Entrar

Compra à vista ou a prazo? O que é melhor para o seu bolso?

Compra à vista ou a prazo? Qual opção é a melhor para quem quer manter a saúde financeira em dia? Conheça os prós e os contras de cada opção.

colunista Elaine Ortiz
Publicado em: 16 de dezembro de 2021.

Compra à vista ou a prazo? Eis uma questão corriqueira, que surge geralmente no momento em que vamos finalizar uma compra. Você sempre sabe o que escolher nesta hora? Imagina o que deve levar em consideração para tomar sua decisão? No fim das contas, o que será que é mais vantajoso: comprar a prazo e até parcelar ou pagar tudo na hora, à vista?

Hoje vamos falar sobre isso, o lado positivo e o lado negativo de cada uma dessas modalidades. Quer descobrir? Continue a leitura.

Compra à vista: prós e contras

A compra à vista é praticamente um consenso entre especialistas e educadores financeiros como sendo a melhor opção na hora de efetuar uma compra. Claro que a decisão depende da situação financeira de cada pessoa – e de alguns outros fatores que explicaremos mais abaixo – mas, de forma geral, o pagamento à vista é quase sempre mais vantajoso. Isso porque com dinheiro em mãos (ou mesmo pagando por meio de PIX, cartão de débito, transferência bancária) é possível conseguir bons descontos.

Portanto, os principais pontos positivos de realizar uma compra à vista são:

  • Descontos maiores: um mesmo produto pode custar mais barato para quem faz a compra à vista. Isso porque não serão incluídos juros na operação e o lojista terá acesso no ato a um dinheiro que poderia estar aplicado em algum tipo de investimento e rendendo juros. Não deixe de pedir desconto se optar por pagar um produto ou serviço à vista.

  • Maior controle financeiro e menos consumismo: ao fazer compras à vista, o consumidor fica menos suscetível a adquirir produtos por impulso, costuma pesquisar bastante antes de concretizar a compra, planeja e organiza suas finanças para conquistar aquele objetivo.

  • Não corre o risco de ficar inadimplente: quando a compra é feita à vista, o consumidor não precisa se preocupar com faturas, data de vencimento, dívidas. Não há valores em aberto, a compra foi finalizada no momento do pagamento total e isso pode trazer a algumas pessoas uma sensação de tranquilidade.

Entre os possíveis pontos negativos, destacam-se:
  • Sensação de ficar sem dinheiro: ao desembolsar quantias que às vezes são altas para pagar um produto à vista, o consumidor pode ficar sem dinheiro para outras compras que quiser ou precisar fazer. Por isso, é importante lembrar de ter uma reserva de emergência consolidada, para poder sacar o dinheiro desta reserva caso precise lidar com algum imprevisto.

  • Necessidade de juntar dinheiro para comprar produtos mais caros: este pode ser um ponto negativo, já que algumas vezes o consumidor pode precisar de algum item mais caro repentinamente, sem ter chance de se planejar para isso (neste caso, talvez ele possa recorrer ao cartão de crédito). Mas esta necessidade também pode ser vista como um ponto positivo, já que ao juntar dinheiro, se o consumidor criar o hábito de fazer isso utilizando algum tipo de investimento, além de poupar, ele verá seu dinheiro crescer com o rendimento dos juros.

Compra a prazo: prós e contras

A pesquisa Endividamento 2021 feita pela Serasa em parceria com a Opinion Box revelou que o cartão de crédito é a principal dívida entre os inadimplentes – 53% dos entrevistados declararam que já deixaram de pagar o cartão. As lojas (crediário, carnê e cartão) aparecem em segundo lugar no estudo.

O que os dados mostram é que ao fazer compras a prazo e/ou parceladas, sobretudo utilizando o cartão de crédito, as chances das pessoas se endividarem aumentam consideravelmente. Por isso, é necessário planejamento antes de efetuar compras a prazo.

Os principais pontos positivos de realizar uma compra a prazo são:

  • Antecipar consumo: ao adquirir um produto quando você ainda não tem o dinheiro todo para pagá-lo à vista você está antecipando o consumo, trazendo para hoje algo que você só poderia usufruir amanhã, depois que tivesse juntado todo o dinheiro. Isso é positivo, desde que caiba no seu bolso e não te leve ao endividamento e que você tenha controle para não sair antecipando incontáveis desejos, criando inúmeras parcelinhas e comprometendo grande parte da sua renda somente com o cartão.

  • Manter o dinheiro que tem aplicado: se o preço à vista de um determinado produto for exatamente o mesmo que o preço a prazo (e você realmente não conseguir nenhum desconto para o pagamento à vista), é indicado parcelar a compra. Assim, você mantém seu dinheiro rendendo em algum tipo de investimento e paga ainda com mais tranquilidade suas contas. Afinal, preço à vista ou a prazo tem diferença sim. E muita!

Leia também | Cartão de crédito: como funciona o dinheiro de plástico?

O principal ponto negativo da compra a prazo é:

  • Maior risco de fazer muitas parcelas e se endividar: fazer compras pode ser um verdadeiro vício para muitas pessoas. É necessário ficar atento para não entrar nessa onda. O cartão de crédito, com as compras a prazo e parceladas, fornecem a falsa sensação de que você tem muito dinheiro e que pode adquirir o que bem entender. Não é bem assim. A fatura fecha, a conta chega e se você não pagar em dia você se tornará mais um dos 63 milhões de brasileiros endividados, segundo dados da Serasa, com o nome sujo e com o score lá embaixo.

Mas, afinal, o que é melhor? Pagar à vista ou a prazo?

Para saber quando é melhor parcelar ou pagar à vista, você precisa considerar quatro questões:

1. Valor da compra

Trata-se de um dos critérios mais importantes para definir qual forma de pagamento irá utilizar. Se estivermos falando da aquisição de um carro ou de uma casa, por exemplo, dificilmente a pessoa terá a quantia total deste bem para escolher o pagamento à vista.

Já para as compras de itens mais baratos, é interessante priorizar o pagamento imediato, não comprometendo de antemão o orçamento do próximo mês.

2. Taxa de juros

Sempre que for efetuar uma compra a prazo é primordial que você fique de olho nas taxas que podem ser cobradas. E, no caso das compras com o cartão de crédito, jamais deixe de pagar a fatura no dia correto do vencimento e em sua totalidade, para não ter que lidar com juros exorbitantes.

Lembre-se que as compras parceladas comprometem seu orçamento por muito mais tempo e qualquer desequilíbrio pode ser o estopim para criar uma grande dívida, que cresce cada dia mais por conta dos altos juros.

3. Descontos

Oferecer condições especiais para pagamentos à vista é algo bem padrão no Brasil. Normalmente, os descontos para pagamentos em dinheiro costumam ser de 5% a 10%.

No geral, isso é bem interessante para o consumidor, que consegue adquirir seu produto com um desconto real. Mas em alguns casos é necessário pegar a calculadora e fazer as contas.

Vamos supor que você esteja pagando à vista, por exemplo, todas as mensalidades do ano da escola do seu filho e que a administração do colégio te ofereça 5% de desconto por este adiantamento.

Avalie se não vale mais a pena você pegar todo este dinheiro e colocar numa aplicação que renda mais que o desconto ofertado pelo colégio, ainda mais com a Selic subindo, podendo chegar a 11,25% ao fim de 2022, segundo as previsões do mercado.

Leia também | O que é Taxa Selic e como ela afeta sua vida?

4. Capacidade de pagamento

Cabe no meu bolso essa parcela? Posso mesmo comprar este produto à vista? São duas perguntas que você deve fazer antes de decidir a forma de pagamento da sua compra.

A regra de ouro é ter uma vida financeira organizada e planejar seu consumo avaliando sempre se seu orçamento não será prejudicado por conta daquela aquisição.

É preciso ter conhecimento das suas finanças e gastar menos do que ganha para evitar problemas no futuro. Utilize como apoio uma planilha de organização financeira, um aplicativo ou até mesmo um bloco de notas. Mas verifique antes se você realmente pode e deve fazer aquela compra. Combinado?

Agora que você já sabe o que é melhor para manter sua vida financeira saudável, continue acompanhando o blog da Serasa para ter acesso a mais conteúdos exclusivos sobre educação financeira.