Entrar

Dica eCred: 5 passos para sair do endividamento

Serasa Ensina você a negociar suas dívidas

Imprevistos acontecem e até mesmo quem é expert no controle financeiro pode precisar negociar uma dívida em algum momento da vida. Se isso acontecer, não se culpe. Confira as dicas que temos para você limpar seu nome e viver em paz com sua vida financeira.

Conta de luz atrasada, financiamento estudantil, dívidas no cartão de crédito e boletos vencidos podem ser responsáveis pelo endividamento. Uma dívida prescrita enlouquece qualquer pessoa. Mas é possível sair desse cenário.

A primeira coisa a se fazer é entender e organizar seu orçamento. Fazer listas e planilhas é fundamental, pois assim você consegue visualizar seus gastos de forma clara e fica mais fácil entender como começar a reequilibrar seu dinheiro.

Confira abaixo dicas que podem ajudar você a reestabelecer sua saúde financeira.

  1. Faça uma lista com todas as suas dívidas: cartão de crédito, empréstimo, financiamento, boletos, carnês e cheque especial.

  2. Tudo que entra e sai do seu orçamento mensal deve estar planilhado. Pode ser um caderno, um documento no Excel e também a nossa tabela financeira, que é prática e simples de usar.

  3. Separe uma parte da planilha para colocar todos os gastos que podem ser eliminados. Assim você percebe mais facilmente a economia que pode ser gerada com os cortes.

  4. Use seus talentos e habilidades para gerar renda extra. Isso inclui cozinhar, costurar, fazer algum tipo de serviço, revender produtos ou dar aulas particulares. No Como Ganhar Dinheiro a gente te mostra algumas formas de colocar isso em prática.

  5. Desapegue das coisas que você não usa mais como roupas, calçados, livros e outros itens que ficam encostados em casa e só ocupam espaço.

Saiba quanto você pode pagar

Para sair de vez das dívidas, você precisa saber o teto máximo que pode pagar a cada parcela da negociação. Isso é importante para que você consiga honrar o pagamento e não cair em outro débito. Ou seja, é melhor demorar mais para finalizar a dívida do que fazer uma parcela alta e não conseguir arcar com ela.

Imprevistos acontecem

Uma reforma inesperada, carro estragado, doença ou até mesmo a perda do emprego: ninguém quer passar por isso, mas é importante considerar imprevistos ao planejar o pagamento de dívidas.

Ao estipular o valor que você poderá pagar até quitar o débito, deixe uma reserva para esses possíveis gastos inesperados com o objetivo de evitar novos endividamentos. Agora, sim, você pode partir para a negociação.

Tenha uma estratégia bem definida para negociar a dívida

Ter argumentos e uma estratégia bem definida ajudam na hora de conversar com seu credor. Isso inclui ter em mãos os documentos que vão comprovar que você tem condições de pagar a dívida até o final. Outro ponto importante para negociar é listar perguntas relativas à negociação antes de assinar o contrato. São exemplos de perguntas que você deve fazer para não entrar em armadilhas:

  1. Qual será o percentual de desconto em relação à dívida total?

  2. Para pagamento à vista, tenho um desconto maior em relação ao valor total da dívida?

  3. Quais são os juros do parcelamento?

  4. Após o pagamento, minha situação será regularizada em quanto tempo na Serasa?

  5. Depois de sanar a dívida, terei uma carta de quitação?

A hora de limpar seu nome é agora!

Se ainda depois das respostas você continuar com alguma dúvida, não feche o contrato por impulso. Peça uma cópia, leve para casa, reflita e apresente sua contraproposta ou assine caso concorde com o contrato como ele está.

O que acontece quando o titular de uma dívida falece?

Quando uma pessoa falece, tudo que ela possui em seu nome é considerado patrimônio. Isso inclui os bens, casa, carro e dinheiro no banco, mas também as dívidas, empréstimos e outras contas a pagar.

Isso acontece porque quando uma pessoa da família falece, as dívidas dela não deixam de existir. Nesse momento, é obrigatório fazer o inventário que gera o espólio. No caso de dívidas, os herdeiros ficam responsáveis pelo pagamento da conta, até atingir o valor da herança deixada. Se você estiver nessa situação, um advogado pode orientar a família quanto aos procedimentos de quitação do débito.

O que fazer para não entrar em novas dívidas?

  • Fuja do crédito fácil: ele pode vir com taxas maiores e abusivas.

  • Atualize sua planilha financeira sempre que houver movimentação, seja entrada ou saída.

  • Corte excessos para equilibrar receita e débitos.

  • Não faça dívidas com 13º, rescisão ou outra renda extra.

  • Mesmo enquanto paga suas dívidas, reserve pelo menos 5% do seu dinheiro para imprevistos.

  • Antes de adquirir um novo produto, pesquise e junte o dinheiro para comprar à vista, pois assim você consegue ter mais poder de compra.

Com todas essas dicas fica fácil negociar suas dívidas.

Acesse nosso site, consulte seu CPF para limpar seu nome agora mesmo. Confira mais dicas para manter sua vida financeira em ordem em nosso canal no YouTube e nosso Podcast para destravar suas finanças.