Entrar

Investidor qualificado: saiba como é a certificação

O investidor qualificado tem certificações específicas e mais de R$1 milhão em investimentos. Quer entender tudo sobre o assunto? Leia o nosso post!

Jornalista Serrana Filetti
Publicado em: 26 de julho de 2022.

Embora pareça, investidor qualificado não é exatamente um elogio a quem aplica bem o dinheiro. É mais que isso! Na verdade, essa é uma classificação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para pessoas que têm amplo conhecimento sobre investimentos financeiros.

Além disso, o investidor profissional e qualificado é aquele que tem certificações que comprovam isso ou valores elevados em aplicações. Se você tem interesse no assunto e deseja saber mais sobre o que é ser um investidor qualificado e como funciona o processo de certificação, continue lendo o nosso post.

Por aqui vamos esclarecer todas as suas dúvidas. Acompanhe a leitura!

O que é um investidor qualificado?

O investidor qualificado é definido pela Comissão de Valores Mobiliários como aquele que tem mais de R$ 1 milhão investidos. Ele também declara que foi aprovado em exames de qualificação técnica ou certificações da CVM. Além disso, o conceito de investidor qualificado é usado em vários países como forma de regular o mercado e, ao mesmo tempo, proteger o pequeno investidor.

Outra diferença do investidor qualificado é que ele possui mais conhecimento do mercado e assim compreende os riscos quando faz qualquer tipo de aplicação. Portanto, ele gerencia melhor os investimentos, mas sem prejudicar o patrimônio. Porém, para que não fique nenhuma dúvida sobre o que são investidores qualificados, veja o que diz o artigo 12 da Resolução 30/2021 da CVM:

• Investidores profissionais.
• Pessoas naturais ou jurídicas com investimentos financeiros em valor superior a R$ 1 milhão e que atestem por escrito sua condição de investidor qualificado.
• Pessoas naturais aprovadas em exames de qualificação técnica ou que têm certificações aprovadas pela CVM para o registro de agentes autônomos de investimento.
• Pessoas aprovadas para exercer funções como administradores de carteira de valores mobiliários, analistas de valores mobiliários e consultores mobiliários.
• Clubes de investimento, desde que tenham a carteira gerida por um ou mais cotistas que sejam investidores qualificados.

Por fim, a CVM define como investidor qualificado toda pessoa que possui aporte e conhecimento dos investimentos onde aplica.

Como funciona o processo de certificação para um investidor qualificado?

Para você se tornar um investidor qualificado CVM, tem de passar por um processo de certificação e cumprir os critérios estabelecidos pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). De acordo com a entidade, há vários tipos de certificações. Confira:

Certificação CGA

Destinada a quem deseja atuar na gestão de recursos de terceiros e em fundos de investimento, ações etc. Serve, ainda, para o investidor qualificado que toma decisões de compra e venda de ativos de carteiras. Para ter a certificação CGA é necessário realizar uma prova com 45 questões e acertar pelo menos 70% delas. Para saber mais sobre o certificado, acesse aqui.

Certificação CEA

É indicada para assessores de investimento, ou seja, profissionais que indicam produtos para consumidores e assessores. Para você ter essa certificação, deverá fazer uma prova com 70 questões. Se você se interessou pelo assunto, pode obter mais informações no site da Ambima.

Certificação CFP

É uma certificação internacional voltada para profissionais que desejam atuar como planejadores financeiros pessoais. Se você se interessou por esse certificado, saiba que só vai consegui-lo mediante aprovação de uma avaliação com 100 questões. A prova é aplicada pela Associação Brasileira de Planejamento Financeiro (Planejar).

Certificação CNPI

Já a certificação CNPI é feita pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec). Ela também é indicada para analistas de investimentos que trabalham no mercado de capitais. O documento também é emitido e a prova é realizada pela Anbima.

Ainda pode ser necessário pagar uma taxa para fazer o exame e apresentar o diploma de graduação reconhecido pelo MEC. A principal função da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais é proteger os investidores de riscos maiores ao seu patrimônio, resultando em perdas significativas.

Além de ter uma dessas certificações, o investidor qualificado deve solicitar à corretora ou banco em que pretende investir o Termo de Investidor Qualificado para preencher e confirmar o próprio perfil.

Quais são os outros requisitos para ser considerado um investidor qualificado?

Com a certificação em mãos, é hora de ver se você pode ser considerado um investidor qualificado. Veja os demais requisitos:

Ter um patrimônio investidor de mais de R$ 1 milhão

Se você tiver mais de R$ 1 milhão de patrimônio investido no Brasil, o processo para se tornar um investidor qualificado será simples. Você só terá de solicitar o Termo de Investidor Qualificado junto à sua corretora de valores ou banco. O documento deverá ser assinado antes de você fazer qualquer investimento que se aplica a essa categoria.

Além disso, você terá uma vantagem ao preencher o Termo de Investidor Qualificado, pois poderá testar os conhecimentos sobre os demais ativos restritos ao público em geral. Quem sabe você não tenha a oportunidade de aumentar seu rendimento?

Trabalhar com investimentos em certas categorias

Quem trabalha como investidor profissional pode ser considerado investidor qualificado. Além disso, é necessário:

• fazer parte de clubes de investimento, desde que tenha a carteira gerida por um ou mais investidores qualificados;
• ser agente autônomo de investimento;
• ser administrador de carreira;
• ser analista e consultor de valores mobiliários;
• ser aprovado especificamente para a categoria de investidor qualificado.

Quais as diferenças entre o investidor profissional e o qualificado?

Muitas pessoas pensam que os dois são a mesma coisa, pois o investidor profissional pode ser considerado qualificado. Porém, o contrário não é verdadeiro. A gente explica: o investidor profissional tem de ter pelo menos R$ 10 milhões investidos, enquanto o qualificado precisa ter “apenas” R$ 1 milhão.

Também é possível encontrar a definição de investidor profissional na mesma resolução que citamos neste artigo. Portanto, a norma diz que as instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central podem ser consideradas investidores profissionais.

O mesmo acontece com as companhias seguradoras e sociedades de capitalização e com as entidades abertas e fechadas de previdência complementar. Outra definição de investidores profissionais são pessoas naturais ou jurídicas que têm investimentos financeiros em valor superior a R$ 10 milhões. Veja outros tipos de investidores profissionais:

• fundos de investimento;
• clubes de investimento com carteira gerida por administrador de carteira de valores mobiliários autorizado pela CVM;
• agentes autônomos de investimento;
• administradores de carteira de valores mobiliários;
• analistas de valores mobiliários;
• consultores de valores mobiliários autorizados pela CVM;
• investidores não residentes.

Quais as vantagens de ser um investidor qualificado?

Entre as principais vantagens de ser um investidor qualificado, podemos citar:

Vários tipos de investimento à disposição

Sem dúvida, a primeira vantagem de ser um investidor qualificado são os vários tipos de investimento que ficam à disposição. A CVM permite, por exemplo, que o profissional tenha acesso a ativos restritos ao público em geral, ou seja, você fará parte de um grupo seleto de investidores.

Leia também: Investir em ativos financeiros: entenda como funciona

Aplicação em fundos de investimento voltados ao exterior

Alguns desses atrativos são os fundos de investimento voltados ao exterior. Também há os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs), entre outros. Além disso, esses investimentos têm taxas de rentabilidade atrativas.

Investimentos com custos menores

Outra vantagem é investir em fundos de investimento ou índices com custos menores, como taxa de administração mais barata que a oferecida aos demais investidores. Portanto, o acesso a diferentes produtos financeiros e até exclusivos abre várias oportunidades de rentabilidades superiores aos investimentos comuns e também na montagem de carteiras diversificadas e fortificadas.

Leia também: Como investir dinheiro e fazer ele trabalhar para você

Aumento de renda para cuidar da saúde financeira

Outra grande vantagem de ser um investidor qualificado é ter a possibilidade de aumentar a renda, pois há muitos ganhos, e de cuidar da saúde financeira. Com isso, o investidor poderá quitar as dívidas, o que beneficia a pontuação do Score.

Veja o vídeo sobre como deixar o Score nas alturas!

Portanto, como você viu neste artigo, há várias vantagens de ser um investidor qualificado. No entanto, prepare-se para lidar com os riscos, pois os investimentos costumam ser mais complexos e pouco conhecidos. Por isso, é preciso ter cautela na hora de montar uma carteira.

Gostou do conteúdo? Saiba também como consultar o Score!