Entrar

Cobrança extrajudicial: o que fazer com a notificação?

A cobrança extrajudicial é um tipo de notificação que ocorre antes do processo judicial. Leia o artigo e veja por que não ignorar esse tipo de cobrança.

colunista Serrana Filetti
Publicado em: 13 de julho de 2022.

Imagine que você se deparou com uma cobrança extrajudicial em seu nome. Isso pode assustar, não é verdade? No entanto, tenha calma porque tudo tem jeito. Em primeiro lugar, é preciso entender o significado da cobrança extrajudicial, que nada mais é do que um tipo de notificação que ocorre antes do processo judicial.

Ela também ocorre quando há uma tentativa de acordo entre as partes envolvidas, mas ninguém consegue resolver o problema. Então, a empresa credora ou instituição financeira parte para a cobrança extrajudicial na tentativa de receber o pagamento de uma dívida.

Já recebeu uma cobrança extrajudicial ou deseja entender tudo sobre o assunto? Continue com a leitura do artigo!

O que é cobrança extrajudicial?

A cobrança extrajudicial prova que o devedor tem conhecimento do débito e que ele teve tempo para quitar as dívidas. E mesmo que você não assine o documento, saiba que ele é enviado via Correios por AR (aviso de recebimento) ou via oficial de cartório. Portanto, mesmo se você não assinar, o notificante vai saber que você recebeu a notificação e, por isso, poderá alegar à Justiça que tentou um acordo amigável.

No caso de uma dívida no banco, por exemplo, se você receber uma carta de cobrança extrajudicial, não poderá alegar em uma ação judicial que não sabia da dívida. Pois, assim que você assinar a notificação, você terá um prazo para quitar os seus débitos com a empresa ou instituição bancária.

O que fazer depois de assinar a notificação da cobrança extrajudicial?

Em primeiro lugar, fique tranquilo. Caso receba a carta de cobrança extrajudicial, entre em contato com a empresa credora e negocie a dívida. Nessa situação, o melhor a se fazer é a política da boa vizinhança. Assim, você mostrará que não está negligenciando a sua obrigação. O importante é não ser indiferente, pois os consumidores têm os seus direitos, mas também as suas obrigações.

Observe se o valor cobrado está correto e se é possível negociar formas de pagamento. Por exemplo, você deve perguntar se ao parcelar a dívida, terá algum tipo de desconto. Ou, se ao pagar à vista, o que pode ser feito para você quitá-la. Mas, no caso de perceber que a cobrança não procede, é importante ter comprovantes de pagamento do valor ou da fatura.

Em seguida, informe o valor exato do débito. Afinal, você não vai pagar um valor que não deve, não é verdade? É importante ter provas do valor real da dívida. Outra dica é ficar atento à cobrança de juros ou taxas, pois elas podem estar erradas.

Quais as consequências de não quitar as dívidas após a cobrança extrajudicial?

Imagine quantos aborrecimentos você terá que enfrentar com processos judiciais se não pagar a sua dívida? Contratar um advogado, ler petições e comparecer a audiências são apenas alguns dos problemas. Se isso acontecer, você receberá um oficial de justiça que vai comparecer à sua residência para avisá-lo do início do processo.

Nesse sentido, o juiz vai apresentar no processo um prazo para que a dívida seja quitada. Caso o acordo não seja respeitado, os seus bens poderão ser penhorados. Mas não é só isso. Se você pagar a dívida após o prazo estabelecido, também existe o risco da sua conta bancária ser bloqueada e os bens penhorados. Além disso, há outras consequências, como vamos explicar a seguir:

Penhora de bens

Você pode perder imóveis, veículos ou qualquer outro bem de valor se não pagar a sua dívida que está na Justiça. Carros em seu nome, por exemplo, e sua casa, desde que não seja a residência em que você mora. Para você ter ideia, até carrinho de cachorro-quente ou animais de raça podem ser penhorados.

Penhora de dinheiro

A penhora de dinheiro é um dos problemas por você não pagar uma dívida após assinar a carta extrajudicial. Desta forma, se você tiver qualquer dinheiro em sua conta e este não for referente ao seu salário ou aposentadoria, poderá ser penhorado. Já pensou que situação complicada?

Protesto em cartório

O protesto em cartório ocorre quando uma pessoa ou uma empresa registra a dívida de um terceiro. Neste caso, a pessoa jurídica ou física faz uma notificação judicial a respeito de um valor pelo qual tem o direito de receber o pagamento. Ou seja, a dívida não foi paga dentro do prazo.

Nome negativado

O estar negativado significa que seu nome está na lista dos birôs de crédito como a Serasa. Você já sabe que a negativação causa vários prejuízos para a sua vida financeira, não é mesmo? Por estar com o nome sujo, você não conseguirá crédito em agências bancárias. Também terá dificuldades para abrir contas ou fazer financiamentos. Além disso, terá problemas para ter um cartão de crédito aprovado.

Penhora de bens em nome da esposa ou do marido

Isso pode acontecer com pessoas casadas em comunhão total de bens ou comunhão parcial de bens. Ou seja, em ambos os casos, o casal tem direito aos bens do outro. Por exemplo: No regime de comunhão total de bens, tudo que você tem desde antes do seu casamento, também será de direito do seu marido ou da sua mulher.

Já na comunhão parcial de bens, o que vocês tiverem depois do casamento, cada um terá 50% de direito sobre o outro. Isso significa que, se a Justiça quiser penhorar um bem do seu marido ou esposa, por motivo de dívida, 50% do seu patrimônio – vocês sendo casados em comunhão parcial de bens – poderá ser penhorado.

Leia também: Bloqueio judicial:o que é, como acontece e como se livrar dele

Como evitar a cobrança extrajudicial?

Para evitar a cobrança extrajudicial ou sair do vermelho e limpar o seu nome, você deve:

Identificar as suas dívidas

Se você tem dívidas com empresas parceiras da Serasa, na plataforma Serasa Limpa Nome você acessa o seu histórico de pendências. Já explicamos que a Serasa é um órgão de proteção de crédito e, portanto, ela apresenta os débitos em seu nome. Porém, você também recebe várias ofertas e até 90% de desconto na hora de negociar as dívidas.

Ainda na plataforma de negociação, você tem acesso a sua pontuação Score, ou seja, consegue entender o que pode afetar o seu crédito. No entanto, sempre é bom lembrar que não é apenas uma conta atrasada que afeta a sua pontuação de crédito, mas sim o seu comportamento como consumidor.

Um exemplo é alguém que pega muitos empréstimos no banco. Isso mostra que a pessoa está “desesperada” financeiramente e, portanto, o comportamento pode afetar o Score.

Buscar negociações

Como você já sabe, o Serasa Limpa Nome é uma grande oportunidade para você negociar as suas dívidas, certo? Além disso, você pode entrar diretamente em contato com a empresa para tentar pagar o que deve, caso ela não seja uma parceira da Serasa. Isso nós chamamos de negociação direta, ou seja, é você quem demonstra o interesse em negociar.

Portanto, para tentar uma negociação direta, você pode entrar em contato por telefone, e-mail ou até mesmo pelo portal de negociação. Também busque informações na própria instituição e tente fazer contatos de modo online ou presencial.

Veja o vídeo e aprenda como quitar dívidas online

Ter um bom planejamento financeiro

Tudo passa pelo planejamento financeiro. Por isso, tenha o hábito de anotar as suas receitas, despesas e as suas dívidas. Somente desta forma você conseguirá cortar os gastos desnecessários e, assim, poderá sobrar dinheiro para você quitar os seus débitos com bancos ou lojas.

Além disso, quando você investe em um planejamento financeiro, você tem uma vida mais organizada. Isso também prova o quanto você leva a sua saúde financeira a sério. Afinal de contas, é importante cuidar dela.

Leia também: Como organizar a sua vida financeira em 4 passos

Investir em uma reserva financeira

A reserva financeira pode se tornar uma boa saída para você evitar a cobrança extrajudicial. Se você é autônomo ou profissional liberal, sabe que só terá dinheiro se trabalhar, certo? Entretanto, se você junta dinheiro todos os meses, consegue honrar com os compromissos financeiros nos momentos de crise econômica ou quando você precisa ficar afastado.

Pense em uma situação de acidente, por exemplo. E quando falo sobre isso, não são apenas tragédias no trânsito. Às vezes, uma simples queda dentro de casa pode te impedir de trabalhar e, aí, a sua reserva de emergência poderá ser usada para quitar as suas dívidas. Assim, você evitará que as suas contas fiquem acumuladas e que ocorra alguma cobrança extrajudicial.

Por fim, esperamos que as dicas tenham te ajudado a entender um pouco mais sobre a cobrança extrajudicial. Além disso, ao colocar as nossas últimas dicas em prática, você evitará qualquer transtorno com a Justiça, não é verdade?

Gostou do conteúdo? Leia o nosso próximo post e entenda um pouco mais sobre protesto em cartório!