Entrar

Firewall: entenda a parede de fogo que protege seu computador

O firewall é uma parede protetora para filtrar o tráfego de dados na rede. Entenda como ativá-lo no seu computador.

Colunista marlise brenol
Publicado em: 04 de julho de 2022.

No filme Firewall, segurança em risco, Jack Stanfield, interpretado por Harrison Ford, é um alto executivo que desenvolveu um sistema eficiente antifraude para o sistema financeiro. As camadas de proteção tornaram as transações bancárias bastante seguras, mas muitas vezes o problema na ficção e na realidade não são as máquinas, são as pessoas.

O nome do filme lançado em 2006 e dirigido por Richard Loncraine faz referência ao sistema de segurança chamado firewall, uma programação para proteger uma rede de computadores de invasores, hackers e malwares. A combinação de hardware e software permite o controle de acesso, criando filtros e fechando portas.

Muitas vezes os softwares instalados nas máquinas, e os sistemas operacionais apresentam falhas ou de fabricação ou por desatualização. Estas lacunas são chamadas de backdoors ou portas dos fundos, e é por meio delas que hackers conseguem identificar as brechas e invadir os computadores.

Portanto, o firewall é a camada instalada entre um computador e sua conexão com uma rede interna ou com a internet. O software é capaz de filtrar o tráfego de rede, como se fosse um guardião do portal, definindo o que pode passar e o que deve ser bloqueado. Ao identificar potenciais ameaças, o tráfego é interrompido e a transmissão não se realiza.

O firewall pode ser comparado ao ingresso em uma viagem de avião. Para embarcar é preciso chegar com antecedência, apresentar a passagem aérea, se identificar com documentação, despachar bagagem ou pesar a mala de mão. Se todos os critérios forem cumpridos, o passageiro embarca, se não, ele será barrado.

Há dois tipos de funcionamento do firewall para redes de computadores. Um deles estabelece como critério que todo o tráfego é permitido menos o que for identificado como ameaça e, portanto, é bloqueado. O outro, mais restritivo, define que todo o tráfego é bloqueado, a não ser as transmissões previamente autorizadas.

Leia também | Segurança da Informação: 5 dicas para proteger os seus dados

Quais os tipos de firewall

Há diferentes serviços de firewall no mercado, com metodologias diversas, algumas mais rígidas e outras flexíveis. A escolha deve considerar o tamanho e estrutura da rede a ser protegida, as necessidades específicas, a demanda de restrição de tráfego e outros critérios específicos. Mas é importante compreender, pelo menos, os tipos proxy e inspeção de estados.

O tipo proxy é requisitado por grandes redes de computadores e potencialmente intermedia uma rede interna a outra rede externa, como a internet. O serviço é instalado em servidores potentes pois devem ser capazes de lidar com um volume alto de requisições. Este tipo de camada impede a conexão direta, ou seja, todo tráfego passará pelo seu filtro.

O firewall do tipo inspeção de estados funciona na busca de padrões aceitáveis de tráfego de dados para serem utilizados como parâmetro. Ou seja, os critérios de filtragem são desenvolvidos a partir do comportamento da própria rede. Nesta lógica, se acontecer o tráfego em uma porta pouco usual, a conexão automaticamente será bloqueada.

Leia também | Segurança de dados: o que é e como funciona a legislação

Como desativar o firewall

O sistema operacional dos computadores, via de regra, vêm com firewall instalado. Na configuração padrão, o comando estará ativado para rede de domínio, redes privadas e redes públicas. Porém, cada usuário de computador pessoal poderá autorizar requisitos de rede ou mesmo desativar o firewall.

Quando o firewall estiver ativado, a maioria dos programas baixados da internet terá a instalação impedida. Para desbloquear um programa, o usuário deverá autorizar o download na lista de exceções. A recomendação é que programas de origem não reconhecida não sejam baixados nas máquinas, mas a escolha é do usuário.

Uma outra configuração bloqueia todas as tentativas de conexão ao computador. É uma camada a mais de proteção e pode ser usada quando houver conexão a uma rede pública em um espaço comercial, um hotel ou aeroporto. Neste modelo, os programas na lista de exceções serão ignorados, ou seja, o usuário não será nem perguntado.

Mesmo com a configuração de bloquear todas as conexões de entrada, o usuário poderá acessar a maioria das páginas da internet, enviar e receber e-mails e enviar e receber mensagens instantâneas. O bloqueio será automático para instalação de programas e arquivos.

Já a configuração firewall desativado não costuma ser utilizada. Mas esta opção existe nas máquinas porque o usuário pode ter outro firewall em execução no computador ou estar protegido pelo firewall da rede de computadores corporativa, por exemplo. É preciso atenção ao desativar o firewall pois a máquina estará mais vulnerável a danos de hackers e softwares maliciosos.

Leia também | Os três pontos-chave da LGPD: finalidade, consentimento e minimização

Como ativar ou desativar o firewall (passo a passo feito no computador Windows)

1. Abra o firewall clicando no botão Iniciar, depois em Painel de Controle;
2. Com o painel aberto, clique em Segurança e, em seguida, em Firewall;
3. Clique em Ativar ou desativar o firewall;
4. Se for solicitada uma senha ou confirmação do administrador, digite a senha ou forneça a confirmação.
5. Clique em Ativar (recomendado) ou em desativar e, em seguida, clique em OK.

Mesmo com o firewall ativado, muitas vezes as ameaças estão à espreita. Às vezes nós mesmos deixamos o sistema vulnerável a ataques. Foi o caso na ficção do filme Firewall, segurança em risco, citado na abertura do texto. Jack Stanfield tinha todo sistema de segurança da informação funcionando, mas os criminosos conseguiram fragilizá-lo de outra forma.

Sem spoilers, mas com um alerta, o personagem nos ensina que precisamos estar atentos o tempo todo para medidas de segurança online e offline. Em muitos casos, os golpistas e fraudadores aproveitam uma brecha da vítima que acaba cedendo informações sigilosas involuntariamente.

Assista | Como o Serasa Premium protege os seus dados? - Serasa Ensina

Por isso, cuidar da proteção dos dados pessoais e dos dados financeiros é imprescindível. Toda a atenção é importante! O serviço de assinatura Serasa Premium pode ajudar te ajudar muito nisso: ele monitora o comportamento do seu Score financeiro e rastreia e alerta quando dados pessoais seus são vazados na internet.