Entrar

Como resolver os problemas com dinheiro sem dor de cabeça?

Enfrentando problemas com dinheiro?

Vários problemas têm o poder de tirar o nosso sono. Mas, se você conversar com familiares e amigos, provavelmente os problemas com dinheiro estarão no topo da lista.

De acordo com o Mapa da Inadimplência, o estudo sobre endividamento mais recente realizado pela Serasa, mais de 62,5 milhões de brasileiros estão negativados, ou seja, com alguma dívida em atraso. Esse número representa quase 40% da população adulta do país.

Confira 4 dicas da Serasa para colocar suas finanças em ordem.

Não seria ótimo se existisse um jeito de resolver os problemas com dinheiro sem dor de cabeça? Olha quanta gente viveria com mais tranquilidade!

Mas, apesar de não existir uma fórmula mágica para lidar bem com as finanças, você pode tomar algumas medidas para equilibrar a situação. Neste artigo, você confere mais sobre o assunto e algumas dicas que preparamos.

Problemas com dinheiro e suas consequências

Antes de aprender a resolver os problemas com dinheiro, é importante entender melhor o que são esses problemas, como eles surgem e quais são suas consequências.

Os dois principais problemas com dinheiro são a inadimplência e a negativação.

Inadimplente é a pessoa que tem uma dívida não paga em aberto. Ser endividado é diferente de ser inadimplente, já que você pode ter uma dívida mas estar adimplente, ou seja, com o pagamento em dia.

Negativado é o indivíduo que, por estar inadimplente, é cadastrado em serviços de proteção ao crédito. A negativação só ocorre quando é solicitada pelo credor, ou seja, a empresa para a qual se deve. Por isso, é possível ser inadimplente sem negativação.

Quem está inadimplente fica sujeito a medidas de cobrança extrajudiciais, como o protesto em cartório, e também judiciais, por meio de processos. Quem é negativado, por sua vez, tem mais dificuldades para obter crédito de qualquer tipo.

Como resolver problemas com dinheiro?

Agora, confira quatro medidas práticas para evitar e resolver problemas com dinheiro. Apesar de simples, elas são fundamentais para você alcançar uma vida financeira saudável.

1. Identificar e cortar gastos desnecessários

Um dos principais motivos pelos quais você pode ter problemas com dinheiro é que seus gastos são maiores que os seus ganhos. Em outras palavras, sai mais dinheiro do que entra na sua conta e, no final do mês, você fica no negativo.

Para que isso não aconteça, você precisa colocar na ponta do lápis todas as suas despesas para identificar os gastos desnecessários, que podem ser reduzidos ou eliminados de uma vez.

Gastos essenciais, como aluguel ou compras básicas de supermercado, são difíceis de cortar sem causar prejuízos à sua qualidade de vida. Porém, você pode economizar cortando aquela pizza do meio da semana, a mensalidade da academia que você não frequenta ou aquela assinatura de streaming que você não usa há meses. Avalie todos os gastos com cautela para tomar as melhores decisões.

2. Controlar o cartão de crédito

O Mapa da Inadimplência 2021 ainda revelou que as dívidas com cartão de crédito e serviços bancários são as principais responsáveis pela inadimplência dos brasileiros. Portanto, se você quer resolver seus problemas com dinheiro, controlar o uso do cartão de crédito é um bom ponto de partida.

Quando bem utilizado, o cartão de crédito pode ser um ótimo aliado das suas finanças e dar o fôlego que você precisa para antecipar compras importantes, por exemplo. O problema é que, se a fatura não for paga integralmente, você acaba caindo no “crédito rotativo”, que tem taxas de juros muitas altas. Quanto mais vezes você cair no rotativo, pior. Isso cria um efeito “bola de neve”, já que os juros compostos vão crescendo rapidamente e tornam sua dívida cada vez maior.

Justamente por esse motivo, o próprio Banco Central mudou as regras dos cartões, para evitar que o brasileiro ficasse muito tempo no rotativo. Agora, nenhum consumidor pode ficar no rotativo por mais de um mês. Porém, você também precisa fazer sua parte para controlar o cartão.

A principal recomendação é não perder de vista as compras parceladas. Muitas vezes, a possibilidade de parcelamento sem juros no cartão faz parecer que você está gastando menos. No entanto, quando é feito o fechamento da fatura e todos os parcelamentos são somados, você percebe que gastou além das suas possibilidades.

Outra dica é monitorar sua fatura constantemente, pois assim, você terá uma noção maior de quanto irá pagar no mês. Esta informação te ajuda a controlar seus gastos do cartão, reduzindo as chances de surpresa ao fechamento da fatura.

3. Planejar datas de pagamento

As datas de pagamento das suas contas precisam de uma atenção especial. Um dos motivos mais simples pelos quais você pode ficar inadimplente é a escolha de uma data inconveniente para o vencimento de uma conta importante, como a fatura do cartão.

Imagine, por exemplo, que você recebe seu salário todos os meses no dia 5. Porém, a data de pagamento do aluguel é no dia 1°. Para evitar atrasos, você tem duas alternativas: manter sempre dinheiro suficiente guardado do mês anterior para pagar o aluguel ou negociar a alteração da data de pagamento.

O ideal é que as datas de pagamento estejam sempre alguns dias após a data em que você recebe sua renda mensal. Assim, mesmo que ocorra algum imprevisto, você não vai ficar com contas em atraso.

Além disso, vale a pena manter uma planilha ou anotar em uma agenda as principais datas de pagamento, para não se esquecer de nenhuma delas na correria do dia a dia.

4. Negociar dívidas em aberto

A última dica é fundamental se você já está enfrentando problemas com dinheiro, está inadimplente ou negativado. Procure negociar o pagamento das suas dívidas em aberto o mais cedo possível. Quanto mais tempo você deixar a situação se prolongar, mais graves podem ser as consequências.

Com a negociação, você consegue duas coisas muito importantes. A primeira é limpar o nome e retirar o seu cadastro dos serviços de proteção ao crédito. A segunda é obter condições mais flexíveis e vantajosas para o pagamento da dívida.

Uma das maneiras mais simples e eficientes de negociar dívidas em aberto é por meio do Serasa Limpa Nome, a principal plataforma de negociação de dívidas do país. Além de totalmente confiável e seguro, esse serviço permite que você realize o processo de forma online do começo ao fim.

É muito prático: após fazer seu cadastro na Serasa em poucos minutos, você confere as dívidas negativadas e as ofertas disponíveis para quitação. Então, é só escolher a melhor opção de pagamento disponível para você e fechar o acordo. Depois, faça o pagamento do boleto e pronto!

Seguindo as quatro recomendações deste artigo, você vai conseguir resolver seus problemas com dinheiro para nunca mais vai ter dor de cabeça com inadimplências e negativações.

Gostou deste conteúdo? Acesse o Serasa Ensina para conferir outras publicações e aprender mais sobre educação financeira.