerado em nome do estabelecimento em que a compra foi efetuada.

Agora que você sabe como funciona o cartão de crédito, o limite, o parcelamento e até as formas de solicitar estorno e entendeu a importância de utilizar o meio de pagamento com planejamento, já é possível considerar solicitar o seu.

O Serasa eCred é o serviço de crédito da Serasa onde você encontra ofertas de empréstimo e cartão de crédito com base no seu perfil financeiro e necessidades. No caso do cartão, a plataforma pesquisa, compara e recomenda as melhores opções para você. Prático, né? Acesse o Serasa eCred agora mesmo e faça uma simulação gratuita.

Leia também | Como fazer um cartão de crédito para comprar na Black Friday 2021?