Entrar
Navegação do blog
  1. Carteira Digital
  2. Blog
  3. Qual O Fundo Imobiliario Que Mais Paga Dividendo

Qual fundo imobiliário paga mais dividendo?

Saiba o que é fundo imobiliário e quais são os que pagam mais dividendos.

Atualizado em: 26 de fevereiro de 2024

Categoria Carteira DigitalTempo de leitura: 10 minutos

Texto de: Time Serasa

Agente imobiliário discutindo e assinando contrato de seguro para proteção de casa explicando aos clientes

No universo dinâmico e estratégico do mercado financeiro, os investidores buscam incessantemente veículos que ofereçam oportunidades de crescimento e estabilidade. Nesse contexto, o fundo imobiliário é uma alternativa cada vez mais popular.

Essa modalidade de investimento é caracterizada pela diversificação em ativos do mercado imobiliário e tem conquistado a atenção de investidores de todos os perfis. Essa alternativa promete não apenas retornos financeiros atrativos, mas também a vantagem de participação em empreendimentos imobiliários sem a necessidade direta de gerenciamento.

Fundo imobiliário: o que é

Os fundos imobiliários ajudam a democratizar o acesso ao mercado imobiliário, pois permitem que investidores individuais participem de empreendimentos que, de outra forma, seriam reservados apenas a grandes corporações ou investidores institucionais.

Essa abordagem coletiva oferece uma gama diversificada de ativos, como escritórios, shopping centers e até mesmo empreendimentos logísticos, proporcionando aos investidores uma exposição equilibrada e menos arriscada ao setor imobiliário.

Como funciona o fundo imobiliário

Os fundos de investimento imobiliário (FIIs) são instrumentos financeiros que possibilitam aos investidores aplicar seus recursos no mercado imobiliário de forma indireta e coletiva. O funcionamento desses fundos é baseado em alguns princípios essenciais:

  1. Constituição do fundo

    Um gestor ou administrador é responsável por criar o FII. Esse gestor capta recursos de investidores, que se tornam cotistas do fundo.

  2. Diversificação de ativos

    Os recursos captados são direcionados para diversos tipos de ativos imobiliários, como edifícios comerciais, shoppings, hospitais, entre outros. Essa diversificação visa reduzir riscos e proporcionar aos cotistas um portfólio mais equilibrado.

  3. Cotas

    Os investidores se tornam cotistas ao adquirir cotas do fundo, que representam uma fração do patrimônio total. O número de cotas determina a participação proporcional de cada investidor no FII.

  4. Rentabilidade

    A rentabilidade do FII é proveniente dos rendimentos dos ativos imobiliários que compõem o portfólio, como aluguéis e eventuais ganhos de capital. Esses rendimentos são distribuídos periodicamente aos cotistas.

  5. Negociação em bolsa

    Os FIIs têm suas cotas negociadas em bolsa de valores, permitindo que os investidores comprem e vendam suas cotas de maneira mais fácil e líquida.

  6. Gestão profissional

    Um gestor profissional administra o fundo, tomando decisões sobre aquisição, venda e gestão dos ativos. A assembleia de cotistas, por sua vez, pode participar das decisões estratégicas em algumas situações.

  7. Riscos e benefícios compartilhados

    Ao investir em um fundo imobiliário, os participantes compartilham os riscos e benefícios do mercado imobiliário. Por meio do fundo, até mesmo investidores com montantes menores podem participar de grandes empreendimentos.

Os FIIs oferecem uma alternativa acessível e diversificada para quem busca exposição ao mercado imobiliário sem a necessidade de adquirir propriedades diretamente. No entanto, é crucial que os investidores compreendam o perfil do fundo, seus objetivos e os riscos envolvidos antes de decidir participar de um FII específico.

Assista | Falando Dinheirês: renda variável + tipos de perfis

Tipos de fundos imobiliárias

Os fundos imobiliários se dividem principalmente em três categorias distintas: fundos de papel, fundos de tijolo e fundos híbridos. Cada uma dessas categorias tem suas características específicas, abordando diferentes formas de investimento no mercado imobiliário.

  1. Fundos de papel

    ●     Características: investem predominantemente em ativos financeiros relacionados ao mercado imobiliário, como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e Letras de Crédito Imobiliário (LCIs). Dessa forma, esses fundos atuam mais como intermediários financeiros do que como proprietários de ativos físicos.

    ●     Objetivo: buscam retorno por meio dos juros provenientes desses ativos financeiros, oferecendo aos investidores uma maneira de se expor ao mercado imobiliário sem a posse direta de propriedades físicas.


  2. Fundos de tijolo

    ●     Características: investem diretamente em ativos físicos, como edifícios comerciais, shoppings, hospitais ou escolas e universidades. Esses fundos possuem propriedades reais e buscam retorno por meio da valorização e dos rendimentos gerados por aluguéis.

    ●     Objetivo: proporcionar aos investidores a oportunidade de se tornarem proprietários indiretos de ativos imobiliários, participando dos lucros provenientes da exploração dessas propriedades.


  3. Fundos híbridos:

    ●     Características: combinação de investimentos em ativos financeiros (papel) e ativos físicos (tijolo). Esses fundos buscam a diversificação, aproveitando as vantagens de ambas as categorias para mitigar riscos e otimizar retornos.

    ●     Objetivo: oferecer uma abordagem equilibrada, permitindo aos investidores se beneficiarem tanto dos rendimentos provenientes de ativos financeiros quanto da potencial valorização e receitas de aluguéis de ativos físicos.

Em resumo, a escolha entre fundos de papel, fundos de tijolo e fundos híbridos dependerá dos objetivos de investimento, do perfil de risco do investidor e das condições do mercado. Cada categoria apresenta suas próprias vantagens e desafios, proporcionando opções diversificadas para aqueles que buscam exposição ao mercado imobiliário por meio de fundos imobiliários.

Rentabilidade do fundo imobiliário

Os investidores podem ganhar dinheiro com fundo imobiliário de diversas maneiras, principalmente por meio da distribuição de rendimentos e do ganho de capital. Aqui estão os detalhes dessas fontes de retorno:

  1. Distribuição de rendimentos

    ●     Aluguéis e receitas: muitos FIIs investem em ativos imobiliários (fundos de tijolo). A principal fonte de renda para esses fundos é o aluguel recebido dos locatários. Os rendimentos provenientes dos aluguéis são distribuídos periodicamente aos cotistas, em geral mensalmente. São conhecidos como dividendos.

    ●     Juros de ativos financeiros: em alguns casos, os FIIs podem investir em ativos financeiros relacionados ao setor imobiliário (fundos de papel). Os rendimentos são gerados pelos juros e pela amortização desses títulos.


  2. Ganho de capital

    ●     Valorização das cotas: os investidores podem obter ganhos de capital ao venderem suas cotas do FII a um preço superior ao valor de aquisição. Essa valorização pode ocorrer devido à valorização dos ativos do fundo ou a outros fatores de mercado.

    ●     Participação em resultados de empreendimentos: alguns FIIs investem em empreendimentos em desenvolvimento. Os ganhos podem advir da venda desses empreendimentos ou da valorização das propriedades.

    Leia também | Saiba tudo sobre os tipos de investimentos financeiros

Dividendos

Os fundos imobiliários são obrigados por lei a distribuir pelo menos 95% dos lucros aos cotistas, sob a forma de dividendos. Esses valores são isentos de Imposto de Renda para pessoa física. Mas é preciso ter atenção às taxas de administração e de performance do fundo, pois estas acabam reduzindo o valor dos dividendos. 

Leia também | Melhores FIIs: qual fundo imobiliário paga mais dividendos?

Fundos imobiliários que mais têm pagado dividendos

Uma frase muito conhecida no meio dos investimentos financeiros é: “rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura”.  

Os fundos imobiliários pertencem à categoria de renda variável e são negociados na Bolsa de Valores (B3), portanto estão sujeitos às oscilações do mercado. O preço das cotas pode variar tanto para cima quanto para baixo devido a fatores como especulação do mercado, perspectivas do setor imobiliário e gestão do fundo. 

Com isso em mente, e sabendo que o mercado é bastante dinâmico, um fundo destacado como excelente hoje pode ser considerado ruim daqui a seis meses. Confira algumas opções que têm pagado bons dividendos até aqui.

  1. BTLG11

    O fundo imobiliário BTLG11, gerido pelo BTG Pactual, atrai investidores devido à consistência em dividendos e potencial de rendimento.

    Destaca-se pelo foco em ativos logísticos, inquilinos de qualidade, Dividend Yield atrativo (8,85%), valorização patrimonial (8,62%), histórico regular de pagamentos mensais (R$0,81 por cota em janeiro de 2024) e perspectivas promissoras, impulsionadas pela demanda contínua por logística e e-commerce.

    Esses elementos posicionam o BTLG11 como forte candidato a fornecer os melhores dividendos em 2024. 

     

  2. KNSC11

    O fundo imobiliário KNSC11, gerido pela Kinea, destaca-se pela estratégia focada em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

    Com taxa de dividendos de 12% nos últimos 12 meses (distribuiu R$0,07 por cota), considerando o preço atual, tem carteira diversificada e histórico sólido de pagamentos mensais.


  3. XPML11

    O fundo imobiliário XPML11, gerido pela XP Investimentos, apresenta diversificação geográfica e setorial, inquilinos renomados, Dividend Yield atrativo de 6,8%, gestão profissional pela XP Investimentos e potencial de valorização dos ativos imobiliários.

     

  4. CPTS11

    O fundo imobiliário CPTS11, gerido pela Capitania Securities II, destaca-se pela consistência em dividendos e potencial de rendimento, oferecendo nos últimos 12 meses um Dividend Yield atrativo de 10,45%.

    Além disso, apresentou uma valorização patrimonial de 8,60%, mantém uma carteira diversificada para estabilidade dos proventos e histórico regular de pagamentos mensais (R$0,0650 por cota em janeiro de 2024).

     

  5. LVBI11

    O fundo imobiliário LVBI11, também conhecido como VBI Logístico, tem enfoque em ativos logísticos, distribuiu R$ 0,90 por cota nos últimos 12 meses, gerando um Dividend Yield de 7,41%.

    Além disso, registrou uma significativa valorização patrimonial de 21,71%, mantém carteira diversificada em diversas localidades do Brasil e tem histórico consistente de pagamentos mensais, com o último rendimento de R$0,90 por cota em janeiro de 2024.

    A localização em estados como São Paulo, Paraná e Minas Gerais adiciona vantagem à diversidade geográfica do fundo.

Fonte de renda extra

O dividendo de um fundo imobiliário pode ser uma boa fonte de renda passiva para quem busca investimentos de longo prazo e deseja diversificar sua carteira de ativos. É importante, no entanto, realizar uma análise cuidadosa do histórico de distribuição de dividendos e do desempenho do fundo antes de tomar uma decisão de investimento. 

Para investir, é preciso primeiro organizar

organização financeira é fundamental para quem deseja alcançar seus objetivos financeiros de longo prazo. O investidor deve ter uma visão clara do orçamento pessoal, dos gastos e das metas financeiras que quer conquistar. 

Uma boa organização exige o acompanhamento de perto dos gastos, ajustando as despesas quando necessário e evitando dívidas e juros excessivos.  

Existem diversas ferramentas disponíveis para ajudar a organizar as finanças pessoais. Com a Carteira Digital Serasa, por exemplo, é possível pagar contas e fazer compras usando apenas o celular, permitindo assim o controle dos gastos.

Ter uma planilha financeira também ajuda a visualizar as entradas e saídas de dinheiro. Sem contar as diversas plataformas de investimentos online, em que é possível acompanhar os investimentos a qualquer hora. 

Tabela Financeira Serasa

Salve uma cópia da nossa planilha e organize suas finanças


Quer guardar dinheiro para realizar um sonho, trocar de carro ou ainda quitar aquela dívida que tira seu sono?

Não importa o motivo, a Serasa está com você! Clique no botão abaixo e salve uma cópia da nossa planilha financeira e mantenha a organização das finanças sempre em dia.

O essencial é criar uma rotina de acompanhamento das finanças e dos investimentos, ajustando a estratégia conforme as necessidades e os objetivos financeiros. 

Compartilhe o artigo

Este artigo foi útil?

Escolha de 1 a 5 estrelas para avaliar
Média de avaliação: 5 de 5

Artigos relacionados