Entrar

O que é birô de crédito e como esse tipo de empresa funciona

Entenda o que é birô de crédito, qual é a importância dessas instituições para o mercado financeiro e como elas funcionam na prática.

Foto elaine ortiz
Publicado em: 13 de janeiro de 2022.

Talvez você não saiba o que é birô de crédito, mas já deve ter ouvido algumas expressões relacionadas a esse tipo de empresa. Score, proteção ao crédito, negativação e consulta de CPF são apenas alguns exemplos.

Em poucas palavras, os birôs de crédito são empresas que reúnem dados sobre o histórico financeiro das pessoas. Essas informações são verificadas por diversas empresas e instituições financeiras quando elas precisam decidir se vão ou não liberar um pedido de crédito, por exemplo.

Neste conteúdo, vamos explicar melhor como tudo isso funciona.

Afinal, o que é um birô de crédito?

Os birôs de crédito são empresas que registram o histórico de pagamentos de uma pessoa. Na prática, funcionam como grandes bancos de dados.

Se o consumidor atrasa o pagamento de uma conta ou faz uma nova dívida, por exemplo, essa informação é registrada nos birôs. O contrário também ocorre: se você quita uma dívida atrasada ou negativada, essa informação também vai para os birôs.

Por isso, os birôs também são chamados de empresas de proteção ao crédito: porque se uma pessoa pedir crédito a uma instituição (como um empréstimo a um banco ou um parcelamento a uma varejista), os birôs serão consultados para que a instituição tenha mais informações sobre o histórico pagador de seu cliente.

A partir dos dados dos birôs, as empresas que oferecem algum tipo de crédito podem fazer suas análises para conceder ou não empréstimos, cartões de crédito, financiamento etc.

Leia também | Entenda o que é risco de crédito e por que ele deve ser calculado

Então, os birôs de crédito prejudicam o consumidor?

De jeito nenhum. Ao contrário do que muitos pensam, os birôs de crédito servem justamente para facilitar a vida da população como um todo — tanto os que emprestam quanto aqueles que usam crédito. Vamos explicar melhor.

O primeiro grande mito em torno dos birôs de crédito é que essas instituições negativam os consumidores ou que elas são beneficiadas quando um indivíduo fica inadimplente. Isso não é verdade.

Vamos supor que você tem uma dívida com um banco e, por algum motivo, não conseguiu fazer o pagamento no prazo. Então, esse banco informa a inadimplência aos birôs de crédito.

Na prática, quem vai te negativar é o próprio banco. O birô de crédito apenas vai deixar essa informação disponível para outras empresas que consultarem o seu CPF. Mas por quê?

Antes de aprovar um pedido de crédito, as empresas fazem uma análise de crédito. Nessa etapa, elas avaliam o perfil financeiro do consumidor para entender qual é o nível de risco dessa operação, decidir se vão liberar ou não o crédito solicitado e, em caso positivo, quais condições serão aplicadas (taxas de juros, prazo para pagamento, valor emprestado etc). Quanto melhor for o perfil do consumidor, melhores serão as condições oferecidas a ele.

O problema é que, no Brasil, o índice de inadimplência é muito alto. Para se ter uma ideia, de acordo com o levantamento mais recente realizado pela Serasa, hoje mais de 63 milhões de pessoas estão com o nome sujo.

Imagine o que aconteceria se, nesse cenário, as instituições financeiras não tivessem onde pesquisar o perfil de um consumidor antes de conceder crédito. Provavelmente, elas considerariam em qualquer operação um alto risco de não receber o dinheiro.

Como consequência, aumentariam os preços e dificultariam a liberação de empréstimos, cartões de crédito, financiamentos e outros produtos bancários para se proteger da inadimplência. Deu para entender a importância dos birôs de crédito?

Nenhuma dessas instituições financeiras tem interesse em prejudicar o consumidor. Ao reunir esses dados sobre o seu histórico de pagamentos, a ideia é permitir que as pessoas

consideradas “boas pagadoras” possam ser vistas de maneira positiva pelo mercado e conseguir crédito com mais facilidade para realizar seus projetos de vida.

Por outro lado, com as informações consideradas “negativas”, as empresas podem conhecer o nível de risco envolvido em cada negócio e decidir, com mais segurança, quais decisões vão tomar. Isso reduz as chances de calote e até de falência dos negócios — o que ajuda a economia como um todo.

Quais são os birôs de crédito brasileiros?

No Brasil, além da Serasa, existem outros três birôs de crédito: Boa Vista, SPC e Quod. Vale lembrar que todas essas empresas são reguladas pelo Banco Central e seguem diversas leis para proteger dados sensíveis dos consumidores.

Quais dados podem ser consultados em um birô de crédito?

Um birô de crédito registra diversas informações que ajudam a compor o histórico de crédito do consumidor: pagamentos pendentes, protestos, dívidas e até falências são alguns exemplos.

De modo geral, esses dados são divididos em três tipos de categorias:

  • Informações negativas: relacionadas somente às inadimplências, com data do último pagamento realizado pelo consumidor. Caso a dívida seja quitada, ela some do cadastro.

  • Informações completas: relatório completo de qualquer tipo de informação registrada no histórico do consumidor. Por exemplo: contas abertas e fechadas com histórico completo de limite, dívidas passadas (com menos de cinco anos), mesmo as já quitadas, financiamentos feitos… Enfim, tudo sobre a vida financeira do consumidor é registrado neste relatório.

  • Cadastro Positivo: é a categoria mais recente, criada em 2019 e apresenta o histórico das dívidas ou operações de crédito que o cliente já pagou ou ainda está pagando.

Score e birô de crédito: o que eles têm a ver?

O score é um indicador de perfil financeiro e pode ser consultado nos birôs de crédito. Ele tem uma pontuação que varia entre 0 e 1000 e indica a probabilidade de alguém pagar suas contas em dia nos próximos meses.

Essa pontuação é considerada por instituições financeiras e empresas antes de concederem qualquer tipo de crédito. Ou seja, quando consultam os birôs, as instituições financeiras avaliam o score dos clientes.

Quanto mais próxima a pontuação estiver de mil, melhor é considerado o perfil financeiro da pessoa e, portanto, maiores são as chances de ter um pedido de crédito aprovado. Por outro lado, quanto menor a pontuação, maiores as chances de ela atrasar uma conta – e, consequentemente, de ter um pedido de crédito recusado.

Vale destacar, no entanto, que o score não é o único elemento analisado. Cada instituição tem seus próprios critérios para conceder crédito e o score costuma ser um entre vários fatores.

Quer saber como está a sua reputação no mercado de crédito? No site ou no aplicativo da Serasa, você pode consultar sua pontuação a qualquer momento sem pagar nada. Lá, você também consegue acompanhar os critérios que estão fazendo o seu Score aumentar ou diminuir. Acesse e confira!