Entrar

Saiba o que é rentabilidade e a importância dela em investimentos

Aprenda o que é e como analisar a rentabilidade antes de aplicar seu dinheiro e entenda o retorno dos seus investimentos.

colunista Fabiana Ramos
Publicado em: 13 de julho de 2022.

Quem quer entrar no mundo dos investimentos precisa ter muito claro em mente o que é rentabilidade. Fazer algum tipo de aplicação exige planejamento financeiro para entender exatamente que retorno esperar e não ter nenhuma surpresa desagradável no percurso.

A rentabilidade deve ser sua principal aliada na hora de tomar uma decisão e fazer a escolha por determinado tipo de investimento, pois ela é basicamente a taxa que sua aplicação trará retorno ao longo do tempo.

Atenção! Há três conceitos muito próximos onde é preciso entender a diferença: rentabilidade, lucratividade e liquidez. Mas fique tranquilo que é mais fácil do que parece e vamos te ajudar a distinguir com facilidade cada um deles e o que representam dentro do investimento que você fizer.

Leia também | Investimento para iniciantes: qual é a melhor opção?

O que é rentabilidade?

Rentabilidade é a porcentagem de retorno que você terá em cima de determinado investimento. Ou seja, o quanto o investimento é capaz de produzir de lucro e trazer rendimento sobre a aplicação realizada. Para termos isso mais claro vamos ver um exemplo.

Em uma situação hipotética, você decide investir R$ 10 mil, mas está na dúvida sobre qual produto de investimento será melhor para o seu perfil. Ao fazer suas pesquisas, você descobre uma opção que te trará 5% de rentabilidade ao ano. Isto significa que você terá um rendimento de R$ 500 anuais.

Este valor ainda não é a lucratividade que o investimento está trazendo. Mas, na maioria das vezes, é a rentabilidade que vai dizer o quanto compensa ou não colocar seu dinheiro em determinada aplicação e se de fato é a que está mais adequada para seus objetivos e expectativas dentro de um intervalo de tempo estabelecido como meta.

Tipos de rentabilidade: nominal e real

Assim como o salário, a rentabilidade pode ser bruta ou líquida. A rentabilidade bruta é aquela que não considera os descontos de impostos e taxas, é o rendimento total, enquanto a rentabilidade líquida é calculada considerando todas essas deduções e ainda a inflação. Este cálculo é importante na sua tomada de decisão e ajuda a entender, por exemplo, se a rentabilidade de um título do Tesouro Direto ou a de um fundo de investimento estão com os melhores retornos.

Rentabilidade nominal é o rendimento bruto total. É a que vem informada juntamente com o produto de investimento. Ela é mais fácil de ser calculada e desconsidera todos os descontos como inflação, impostos, taxas de administração, de performance, taxa de entrada e de saída, nos casos de produto de previdência privada, entre outros.

Rentabilidade real é o rendimento líquido dos seus investimentos. Para calcular, é considerada a inflação do período e demais cobranças (impostos e taxas) e é ela quem vai mostrar o valor exato que sua aplicação está gerando. Se o rendimento for maior do que o índice de inflação, significa que a rentabilidade é boa.

A rentabilidade real mostra para o investidor uma visão mais clara, traz um cenário mais concreto sobre o aumento do patrimônio e o poder de compra gerado com o retorno do investimento feito. Pois, por exemplo, se você teve uma rentabilidade de 3% e a inflação também aumentou 4%, você não teve uma rentabilidade positiva, e, apesar de você achar que “ganho” 3% com aquela aplicação, na realidade, a rentabilidade foi até mesmo negativa.

Leia também | Benchmark: entenda como impacta seus investimentos

Aprenda a diferenciar rentabilidade, lucratividade e liquidez

Estes três conceitos podem ficar um pouco confusos na cabeça de quem está começando a investir, mas é muito importante ter clareza sobre o que é cada um e entender o papel de cada um deles dentro do cálculo de retorno dos investimentos. Ao entender a diferença, o investidor tem um cenário mais realista e poderá aplicar seu dinheiro com muito mais segurança, chegando assim, a tomadas de decisões mais assertivas.

Rentabilidade: porcentagem de retorno sobre o investimento realizado.

Lucratividade: é o valor líquido de retorno após o desconto de todos as despesas. Exemplo: você precisou investir R$ 50 para a fabricação de determinado produto e você consegue vendê-lo por R$ 100. Desta forma, o valor líquido é de R$ 50, o que significa que você teve uma lucratividade de 100%.

Liquidez: o conceito de liquidez envolve dois pontos principais: facilidade e velocidade de transformar um ativo em dinheiro novamente, por um valor justo. Por exemplo, a venda de um imóvel normalmente tem baixa liquidez, pois exige que tenha uma demanda de compradores e até mesmo tempo para liquidar o investimento. Um outro exemplo: quando uma pessoa opta por comprar o carro X porque é mais fácil vender depois, ela está pensando na liquidez.

No contexto do mercado financeiro e dos investimentos, os critérios são amplos, mas quando falamos em liquidez estamos pensando no tempo necessário que você vai levar para resgatar determinada aplicação. Algumas podem ser resgatadas no mesmo dia, como é o caso dos títulos do Tesouro Direto, outras podem levar dias e há ainda algumas (como em alguns fundos de investimento), que podem levar meses.

Alta rentabilidade

Basicamente é quando o retorno sobre o investimento é acima da média do mercado. Um investimento de renda fixa, por exemplo, deveria pagar no mínimo 100% do CDI. Então, quando o retorno estiver acima desta porcentagem, podemos dizer que ela tem alta rentabilidade.

Leia também | Quais são as melhores opções de investimento a longo prazo?

Para investir, a pesquisa sempre é a melhor estratégia!

Cada caso é um caso e vale uma análise entre outras aplicações similares para dizer se o investimento X possui uma alta rentabilidade ou se está abaixo de outros do mercado. Nem sempre o critério é comparativo, por isso vale investigar os produtos financeiros como um todo antes de chegar a uma conclusão.

Investir não é nenhum bicho de sete cabeças, mas exige atenção e conhecimento de alguns conceitos que vão fazer total diferença na hora de decidir, dentre as várias opções de investimento, por aquela que está mais alinhada com sua expectativa e realidade. A partir do momento que se conhece e interliga as questões principais de como fazer um investimento, o investidor terá mais segurança e velocidade para tomar suas decisões e tornar suas aplicações cada vez mais rentáveis. Isso vai trazer um melhor retorno e melhor eficácia nas ações tomadas.

Há muitas variáveis no mercado e pouco a pouco cada uma delas vai deixar de ser algo desconhecido para se tornar aliada nas escolhas que deverão ser feitas. Use estas variáveis a seu favor, use estes dados para ser cada vez mais assertivo e preciso nas tomadas de decisões que precisar fazer com seu investimento.

Quer saber mais desse assunto? Acesse o canal do Youtube da Serasa e comece a se familiarizar com os termos sobre investimentos, aumentando o seu conhecimento e, por que não, o seu patrimônio. Bora investir?

Assista | Selic e Ipca: o que é e como funciona?