Entrar

Sacador Avalista: Qual é a sua função no boleto bancário?

Você sabe o que é sacador avalista e por que ele aparece no boleto bancário? Compreenda a diferença existente entre ele e o beneficiário.

colunista Fabiana Ramos
Publicado em: 29 de março de 2022.

O boleto bancário é uma facilidade na vida das pessoas que não possuem nem cartão de crédito nem conta bancária. E é muito comum que, entre as partes que fazem parte de um boleto, apareça a figura do sacador avalista.

Muitas pessoas não sabem exatamente quem ele é e qual o seu papel na transação comercial que gerou a emissão do boleto. Se você é uma delas, acompanhe esse artigo e fique por dentro de todos os detalhes sobre o assunto. Confira!

Quem é o sacador avalista?

Sacador avalista é a o comerciante ou o prestador de serviços que vendeu um produto ou prestou um serviço para um cliente, podendo ser ele tanto uma pessoa física quanto uma pessoa jurídica.

Esse comerciante ou prestador de serviços terá o direito de receber pelo produto vendido ou pelo serviço prestado e, quando esse recebimento se der via boleto bancário, ele figurará como beneficiário ou cedente, caso tenha ele próprio feito a emissão deste boleto.

Nesta situação, é muito comum vermos que o campo do sacador avalista no boleto está em branco, uma vez que beneficiário e sacador são a mesma pessoa.

Porém, caso exista uma terceirização na emissão e consequente cobrança do boleto, ou seja, se a emissão do boleto é repassada a uma empresa terceirizada para que ela mesma possa fazer a cobrança, como um banco ou mesmo uma plataforma intermediadora de pagamentos, é o nome deste banco ou empresa que constará no campo do cedente ou beneficiário do boleto.

Então, até aqui, podemos ver 3 (três) participantes de um boleto bancário:

● Cedente ou beneficiário:
‣ quem vende o produto ou presta o serviço (caso tenha feito ele próprio a emissão do boleto);
‣ banco ou empresa intermediadora que fez a emissão do boleto.

● Sacado: quem comprou o produto ou se beneficiou pela prestação do serviço e deve fazer o pagamento (é o cliente). No boleto, há casos em que não há qualquer menção ao sacado, sendo que o campo aparecerá apenas como Pagador.

● Sacador avalista

‣ quem vende o produto ou presta o serviço (caso tenha feito ele próprio a emissão do boleto). Neste caso, o campo do sacador avalista pode estar em branco;
‣ quem vende o produto ou presta o serviço (caso tenha terceirizado a emissão do boleto).

Leia também | 5 dicas para se proteger de um boleto falso

Existe diferença entre beneficiário e sacador avalista?

Muitas pessoas confundem o campo “beneficiário” com o de sacador avalista no boleto bancário por achar que são a mesma coisa. Mas, como já foi dito, esta é uma questão relativa, sobretudo porque nem sempre a mesma empresa que recebe é quem gera o boleto.

O fato é que o beneficiário é a pessoa responsável por receber o pagamento. Resta saber se beneficiário e sacador avalista estão concentrados na mesma pessoa ou se são pessoas distintas.

Desta forma, voltamos à questão da emissão do boleto bancário. Se a empresa que vendeu a mercadoria ou prestou o serviço for a responsável pela emissão e cobrança do boleto, ela, além de beneficiária, fará também as vezes de sacador avalista, sendo ela a destinatária do pagamento feito pelo sacado (cliente).

Já se foi feito o repasse da emissão e cobrança do boleto a um terceiro (um banco ou uma plataforma de pagamentos), é o nome deste que constará como beneficiário, sendo ele a pessoa que receberá o pagamento. A empresa vendedora ou prestadora de serviço aparecerá como sacador avalista, e o pagamento será posteriormente direcionado para ela. Ou seja, o dinheiro primeiro fica disponível para o banco ou a empresa de pagamentos, e este (a) repassará o valor recebido à empresa vendedora ou prestadora de serviços.

Então, quando o boleto é pago, o valor primeiro fica disponível para a “instituição financeira” e depois para o “vendedor”.

Por que priorizar a emissão de boleto bancário

Seja como sacador avalista ou beneficiário, a presença do nome no boleto confere mais credibilidade para a empresa vendedora ou prestadora de serviços. Sem falar que, com a emissão do boleto, o vendedor ou prestador de serviço recebe o dinheiro assim que o seu cliente realiza o pagamento.

Além disso, vale ressaltar que a emissão de boleto intermediado por instituições financeiras pode incorrer em taxas que podem comprometam o fluxo de caixa.

Portanto, optar por um sistema próprio de geração de boletos tem muito a agregar ao negócio. Tanto na imagem quanto no financeiro.

Leia também | Como pagar boleto pelo pix? Confira o passo a passo

Cuidados como sacador e a emissão de boletos

Até aqui esclarecemos quem é o sacador avalista no boleto bancário e qual era a sua função. Mas é sempre bom chamar a atenção para alguns cuidados que o vendedor ou prestador de serviço precisam ter ao se tornar o próprio sacador em seu boleto.

É preciso cautela com a descrição das informações. Elas devem ser expressas com cuidado e de forma correta para não gerar erros.

Observe abaixo algumas precauções que devem ser consideradas nesse caso:

● Analisar se o nome da empresa aparece como cedente, quando for o caso;
● Verificar se o número do CNPJ está correto;
● Quando for pessoa física, verificar o número do CPF;
● Observar a precisão do endereço.

Qualquer erro em um desses tópicos pode impossibilitar a compensação do valor. Portanto, muita atenção quanto a isso!

Assista | SEGUNDA VIA DE BOLETO: Como tirar? Evite quebra de acordo

Trabalhar com boleto bancário vale a pena?

Sim! Ainda vale a pena, apesar de muitas empresas fazerem este questionamento. Isso porque hoje em dia, as condições de pagamento estão muito mais flexíveis do que eram antes. Mas, ainda assim, o boleto é um dos métodos mais querido pelos brasileiros.

Em uma pesquisa realizada pelo Opinion Box, o boleto apareceu com quase 60% de preferência no ranking geral de escolha de pagamentos. Em outra pesquisa realizada pela Zetta, 53% das pessoas também o escolheram como o melhor método de pagamento.

Portanto, mesmo com as facilidades do Pix e do cartão de crédito, as empresas não podem desconsiderar pagamentos via boleto bancário. Sobretudo porque essa modalidade ainda atende uma parcela significativa da população, e, deixar de ofertá-lo, significa perder a oportunidade de atrair e fidelizar os consumidores que preferem pagar via boleto.