Entrar

Dívida FIES: como renegociar e limpar seu nome!

Entenda como fazer um bom acordo com a dívida FIES para sair do vermelho com o Governo e instituições de proteção de crédito!

colunista Veridiana Lopes
Publicado em: 14 de março de 2022.

Você sofre com a dívida FIES? Então, esse artigo te ajudará a entender como quitar e voltar a ter o seu nome limpo na praça. O Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES), foi criado para facilitar o acesso à educação de nível universitário. Mas, mesmo com as facilidades trazidas pelo programa, muitos brasileiros não conseguiram pagar seus estudos e, hoje, ficam se perguntando: “será que a dívida FIES caduca?”.

Pensando nisso, preparamos um artigo para você tirar suas principais dúvidas sobre o assunto e descobrir as melhores alternativas para negociar seus pagamentos em atraso com o principal financiamento estudantil do país.

Com a dívida FIES é possível ficar com o nome sujo?

A regra é clara, é inadimplente? Então, as chances de ficar com o seu nome sujo na praça e na blacklist das instituições protetoras de crédito é certeira. Então, quem tem dívida com o FIES pode sim ficar com o nome sujo por causa do financiamento. Afinal, apesar do seu destino, se trata de um débito como qualquer outro e precisa ser pago em dia para que você não tenha problemas com os credores e seu nome no futuro.

Algumas consequências de ficar inadimplente devido ao FIES são:

Negativação do nome

O não pagamento da dívida FIES gera a inclusão do CPF do estudante no cadastro de inadimplentes dos órgãos de proteção ao crédito, como a Serasa. Ao permanecer nessa situação, o estudante pode enfrentar maiores dificuldades para ter acesso a crédito, como empréstimos, financiamentos, cartões de crédito e até compras a prazo.

Cadastro no CADIN

O estudante inadimplente também tem o nome incluído no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (CADIN). Isso impossibilita a abertura de contas e a tomada de empréstimos na rede bancária. Em alguns casos, pode gerar a apreensão de bens e até o bloqueio de restituição do Imposto de Renda, que só é liberada após o pagamento da dívida em aberto.

Logo, manter a dívida FIES em aberto é extremamente negativo para você. Então, o ideal é você agilizar a renegociação, que muitas vezes pode vir com bons descontos para que você garanta a quitação.

Como calcular a dívida FIES?

Antes é preciso entender como funcionam os juros no FIES, que são calculados conforme a inflação do ano anterior ao pagamento. Por isso, o banco e a Instituição de Ensino Superior são os órgãos que definem as modalidades de financiamento e o valor dos juros, limitado a 6,50%.

O que apesar de alto, se mantém muito mais benéfico ao seu bolso. Caso queira entender mais sobre os juros do FIES, faça uma simulação aqui.

Todo o valor que foi pago pelo Governo para a instituição de ensino enquanto você estudava compõe o saldo devedor do FIES. Quem conseguiu taxa de juros zero, por exemplo, sabe que deverá pagar o valor correspondente à soma de todas as mensalidades dos anos letivo de graduação.

No caso dos estudantes que assinaram o contrato do FIES com taxas de juros, esse percentual também será acrescentado ao saldo devedor – que ficará cada vez maior ao longo do tempo. Por isso, é importante buscar, o quanto antes, alternativas para regularizar o débito em aberto com o Governo.

Afinal, a dívida FIES caduca?

Embora os juros cobrados pelo financiamento sejam baixos, é preciso ter atenção ao prazo estipulado em contrato para quitar a dívida. Normalmente, ele passa a ser contado após a conclusão do curso.

A dívida FIES não caduca, muito pelo contrário, adotar essa estratégia pode gerar uma dívida ainda maior no longo prazo. Mesmo depois de cinco anos, seu nome continua na lista de inadimplentes e as chances de sofrer com um bloqueio de bens são altíssimas.

Saiba mais sobre dívida caduca.

Consigo negociar uma dívida FIES?

Sim. Para estudantes que já pagaram uma parte da dívida ou que estão com uma ou mais parcelas com atraso mínimo de 90 dias, há duas alternativas de renegociação:

É possível solicitar um novo parcelamento e o saldo devedor total será dividido novamente, em 48 parcelas mensais. Também é possível incluir os valores em atraso nas parcelas a vencer. Neste caso, não há alterações na taxa de juros acordadas inicialmente.

Em ambos os casos, para fazer a negociação é preciso oferecer um valor de entrada, que pode ser correspondente a 10% do valor consolidado da dívida vencida ou um montante de R$ 1 mil.

Para entender como a negociação funcionará para você, entre no site do SisFIES com seu login e senha e faça uma simulação de acordo, escolhendo o novo número de parcelas e o valor da entrada.

Suspensão do financiamento

Além de fazer a negociação, os estudantes com dificuldade com os pagamentos podem solicitar também a suspensão do pagamento do contrato. A suspensão do financiamento pode ser solicitada pelo período de até um ano e não tem a possibilidade de ser cancelada depois. Existem duas janelas anuais para fazer esse pedido:

– O pedido pode ser feito até maio para suspensão no primeiro semestre;
– Também pode ser feito entre julho e novembro, para suspensão no segundo semestre.

Devido à pandemia e à situação de calamidade pública decretada pelo Governo, os estudantes com parcelas financiadas pela Caixa podem solicitar a suspensão de até quatro parcelas do saldo devedor. Mas, atenção: esta é uma possibilidade de caráter excepcional.

Como funciona o FIES?

O FIES é o principal programa de financiamento estudantil do Brasil. É por meio dele que milhões de estudantes de baixa renda conseguem ingressar em instituições de ensino superior particulares.

Durante a graduação, os estudantes não realizam o pagamento da mensalidade. Assim, eles estudam sem pagar nada durante a graduação e, após se formar, começam a quitar o saldo devedor do FIES na Caixa Econômica Federal.

Com o Novo FIES, que está em vigor desde 2018, o programa possui diferentes modalidades. Isso possibilita até mesmo os juros zero a quem mais precisa e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato. Essa escala determina a taxa de juros que será cobrada.

Atualmente, para fazer a inscrição no programa, é preciso atender a dois requisitos básicos:

  1. Ter renda familiar de até três salários-mínimos por pessoa (apenas estudantes com essa limitação podem participar do processo);

  2. A nota das provas objetivas do ENEM precisa ser superior a 450 pontos e a da redação, acima de zero.

Todo o processo de inscrição é feito pela Internet e deve ser acompanhado de perto no Portal FIES, a página oficial do programa desenvolvida pelo MEC, até a liberação do resultado.

Estava em dúvida se a dívida FIES caduca? Esperamos que este conteúdo tenha sido esclarecedor para você. Se além do FIES você tem outras dívidas em atraso e deseja regularizar sua situação financeira, conheça o Serasa Limpa Nome, a maior plataforma de negociação de dívidas do país.

Nela, você pode consultar a situação do seu CPF, conferir as opções de negociação disponíveis para você e fechar um acordo para limpar o seu nome em até três minutos, com descontos que podem chegar a 90% do valor total da dívida.

Ficou interessado? Acesse a plataforma Limpa Nome, sem pagar nada.