Entrar

O que é Taxa Selic e como ela afeta sua vida?

Por Flavia Marques

Afinal, o que é Taxa Selic e por que é tão importante acompanhar esse indicador no seu dia a dia? Tire suas dúvidas sobre o assunto neste conteúdo.

Você sabe o que é Taxa Selic? Mesmo que não saiba, provavelmente já deve ter se deparado com esse assunto em algum meio de comunicação.

Aliás, a cada 45 dias, tudo o que envolve a Selic vira notícia no Brasil. Quer entender por quê? Neste artigo, vamos explicar em detalhes o que é a Selic e como ela impacta suas finanças. Continue a leitura!

Afinal, o que é Taxa Selic?

A Selic é a taxa básica de juros da economia do Brasil. Por isso, ela influencia todas as outras taxas de juros do país, como as que são aplicadas em empréstimos, financiamentos e até na rentabilidade dos investimentos. O nome Selic é, na verdade, uma sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

Quem define o valor da Selic é o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central). A cada 45 dias, os membros se reúnem para decidir se vão aumentar, reduzir ou manter o nível da Taxa Selic.

Como o Banco Central determina a Taxa Selic?

Agora que você já sabe o que é Taxa Selic, é importante entender como esse indicador é definido pelo Banco Central.

Para tomar essa decisão, o Copom sempre avalia a situação econômica e os indicadores financeiros do país naquele momento, já que qualquer mudança na taxa influencia diretamente a economia brasileira.

Em resumo, quando a Selic fica mais alta, as outras taxas de juros também aumentam e o resultado é uma desaceleração na economia. Essa estratégia normalmente é usada para impedir que a inflação cresça demais e que os consumidores percam poder de compra.

Por outro lado, quando a Selic é reduzida, as taxas de juros também ficam menores. Essa decisão tem como objetivo estimular o consumo e aquecer a economia. Quer um exemplo?

No auge da pandemia do coronavírus, em 2020, a economia foi bastante impactada com as medidas de isolamento social necessárias para conter o avanço da doença. O desemprego aumentou, a renda das famílias diminuiu e o consumo também caiu.

Na tentativa de estimular a economia nesse período delicado, o Banco Central optou por fazer sucessivos cortes na Taxa Selic, até que, em agosto, o indicador atingiu o seu menor nível histórico: 2,0% ao ano. Aliás, a Taxa Selic só saiu desse patamar em março de 2021.

E por que a Taxa Selic afeta os investimentos?

Quando explicamos o que é a Taxa Selic, mencionamos que suas mudanças também afetam a rentabilidade de vários investimentos. O Tesouro Direto, a poupança e os títulos de Renda Fixa são alguns exemplos e têm sua rentabilidade totalmente atrelada à Selic. Portanto, quando esse indicador cai, essas aplicações passam a render menos.

Por isso, quem investe precisa entender o que é Taxa Selic, acompanhar a evolução desse indicador e, de tempos em tempos, avaliar se a sua estratégia de investimento realmente está alinhada às oportunidades que o cenário econômico oferece.

Qual é a Taxa Selic hoje?

A Taxa Selic hoje está em 7,75% ao ano e foi definida pelo Copom no dia 27 de outubro de 2021. Na última reunião, o Comitê decidiu subir a Selic de 6,25% para 7,75% – quinta alta consecutiva.

Veja a evolução da Selic desde 2020:

18/06/20 | 2,25%

05/08/20 | 2,00%

28/10/20 | 2,00%

09/12/20 | 2,00%

20/01/21 | 2,00%

17/03/21 | 2,75%

05/05/21 | 3,50%

16/06/21 | 4,25%

04/08/21 | 5,25%

22/09/21 | 6,25%

27/10/21 | 7,75%

Por que a Selic está subindo de novo?

A Selic influencia muitas áreas da economia, mas, basicamente, pode ser usada para controlar a inflação e o consequente aumento generalizado de preços no país.

Em setembro de 2021, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a taxa de inflação no Brasil, fechou o mês em 1,16%. Para efeito de comparação, este é o maior valor registrado para o mês de setembro desde 1994.

Quando a inflação aumenta, os preços de bens e serviços ficam mais altos e o poder de compra dos consumidores diminui naquele período. Então, é preciso ter mais dinheiro para comprar os mesmos produtos de antes – e o impacto disso é maior para a parcela mais pobre da população.

Para conter a alta da inflação, uma das medidas adotadas pelos países é aumentar os juros. No caso do Brasil, como a Selic é a taxa básica de juros que regula a economia, o Banco Central decide aumentar esse indicador.

Quando aumenta a taxa de juros, o Banco Central faz com que os empréstimos fiquem mais caros, e a tendência é de que produção e consumo diminuam. Assim, o que se espera é que os preços também comecem a cair.

É importante destacar que, quando controlada, a inflação é parte normal das finanças de um país. O problema ocorre quando ela cresce ou cai de forma acelerada. Por isso, os ajustes na Taxa Selic são uma maneira de tentar manter a inflação dentro da previsão do ano, o chamado “teto da meta”.

Como o aumento da Taxa Selic impacta a minha vida?

Quando a Taxa Selic aumenta, os brasileiros sentem a diferença principalmente quando tentam solicitar crédito – tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas.

Na prática, com a Selic alta, quem precisa de um empréstimo, parcelamento ou financiamento acaba pagando mais caro para pegar dinheiro emprestado.

Leia também | O que observar ao fazer uma simulação de crédito?

Em momentos como esse, é ainda mais importante comparar diferentes ofertas antes de contratar qualquer modalidade de crédito. Para quem busca praticidade, o Serasa eCred, plataforma de crédito da Serasa, pesquisa, compara e recomenda as melhores opções de empréstimo disponíveis no mercado com base no perfil do consumidor.

O acesso à plataforma é gratuito e totalmente seguro. Todas as instituições financeiras parceiras da Serasa são regulamentadas pelo Banco Central e nunca pedem qualquer tipo de pagamento antecipado para conceder empréstimos – aliás, essa prática não existe no mercado e é um dos golpes financeiros mais comuns.

Leia também | Orientações da Serasa para se proteger de fraudes e golpes

Por outro lado, o aumento da taxa de juros faz que os investimentos de Renda Fixa atrelados a índices que seguem a Selic passem a valer mais. É o caso do CDI, por exemplo. De modo geral, a situação fica mais difícil para quem precisa pegar dinheiro emprestado, mas melhora para quem tem dinheiro investido em Renda Fixa.

Agora que você já sabe o que é Taxa Selic e com ela afeta o seu dia a dia, também percebeu a importância de ficar por dentro desse assunto para cuidar da sua vida financeira e tomar as melhores decisões ao pedir crédito ou investir. Continue acompanhando as dicas e conteúdos exclusivos no blog da Serasa!

serasaecred.com.br pertence e é operado pela Serasa S. A., uma sociedade anônima sob o CNPJ/MF 62.173.620/0104-95, com domicílio na Rua Dr. Léo de Carvalho, 74 – Sala 1105 – Bairro Velha – Blumenau-SC – CEP 89036-239. A Serasa S.A. não é instituição financeira. Somos um correspondente bancário das instituições: BANCO CBSS S/A – CNPJ: 27.098.060/0001-45, Banco Votorantim S.A. – CNPJ/ME: 59.588.111/0001-03, Banco Pan S.A. – CNPJ: 59.285.411/0001-13, Finamax S./A. – Crédito, financiamento e investimento – CNPJ: 00.411.939/0001-49 e possuímos uma plataforma online (“Serasa eCred”) que facilita o acesso de clientes a produtos e serviços ofertados por instituições financeiras parceiras e credenciadas na plataforma.

Os correspondentes bancários são empresas contratadas por instituições financeiras e demais instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil para a prestação de serviços de atendimento aos clientes e usuários dessas instituições. A atividade de correspondente bancário é regulada pelo Banco Central do Brasil, nos termos da Resolução nº. 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. Prazo de pagamento: varia de acordo com a Instituição Financeira escolhida, podendo ser entre 3 e 60 meses. Custo Efetivo Total (CET): varia de acordo com a Instituição Financeira escolhida, podendo ser entre 26,76% e 605,85% a.a. Exemplo: Empréstimo de R$5.000,00. Taxa de juros: 3,23% a.m. A pagar em 18 parcelas mensais de R$380,55. Total a pagar: R$6.849,90. IOF incluso: R$134,00. Tarifa: R$0. CET: 52,80% a.a.

O Serasa eCred tem como compromisso a transparência com nossos clientes. Antes de iniciar o preenchimento de uma proposta, serão exibidos de forma clara: a taxa de juros utilizada, tarifas aplicáveis, número de parcelas, impostos (IOF) e o custo efetivo total (CET). Nossa central de atendimento está disponível para esclarecimento de dúvidas sobre quaisquer dos valores apresentados. Serasa Consumidor informa: o Serasa eCred é uma plataforma de comparação de ofertas de crédito 100% gratuita para consumidores.

Não realizamos nenhum tipo de cobrança para apresentar a você as propostas de crédito dos nossos parceiros. Caso receba alguma cobrança, não faça nenhum depósito ou pagamento, e entre em contato com o nosso time de atendimento.