Entrar

O que é reeducação financeira e 8 passos para chegar lá

Organizar as contas, eliminar as dívidas e planejar um futuro possível fica muito mais fácil com a reeducação financeira.

Foto Vanessa Ferreira
Publicado em: 17 de dezembro de 2021.

Para muitas pessoas ter uma boa saúde financeira depende apenas de um emprego com um bom salário. Mas nem sempre isso basta para se ter uma boa relação com dinheiro. Uma forma de melhorar essa situação e organizar a vida financeira é a reeducação financeira.

Segundo a Pesquisa Endividamento 2021 da Serasa em parceria com a Opinion Box, mais de 84% das pessoas endividadas sofrem com impactos na vida social e 85% relatam ter insônia por conta das dívidas.

Por isso, aprender a lidar com a vida financeira é essencial quando as contas de uma pessoa estão desorganizadas a ponto de não ter dinheiro para pagá-las.

Além disso, qualquer pessoa que nunca teve orientação financeira e não aprendeu desde cedo a organizar suas contas pode se beneficiar desse aprendizado.

Descubra do que se trata a reeducação financeira e quais hábitos você pode adotar para melhorar suas finanças.

O que é reeducação financeira

A reeducação financeira é um processo em que se aprende a olhar para a situação financeira pessoal com mais atenção.

Fazendo isso é possível entender todas as entradas e saídas de dinheiro e constatar onde estão os pontos críticos.

Ou seja, é um processo de conscientização da própria vida financeira.

Durante a reeducação financeira, é importante:

  • Apontar todas as fontes de receita;

  • Analisar todos os gastos e quais as razões de eles serem feitos;

  • Levantar todas as dívidas e entender por que elas existem;

  • Compreender se o que se ganha é suficiente para bancar todas as despesas;

  • Identificar e mudar os hábitos que prejudicam a sua relação com o dinheiro.

A partir disso, é possível fazer os ajustes e tomar as medidas necessárias, como a renegociação de dívidas, para resolver esses problemas.

Esse processo tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida de uma pessoa, eliminando práticas que prejudiquem a sua saúde financeira.

Dieta financeira X Reeducação financeira

Muito se fala em dieta financeira quando o assunto é economizar dinheiro e se livrar de dívidas. No entanto, é importante diferenciar o conceito de dieta financeira e de reeducação financeira.

Assim como na alimentação, em que uma dieta costuma servir para eliminar gordura em um período curto. No caso do dinheiro, a dieta financeira resolve problemas pontuais.

Por exemplo, uma pessoa que tem uma dívida e passa um período economizando dinheiro para quitar esse valor.

O problema nesse caso é que, embora a dívida esteja resolvida, o motivo pelo qual ela existia não foi tratado. E, o que tende a acontecer é uma nova dívida aparecer em pouco tempo.

A reeducação financeira serve justamente para identificar quais são as práticas que levaram àquela situação.

Quando isso fica evidente, é mais fácil evitar a contração de novas dívidas no futuro e melhorar a forma como o dinheiro é empregado.

Leia também | Dicas de educação financeira: como se organizar no dia a dia?

8 hábitos para conquistar uma vida financeira saudável

Saber como organizar a vida financeira pessoal é uma forma de melhorar a qualidade de vida. Por isso a educação financeira é tão importante.

Ter a possibilidade de realizar sonhos e não sofrer com o acúmulo de dívidas é o que todo mundo deseja, mas para isso acontecer é preciso mudar alguns hábitos de consumo e controlar os gastos de forma responsável e que faça sentido.

Para saber como se reeducar financeiramente, siga as dicas abaixo:

1. Acompanhe os seus gastos

Conhecer de perto para onde vai seu dinheiro no dia a dia é o primeiro passo para compreender onde é preciso fazer mudanças.

Para isso, é preciso fazer um controle financeiro e colocar na ponta do lápis, ou em uma planilha, todos os seus gastos.

Esse hábito revela onde é possível economizar e ajudar a definir as prioridades dentro da vida.

Isso também acaba evidenciando aquelas compras por impulso, que podem ser controladas daqui para frente.

2. Conheça o seu orçamento

Além de saber com o que se gasta é preciso conhecer de onde vem o dinheiro.

Organizar o orçamento dará uma visão macro das finanças pessoais. Com isso é possível visualizar se o que entra de dinheiro é suficiente para arcar com todas as despesas.

3. Planeje o pagamento das dívidas

Se livrar dos valores em aberto vai evitar muito estresse e ansiedade. Mas, para isso, é preciso se planejar para fazer o pagamento e não contrair mais dívidas.

Tente negociar os juros e novas formas de parcelamento para evitar gastos desnecessários, mas tenha em mente que o objetivo é pagar todos os valores o quanto antes e não criar novas dívidas.

4. Entenda as dívidas

Depois de quitar as dívidas em aberto, é essencial entender por que elas aconteceram.

Mapear o que levou você a se enrolar com aquela dívida vai ensinar como evitar que isso aconteça no futuro.

5. Tenha objetivos claros e planeje para o futuro

Definir objetivos futuros é importante para orientar a forma como o dinheiro será empregado e quanto precisa ser guardado ou investido.

Esses objetivos podem ser de curto, médio ou longo prazo, e até podem mudar ao longo do tempo.

Por exemplo, se você tem um sonho de fazer uma viagem ao exterior no próximo ano, esse objetivo vai te motivar a guardar uma quantidade de dinheiro para realizar esse sonho.

6. Faça uma reserva de emergência

Ter condições de arcar com custos emergenciais sem recorrer a empréstimos é uma forma de evitar futuras dívidas e muito estresse.

Por isso, uma reserva de emergência é fundamental para ter mais qualidade de vida.

7. Revise constantemente seus objetivos e hábitos financeiros

É fundamental saber que a reeducação financeira é um processo contínuo. Por isso, o acompanhamento do orçamento e o dos gastos deve ser feito constantemente.

Revisar os objetivos e colocar novas metas são formas de manter bons hábitos para a saúde financeira.

8. Utilize recursos digitais

Atualmente existem diversas formas de controlar gastos e reorganizar as finanças digitalmente.

Aplicativos de finanças substituem as planilhas e carteiras digitais concentram todos os recebimentos e pagamentos em um só lugar para facilitar o controle financeiro.

Quer mais uma dica? Conheça a Carteira Digital Serasa. Com ela, é possível receber pagamentos, fazer PIX e pagar boletos, fazer recarga de celular e até negociar o pagamento de dívidas. Tudo isso com facilidade, segurança, e o melhor: sem precisar pagar nenhuma taxa de manutenção. Faça o seu cadastro gratuito agora mesmo!