Entrar

Como a crise financeira pode afetar sua saúde mental?

Descubra como se proteger contra a crise financeira e se preparar para o futuro, sem que precise afetar sua mente!

colunista Veridiana Lopes
Publicado em: 30 de março de 2022.

Se tem uma coisa que tira o sono de qualquer um é saber que há contas em aberto que ainda não foram pagas. Quando esse tipo de realidade se torna ainda mais recorrente devido a uma crise financeira, as consequências podem ser graves em vários aspectos.

Leia o artigo completo e descubra como a crise financeira pode afetar muito mais além do seu bolso.

Pandemia, crise financeira, demissões em massa. Os últimos dois anos foram de muita transformação e de grandes impactos sociais, onde precisamos reaprender a conviver em sociedade e com as nossas próprias finanças. Afinal, com tantos cortes e demissões, foi preciso se reinventar. Isso não é tarefa fácil e pode gerar muitas cobranças para diversas pessoas, principalmente as mentais.

Como a crise financeira afeta a saúde mental?

A relação com o dinheiro pode arruinar a saúde emocional, ainda mais se vier acompanhado de uma crise. Essa é uma afirmação pesada, mas extremamente realista para o mundo em que estamos vivendo hoje em dia. Com a falta de dinheiro e com as contas em aberto é impossível não sofrer com o estresse financeiro. Pensando assim, a forma como você lida com o dinheiro e seus problemas financeiros podem impactar e muito sua saúde mental no dia a dia.

Saber que está sem emprego pode não ser a pior notícia do mundo, já que hoje há diversas formas de se manter — como auxílios e FGTS — enquanto se procura uma nova recolocação no mercado. Mas, saber que nem tão cedo você pode achar um bom emprego, pode tirar o sono de muita gente. Por isso, a incerteza financeira é a principal causa de ansiedade e preocupação na população em busca de recolocação profissional ou mesmo a procura de uma nova forma de melhorar a sua relação com as finanças.

Todo mundo que tem um emprego, está sujeito a passar por esse tipo de situação, tendo dificuldades para pagar suas contas ou viver com o mínimo de dignidade por mês. Mas, como falamos antes, devido a pandemia, nós vivemos momentos de incertezas, onde vários setores sofreram quedas e altos cortes. Justamente isso, aumentou ainda mais as preocupações financeiras da população.

E além de ter que se preocupar com uma pandemia, foi necessário se preocupar com o risco iminente de perder o emprego ou mesmo de ter que encontrar um novo emprego em uma grande crise de saúde. Isso, sem contar os problemas já comuns do dia a dia.

Situações como perder o emprego, contrair dívidas e ter gastos a mais que não estavam no planejamento, entre outras, podem afetar uma pessoa de diferentes formas. Diante disso, a sobrecarga e a exaustão mental foram bastante comuns, levando as pessoas ficarem com irritabilidade, nervosismo, alta preocupação, mudanças bruscas de humor, tensão, dor muscular, fadiga e até insônia.

Sintomas que são aparentemente nada fora do comum de um cotidiano já estressante, mas que podem piorar e eventualmente contribuir para um transtorno de ansiedade generalizada ou depressão. Por isso, é ideal tomar os cuidados certos caso queira manter sua saúde mental em dia.

Como não sofrer com a crise financeira?

Para garantir que a sua saúde mental esteja em foco e que você não precise mais sofrer com a crise financeira ao ponto de ter sintomas físicos. Preparamos algumas sugestões que tornarão a sua relação com o dinheiro muito mais fácil e tranquila.

Assim, para garantir que você esteja imune a esse tipo de acontecimento, se prepare, examine e entenda o seu relacionamento com o dinheiro, principalmente em momentos como esse. Dessa forma, ao buscar o autoconhecimento financeiro, você aprende com os erros e se prepara para um futuro muito mais abundante.

Tenha uma reserva de emergência

Sabia que o ideal é que todo mundo tenha uma reserva de emergência? Isso porque ela serve para garantir uma vida mais tranquila e segura, permitindo que você não precise se desesperar em caso de desemprego ou crise financeira.

Isso porque você não pode viver contando apenas com o seu salário, pois nunca se sabe os imprevistos que podem ocorrer. Então, não deixe de guardar uma parte do dinheiro todo mês para que assim consiga ter um futuro tranquilo!

Por isso, reserve uma parte de seu salário para garantir que em casos de necessidade, você não precise apelar para soluções mais radicais e caras ao longo prazo, como o empréstimo. Se você tem dificuldade em guardar dinheiro mensalmente, estabeleça pequenos objetivos/metas e de pouquinho em pouquinho, vá economizando dinheiro. Assim, vai ser muito mais fácil construir uma reserva financeira ideal para o seu futuro.

Tenha investimentos seguros para aumentar seu patrimônio

Hoje em dia, uma das melhores formas de proporcionar segurança para o seu futuro e das pessoas que ama é através de um bom investimento e, consequentemente, dos seus ganhos. Assim, você consegue manter o seu dinheiro valorizado de acordo com a inflação.

E acredite, hoje em dia você pode multiplicar o seu patrimônio e faturar bem com bons ativos que trazem uma alta rentabilidade. Até porque, segurança não é sinônimo de baixa rentabilidade no mercado de investimentos. As corretoras e outros consultores podem te ajudar a acessar opções inovadoras de investimentos, com uma carteira inteligente e balanceada de acordo com o seu perfil de investidor!

Descubra mais sobre como começar a investir aqui

Tenha diferentes fontes de renda

Independente do seu status atual, existem milhares de opções práticas e profissões que te ajudarão a ganhar dinheiro, caso queira usá-la como fonte de renda principal ou mesmo renda extra.

Use essa nova fonte de renda de forma inteligente. Não basta só ganhar o dinheiro e gastar sem pensar no amanhã. Pense que essa é a fonte financeira que te trará liberdade e tranquilidade no futuro.

E mesmo que você não use agora, é importante considerar que esse dinheiro tenha um fim inteligente e que preferencialmente você consiga multiplicá-lo, para aumentar seu valor e manter a valorização, o ideal é que siga a segunda recomendação, de investir o seu dinheiro, para que além de segurança, ele possa proporcionar a liberdade, a quitação de dívidas ou mesmo a realização de um sonho.

Agora que você entende como proteger a sua saúde mental e tem nas mãos as melhores opções para começar a poupar e se manter preparado para situações desse tipo, não deixe de compartilhar com uma pessoa que também precise aprender isso.