Entrar

Finanças para casais: 7 dicas para planejar o orçamento a dois

Confira sete dicas de finanças para casais e entenda a importância de conversar sobre o assunto no relacionamento.

colunista Fabiana Ramos
Publicado em: 01 de dezembro de 2021.

Precisamos falar sobre finanças para casais. Num mundo ideal, as conversas sobre dinheiro e os ajustes financeiros aconteceriam ainda na fase pré-casamento. Seria muito bom que fossem discutidos temas como o salário de cada um, pagamento de contas comuns do casal, das despesas pessoais, sobre a compra da casa própria, sobre o carro e os demais gastos.

Infelizmente, são raros os casais que entram na vida a dois com esses temas já previamente discutidos e acertados.

A principal causa de discussão entre casais no que diz respeito a dinheiro está no fato de um dos dois gastar mais do que se ganha, de acordo com uma pesquisa sobre orçamento familiar feita pelo SPC Brasil e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) em parceria com o Banco Central.

Dos entrevistados, 38% afirmaram ter discussões por conta do hábito do parceiro ou parceira de gastar além de sua capacidade financeira.

Um outro hábito também muito criticado por 27% dos entrevistados se dá quando o parceiro não consegue juntar dinheiro. O atraso no pagamento de contas foi mencionado por 25% deles.

7 dicas de finanças para casais

Falar sobre dinheiro no Brasil ainda é um tabu muito grande, mas a vergonha ou a falta de hábito para falar sobre finanças para casais não diminui a importância do tema em um relacionamento.

Pensando nisso, separamos sete dicas que podem melhorar a relação com o dinheiro entre os casais:

1) Saber a renda da família

A primeira dica de finanças para casais passa por entender qual a quantidade de dinheiro que entra na casa para definir o teto de gastos do mês.

Ambos os parceiros precisam estar cientes do valor máximo que podem gastar todos os meses para se manterem dentro do orçamento e evitarem gastos excessivos que rapidamente poderiam colocá-los em uma situação de endividamento.

2) Combinar a divisão das despesas

Se ambos os cônjuges trabalham e possuem renda, é importante definir qual será a contribuição de cada um para as despesas comuns da casa.

Existem casais que resolvem juntar todo o dinheiro em uma conta conjunta. As despesas são pagas, o dinheiro para os investimentos separado e o que sobrar é dividido igualmente para cada parceiro para as suas despesas pessoais.

Já outros casais preferem manter contas separadas e uma medida prática e justa seria a contribuição com as despesas em comum de forma proporcional à renda de cada parceiro.

Por exemplo: a renda familiar é de R$6.000,00, sendo R$3.600,00 da esposa e R$2.400,00 do marido. A mulher recebe 60% da renda do casal e o homem, 40%. Nesse caso, uma boa dica de finanças para casais é que a contribuição nas despesas mensais também ocorra nessa proporção: a esposa arca com 60% das despesas comuns da família e o marido, com 40%.

A questão é que o casal é livre para decidir como se dará o pagamento das despesas. O importante é que nenhum dos dois se sinta prejudicado e injustiçado na hora da divisão de contas. E por isso, a conversa sobre o tema é fundamental.

3) Acertar as despesas pessoais

É interessante que o casal adote também uma espécie de “mesada” para cada um dos parceiros.

É importante que cada um mantenha a sua individualidade também em relação a dinheiro, sem a necessidade de prestar contas um ao outro a cada gasto feito.

E por isso, estipular um valor fixo por mês para que cada cônjuge se sinta livre para gastar com aquilo que deseja, faz parte dos bons hábitos para a saúde financeira do casal.

4) Manter um controle financeiro

Imagine uma empresa que não sabe o quanto gasta nem o quanto ganha? Como planejar o futuro sem saber para onde o dinheiro está indo?

Da mesma forma acontece com nossa vida pessoal. Manter um controle financeiro pessoal é uma ótima forma de organizar o orçamento. Imagine o quanto seria bom poder planejar as próximas férias sem se preocupar com parcelamentos intermináveis no cartão de crédito? Isso é possível, basta ter um pouco de disciplina e autocontrole com as finanças.

5) Construir uma reserva de segurança

Uma das certezas que temos na vida é que imprevistos acontecem. Acontecem comigo, com você e com todas as pessoas. E não há sensação pior do que um acontecimento inesperado que nos pega de surpresa, sem nenhuma provisão.

Ninguém está livre de uma perda de emprego, de um problema de saúde, de uma geladeira que para de funcionar do dia para a noite. E alguns imprevistos podem representar grandes gastos, dificultando o dia a dia da família.

A melhor forma de lidar com imprevistos é se antecipando a eles. Prevenir é o melhor remédio. Daí a importância de o casal construir uma reserva de segurança que seja capaz de cobrir financeiramente os acontecimentos inesperados que chegam para todos, evitando assim a necessidade da tomada de um crédito com juros altos, por exemplo.

Leia também | Reserva de emergência: como fazer a sua e se preparar para imprevistos?

6) Criar metas em conjunto

Uma das melhores formas de conseguir guardar dinheiro é trazer os sonhos para dentro do relacionamento.

Interessante seria o casal se sentar e definir os objetivos de vida, tanto os da família como os individuais. Objetivos como a compra de um imóvel, o pagamento da faculdade de um filho, a viagem a dois, a troca do carro, a realização de uma pós-graduação e a transição de carreira são alguns exemplos.

Ter metas financeiras em conjunto ajuda não só na organização das finanças para casais e o planejamento do futuro a dois, como também fortalece a própria relação.

7) Agir em parceria

Para que um relacionamento seja bem-sucedido financeiramente, o casal precisa atuar em conjunto, participando ativamente das finanças da família.

Lembre-se sempre de que duas cabeças pensam melhor do que uma e que finanças é apenas mais um dos temas dentre vários assuntos importantes que devem fazer parte das constantes conversas entre um casal.

A questão é que não existe certo ou errado, nem fórmula mágica para que o relacionamento dê certo. A palavra de ordem é o diálogo, sempre!

Portanto, conversem bastante, e, quando o assunto for dinheiro, procurem estar calmos e em um ambiente tranquilo, livre de pressões, para que a conversa seja leve e produtiva.

Depois dessas dicas, esperamos que administrar as finanças entre o casal se torne um desafio mais fácil. Além de dicas de finanças para casais, no blog da Serasa você encontra mais conteúdos sobre educação financeira. Confira!