Entrar

Como declarar empréstimo no imposto de renda? Veja o passo a passo

Confira quando é obrigatório informar à Receita Federal sobre sua tomada de empréstimo

Foto Vanessa Conulista
Publicado em: 25 de março de 2022.

Todo cidadão que declara imposto de renda tem dúvidas se é obrigatório incluir um empréstimo feito.
Apesar de ser uma ação que todos os anos é feita, muitas pessoas ainda se questionam o que é imposto de renda e o que precisa ser informado no documento. Declarar empréstimo no imposto de renda, por exemplo, é uma dúvida muito frequente.

Essa questão foi levantada principalmente por pessoas que nunca haviam solicitado empréstimos, mas que, devido à pandemia da Covid-19, tiveram que recorrer a esta solução para continuar honrando seus compromissos financeiros.

Para se ter uma ideia dessa quantidade de pessoas que podem se encontrar nessa situação, uma pesquisa realizada pela Serasa em parceria com a Opinion Box revelou que 64% dos entrevistados sofreram impacto na vida financeira devido à pandemia.

Mesmo com o auxílio emergencial liberado pelo Governo Federal – que representou 41% dos entrevistados –, muitas pessoas não conseguiram bancar suas contas básicas e precisaram recorrer ao empréstimo.

E claro, diante dessa situação, o número de brasileiros que precisam declarar empréstimo no imposto de renda tende a aumentar muito em 2022. É este, então, o principal objetivo deste conteúdo. Se você se encontra nessa situação e está em dúvida se é ou não necessário declarar seu empréstimo, continue a leitura e boa sorte.

É obrigatório declarar empréstimo no imposto de renda?

A resposta é: depende. Você só precisa fazer a inclusão de empréstimos e financiamentos caso tenha contratado ou quitado valores acima de R$5 mil reais no ano anterior ao da declaração do IR, ou seja, em 2022.

Quais empréstimos devem ser declarados no imposto de renda?

Sabendo dessa regra de que, a partir de R$5 mil, os empréstimos precisam ser declarados, é importante saber também que isso independe da fonte.

Ou seja, se você pegou dinheiro emprestado de alguma instituição financeira ou mesmo de um amigo ou parente, é necessário declarar o empréstimo no imposto de renda.

E no caso de empréstimo de amigos ou familiares, não esqueça de garantir que ele também vá declarar que te emprestou o dinheiro. Isso é importante para não dar divergência nas declarações.

Passo a passo para declarar empréstimo no imposto de renda

Para fazer a declaração, o contribuinte precisa acessar o site da Receita Federal e fazer o download do programa IRPF. Há a possibilidade também de baixar um app no celular ou tablet, que estão disponíveis tanto para Android ou iOS.

Após fazer o download, é só seguir o passo a passo abaixo e iniciar a declaração. Confira:

1. Tipo de declaração

Este campo serve para agilizar o processo de entrega da declaração. Caso você já tenha feito alguma declaração em anos anteriores, é possível herdar os dados. Confira as opções disponíveis:
● Nova Declaração: se esta for sua primeira declaração ou se você optar por iniciar o processo do zero;
● Importar Dados IRPF anterior: se você quiser aproveitar os dados parciais ou integrais de declarações anteriores. Só não esqueça de confirmar se todos os dados lá estão corretos.
● Importar Declaração Pré-Preenchida: caso você já tenha iniciado o processo anteriormente, ou seja, iniciou, mas não fez a entrega da declaração. Neste caso, os dados ficam salvos para você concluir num outro momento.

2.Dados pessoais

Após escolher o tipo de declaração, você vai inserir ou alterar os dados pessoais, como endereço e documentos.

3. Empréstimos contratados ou pagos no ano anterior
Agora é hora de compilar os dados de empréstimos tomados ou quitados no ano anterior para fazer sua declaração.

4. Dívidas e Ônus Reais

Após ter todas as informações do empréstimo e já ter inserido seus dados pessoais no sistema, é hora de iniciar a declaração da dívida. Para isso, é necessário selecionar a opção “Dívidas e Ônus Reais”. O único tipo de empréstimo que não deve ser inserido aqui é o empréstimo com garantia, pois este se enquadra na ficha Bens e Direitos.

5. Especificação do credor
Aqui você vai especificar o código do agente financeiro que cedeu o empréstimo:

a. Código 11 – Estabelecimento bancário comercial: Empréstimos concedidos por bancos.
b. Código 12 – Sociedades de crédito, financiamento e investimento: Empréstimos concedidos por financeiras (instituições privadas que fornecem empréstimo e financiamento).
c. Código 13 – Outras pessoas jurídicas: Empréstimos concedidos por empresas de outros segmentos.
d. Código 13 – Pessoas físicas: Empréstimos concedidos por pessoa física.
e. Código 13 – Empréstimos contraídos no exterior: Empréstimos contratados fora do Brasil.
f. Código 13 – Outras dívidas e ônus reais: Empréstimos que não se enquadram nas opções anteriores.

6.informações sobre o empréstimo

Agora você vai discriminar os dados do empréstimo, como o motivo da contratação, número de parcelas e os dados do agente financeiro.

Muito cuidado nessa etapa, pois é aqui que a Receita Federal vai confirmar se os recursos declarados foram suficientes para o pagamento parcial ou total do empréstimo.

7.Valores do empréstimo

O valor total do empréstimo e o que foi pago até o momento da declaração será informado aqui. Normalmente, as instituições financeiras costumam enviar um documento anual com todos os dados que você precisa informar aqui. Caso não tenha recebido, entre em contato.

Se você tem contrato de empréstimo ativo em mais de um lugar, declare individualmente no IR. Ao fim do preenchimento, aparecerá uma lista geral de todos os empréstimos tomados.

8.Continue sua declaração

Prontinho. A partir daqui você já pode seguir sua declaração normalmente, inserindo outros dados pertinentes para concluir e enviar seu imposto de renda.

Quem precisa declarar Imposto de Renda

Antes de iniciar sua declaração, é preciso ficar atento também a quem não precisa declarar imposto de renda.

Para te ajudar a ter mais clareza sobre declarar ou não, confira quem precisa declarar imposto de renda em 2022:

1. Quem recebeu rendimentos tributáveis (como salários e aluguéis), cuja soma anual foi superior a R$ 28.559,70.

2. Quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte (por exemplo: indenizações trabalhistas, caderneta de poupança ou doações) em valor superior a R$ 40 mil.

3. Quem, em qualquer mês, obteve ganhos na venda de bens ou direitos sujeitos à incidência de Imposto de Renda, como imóveis vendidos com lucro.

4. Quem realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas (investimentos).

5. Quem teve, no ano anterior, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural.

6.Quem tinha, em 31 de dezembro do ano anterior, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil.

Agora ficou mais claro se é preciso ou não declarar empréstimo no imposto de renda e como fazer isso, certo?

Ao final da declaração, lembre-se de confirmar se você terá dinheiro pago a restituir, ou se será necessário pagar mais imposto. Nesta última situação, caso você precise de ajuda para quitar o imposto devido, pode recorrer a um empréstimo também.
Uma forma de conseguir isso de forma segura e com taxas mais acessíveis pode ser fazendo a simulação direto no eCred, plataforma da Serasa onde você tem acesso a diversas possibilidades de crédito, de forma segura e com juros mais baixos. Acesse e conheça.