Entrar

Certificação CFP®: como se tornar um planejador financeiro?

Saiba por que a Cerfificação CFP® é tão respeitada no mercado financeiro e como fazer para conquistar a sua

colunista Fabiana Ramos
Publicado em: 28 de março de 2022.

Para quem aspira trabalhar no mercado financeiro, obter uma certificação é uma das formas de se diferenciar do restante dos profissionais. A certificação CFP® é uma sigla que significa Certified Financial Planner ou, traduzindo literalmente, Planejador Financeiro Certificado. Apesar de ser reconhecida internacionalmente, ela não é uma certificação obrigatória.

Isto quer dizer que um planejador financeiro pode atuar exercendo a atividade de planejador financeiro pessoal sem o certificado, mas, com ele em mãos, além obter mais credibilidade e respeito em sua área de atuação, a possibilidade de se conseguir cargos em determinadas empresas que o exigem aumentam e muito.

Se você tem interesse em saber mais sobre a profissão e como se faz para ser um planejador certificado, continue a leitura que te explicaremos tudo.

Certificação CFP®: o que é?

A certificação CFP®, ou Certified Financial Planner, é gerida pela Financial Planning Standards Board (FPSB), uma instituição norte-americana que é responsável pela divulgação, planejamento e controle do uso das marcas CFP® fora dos Estados Unidos.

No Brasil, a associação sem fins lucrativos Planejar (Associação Brasileira de Planejamento Financeiro) é a representante oficial e única entidade brasileira autorizada a conceder a Certificação CFP® para profissionais que atendam aos padrões exigidos mundialmente.

Ela é uma certificação não obrigatória, internacional, que prepara o profissional para o exercício da atividade de planejador financeiro pessoal.

Esta certificação abrange 6 áreas:

  • Planejamento Financeiro e Ética

  • Gestão de Investimentos

  • Planejamento da Aposentadoria

  • Gestão de Riscos e Seguros

  • Planejamento Fiscal

  • Planejamento Sucessório

O que faz um planejador financeiro?

O ano de 2021 terminou com 64 milhões de brasileiros em situação de inadimplência, de acordo com o Boletim Econômico de fevereiro deste ano, organizado pela Serasa. Com tanta gente precisando de ajuda para lidar com as finanças, que tal contar com a ajuda de um planejador financeiro?

Infelizmente, temos um percentual alto da população que não sabe lidar com o próprio dinheiro, e muito desse quadro se deve à falta de educação financeira.

O planejador financeiro é o profissional que pode fazer um diagnóstico da situação financeira atual de uma pessoa ou de uma família, é aquele que pontua os problemas, propõe mudanças e avalia os objetivos, as expectativas e necessidades do seu cliente. Ele possui conhecimentos de administração de investimentos, gerenciamento de riscos, previdência complementar, seguros, planejamento fiscal e sucessório.

Ou seja, suas principais atividades giram em torno do gerenciamento do patrimônio familiar ou individual de alguém, do controle do orçamento doméstico, da diluição de gastos e do auxílio da montagem de uma carteira de investimentos.

Leia também | Simulador de investimentos: quanto renderá o meu dinheiro?.

E como obter a Certificação CFP®?

Para se tornar um profissional CFP, e acordo com a Planejar, é necessário que se observe alguns requisitos:
  • Deverá ser aprovado no exame;

  • Comprovar a experiência profissional no atendimento direto com cliente pessoa física por 05 anos;

  • Aderir ao Código de Conduta Ética e Responsabilidade Candidato e Melhores Práticas;

  • Comprovar possuir curso de nível superior reconhecido pelo MEC.

Como é feito o exame para se obter a Certificação CFP®?

Para se candidatar à realização do exame, é necessário fazer a inscrição no site da Planejar e pagar uma taxa de R$ 1.430 para o exame completo, ou R$ 550 por módulo. No caso do candidato pretender fazer 2 módulos ou mais, cada módulo custará R$ 385.

O exame é composto por 140 questões de múltipla escolha com seis módulos do Programa Detalhado. Caso o candidato opte por realizar o exame completo, deverá apresentar um percentual mínimo de 70% de acerto das questões, observado o índice mínimo de 50% em casa módulo.

Já para o candidato que opta por fazer a prova em módulos, também deve ter índice de aproveitamento de 70% ou superior em cada módulo, no prazo de até 24 meses, ou 06 provas, contados a partir da data da primeira aprovação.

O material oficial de estudo é fornecido pela própria Planejar em parceria com uma editora. A coleção é composta por seis volumes, de acordo com os módulos do exame – Planejamento Financeiro, Gestão de Ativos e Investimentos, Planejamento de Aposentadoria, Gestão de Riscos e Seguros, Planejamento Fiscal e Planejamento Sucessório –, que também poderão ser adquiridos individualmente.

Para obter a aprovação na prova, é necessário muito estudo. Mas não se preocupe, pois existem diversos cursos preparatórios para a prova da certificação CFP®.

Para o ano de 2022, estão previstas 3 datas para a a realização do exame:

  • 40º Exame – dia 1º de maio;

  • 41º Exame – dia 21 de agosto;

  • 42º Exame – dia 06 de novembro.

Qual a diferença entre o profissional CFP® e os profissionais certificados pela ANBIMA (CPA-10, CPA-20 e CEA?

A diferença entre as certificações se refere ao objetivo e à forma de atuação de cada uma delas.

As certificações ANBIMA estabelecem princípios e padrões de conduta aos profissionais que desempenham prospecção ou venda de produtos de investimento, assessoria aos gerentes de contas de investidores e gestão profissional de recursos de terceiros.

A CPA-10 (Certificação Profissional ANBIMA Série 10) é destinada aos profissionais que atuam na distribuição de produtos de investimento em agências bancárias ou plataformas de atendimento.

A CPA-20 (Certificação Profissional ANBIMA Série 20) é destinada aos profissionais que atuam na distribuição de produtos de investimento para clientes dos segmentos varejo alta renda, private, corporate e investidores institucionais em agências bancárias ou em plataformas de atendimento.

A CEA (Certificação ANBIMA de Especialistas em Investimento) é uma certificação que habilita profissionais do mercado financeiro a atuarem como especialistas em investimentos. Eles podem recomendar produtos de investimentos para clientes em diversos segmentos, além de assessorar gerentes de contas.

Já a certificação CFP®, como já vimos, não é uma certificação obrigatória, mas voluntária. Enquanto as certificações ANBIMA descritas acima são referentes ao universo de investimentos, já vimos que o planejador financeiro também atua em outras áreas, como gestão de riscos, planejamento financeiro, fiscal, sucessório e para fins de aposentadoria, e não somente com investimentos.

Ficou interessado em trabalhar no mercado financeiro? Que tal se tornar um planejador com certificação CFP®? É uma excelente profissão, bem remunerada e (ainda) com pouca concorrência, já que hoje existem um pouco mais de 7 mil profissionais brasileiros certificados.

Leia também | Conheça os tipos de ações disponíveis na bolsa de valores