Entrar

O que são produtos financeiros e como escolher os melhores

Os produtos financeiros estão cada vez mais acessíveis, mas é preciso cuidado na hora de usá-los para não prejudicar sua vida financeira.

Foto Vanessa Conulista
Publicado em: 31 de janeiro de 2022.

A popularização da internet tem trazido benefícios que facilitam e muito o cotidiano das pessoas. Com a chegada das fintechs – empresas que buscam otimizar serviços relacionados às finanças por meio de tecnologia –, o portfólio de produtos financeiros aumentou muito e isso é bem importante para os brasileiros.

Isso porque, com esses produtos sendo de fácil acesso a toda esfera da sociedade, mais e mais pessoas conseguem usufruir de ferramentas e serviços que antes eram destinados apenas às classes A e B.

Consequentemente, os serviços financeiros passam a ser mais democráticos. E essa acessibilidade ajuda a reduzir o endividamento, melhora o poder de compra e proporciona mais organização da vida financeira.

Leia também | Endividamento: como saber se faço parte da estatística?

Na situação em que o país se encontra hoje, ter mecanismos como esses é bastante importante. Para se ter uma ideia, uma pesquisa sobre endividamento realizada recentemente pela Serasa revelou que 64% dos brasileiros tiveram sua saúde financeira impactada pela pandemia.

No entanto, 34% dos disseram que já tinham dificuldades para pagar todas as contas antes da pandemia. O motivo apresentado por 30% dos entrevistados foi o desemprego.

Ou seja, para evitar situações como essas, não basta apenas ter a oferta democratizada – o que é, sim, muito importante. Mas também é preciso ter uma boa educação financeira para que todos os brasileiros saibam o que são esses produtos financeiros, como ter acesso e, principalmente, se eles fazem ou não sentido para o seu perfil.

E é exatamente a isso que este texto se dedica. A seguir, você irá conhecer oito produtos financeiros que podem fazer a diferença na hora de se organizar financeiramente.

O que são produtos financeiros?

Antes de tudo, vale uma breve explicação do que são produtos financeiros, certo? Pois bem, em resumo, trata-se de qualquer tipo de produto que é comercializado no intuito de captar recursos ou facilitar a movimentação financeira, seja pessoal ou empresarial.

Ou seja, o produto financeiro pode servir para investimento ou até como um suporte na hora de um aperto, como quitar uma dívida antiga que deixou seu nome negativado. Sem contar naquela reforma da casa que você precisa de dinheiro para concluir e as instituições financeiras podem te proporcionar.

Leia também | Vale a pena solicitar empréstimo para reforma? Conheça as opções

E vale lembrar que você é livre para escolher aquela que mais tem a ver com você. Mas para conseguir definir isso, é preciso entender tudo que será cobrado e ofertado, assim evita-se cair em golpes ou armadilhas. Por isso é tão importante conhecer bem os principais produtos ofertados hoje em dia.

8 produtos financeiros que você precisa conhecer

Como já mencionamos, muitos desses produtos financeiros passaram a ficar mais acessíveis com a chegada das fintechs e bancos digitais. Agora chegou a hora de conhecer mais sobre esses produtos e saber se eles fazem ou não sentido para você.

1. Conta Digital

Talvez este seja o mais democrático de todos os produtos financeiros que vamos falar. Com a facilidade de se criar uma conta digital, muitas pessoas que sequer sonhavam em ter conta corrente passaram a ter esse direito.

Conta digital é uma conta bancária para realizar transações e movimentar qualquer tipo de serviço pela internet através de aplicativos ou sites, sem a necessidade de ir até uma agência.

Normalmente, ela te dá acesso a outros produtos financeiros que vamos falar logo abaixo, como cartão de crédito, empréstimos e outros.

Ou seja, o que antes era uma enorme burocracia entre papelada, comprovantes de renda e idas a agências, passou a ser mais simples e sem muitas exigências.

A conta bancária digital é destinada a qualquer pessoa e, para ter acesso, basta ter um celular ou computador com internet. Normalmente, vem acompanhada de um pacote de serviços.

2. Cartão de crédito

Esse é um outro produto que pode ajudar muito no dia a dia. Ele te dá mais poder de compra, já que você não precisa de dinheiro imediato para efetuar uma transação.

O cartão de crédito funciona como um empréstimo. Você tem um limite pré-aprovado e pode usá-lo para comprar hoje e pagar no próximo mês, isso de acordo com o que você combinou com o banco.

Mas apesar de ser um bom companheiro, o cartão de crédito também pode ser um vilão devido ao fato de suas taxas de juros serem as mais altas do mercado.

Não à toa, ainda de acordo com a pesquisa sobre endividamento realizada pela Serasa, ele representa 53% do tipo de endividamento dos inadimplentes. Ou seja, está em primeiro lugar neste ranking.

Por isso, antes de solicitar ao seu banco, atenção às taxas e lembre-se de controlar muito bem o que é gasto e a data de vencimento da fatura, combinado?

3. Cheque especial

Este aqui é um verdadeiro vilão da vida financeira. O cheque especial trata-se de um crédito automático que o banco disponibiliza ao cliente caso ele necessite efetuar pagamentos ou transferências em sua conta se não tiver saldo disponível.

O que muita gente não sabe é que isso é uma forma de empréstimo e, por ser emergencial, o banco cobra taxas muito mais altas que as formas convencionais de tomada de crédito. Então, jamais pode ser usado a longo prazo.

Fique muito atento e, se possível, evite ao máximo utilizá-lo, pois ele pode ser bem prejudicial à sua vida financeira.

4. Poupança

Este é o serviço financeiro ideal para quem quer guardar dinheiro sem pagar nada por isso, nem imposto, nem taxas para o banco.

Apesar de hoje não ser considerado o melhor lugar para deixar o dinheiro, ele rende uma porcentagem mensal que volta para você em forma de dinheiro também. Especialistas entendem que não se trata de um bom lugar para deixar seu dinheiro, pois rende menos que em outros tipos de aplicações.

Leia também | Investimento para iniciantes: qual é a melhor opção?

5. Fundos de investimento

Essa é outra forma de investir, mas que já entra no quadro de produtos financeiros complexos. Mas não é impossível!

Um fundo de investimento é uma modalidade de aplicação financeira coletiva. Ou seja, os fundos reúnem recursos de diversos investidores, que delegam as decisões de investimento a um gestor profissional.

Ao contrário do que se pensa, não é preciso grandes fortunas para investir. Com pequenas quantias, já é possível fazer aportes. A questão é que, aqui, trata-se de um investimento de maior risco, diferente da poupança ou de outras modalidades, como CDB.

6. CDB

Esse é um investimento de baixo risco que rende menos que os fundos de investimentos, mas mais que a poupança.

CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário, um título de crédito privado emitido pelos bancos para captar investimentos. Quando você compra um desses títulos, está emprestando dinheiro ao banco e recebendo, em troca, uma remuneração em juros.

Bem simples, não é? Este produto financeiro pode ser adquirido diretamente no seu banco ou instituição financeira.

Leia também | O que são juros compostos: aliados ou vilões do orçamento?

7. Carteira Digital

As carteiras digitais são uma forma rápida e segura de realizar transações bancárias. Ela facilita o pagamento de contas como água, luz, internet, telefone, aluguel e demais despesas mensais. Além disso, você pode pagar boletos e faturas de cartão de crédito, utilizando o saldo disponível.

A Carteira Digital Serasa está integrada aos demais serviços da Serasa e é simples, segura e sem custos, ou seja, você não paga nada para utilizá-la. Com ela, você pode, ainda, parcelar seus boletos em até 12X, recarregar o celular, receber dinheiro com Pix, entre outros serviços.

8. Empréstimos

Este é outro produto financeiro que você precisa ter cuidado. Ter acesso a crédito não significa sair solicitando sem pensar, é preciso ter muita cautela e planejamento.

Você tem que saber exatamente o motivo da sua tomada de empréstimo, seja para investir no próprio negócio – que te ajuda a ter uma garantia de capital –, reformar a casa ou quitar uma dívida em que as taxas de juros cobradas sejam mais altas que do empréstimo que você vai realizar.

Busque entender todas as taxas cobradas, se há seguro, o custo efetivo total (CET) e outros detalhes, como prazo de pagamento, valor da parcela e tudo mais.

Para te ajudar nesta missão, a Serasa tem o eCred, uma plataforma de crédito com ofertas de empréstimo online de diversas empresas parceiras, como bancos, fintechs e outras instituições financeiras. O acesso e simulações no Serasa eCred são feitos de forma 100% online e gratuita.

Pronto, agora que você já conhece bem alguns produtos financeiros, fica mais fácil entender qual deles pode ser útil para você e em qual momento. Compartilhe este texto com seus amigos e ajude-os a entender esses detalhes também!