Entrar

Como sair do vermelho?

6 passos para sair das dívidas.

Atualmente, o Brasil conta com mais de 62 milhões de pessoas endividadas, de acordo com dados levantados no último Boletim Econômico Serasa Experian. Pensando em ajudar neste cenário, elaboramos seis passos para te mostrar definitivamente como sair do vermelho.

Os motivos pelos quais as pessoas deixam de pagar suas dívidas e têm o CPF negativado podem ser inúmeros. Desemprego, corte de salário e falta de educação financeira são alguns deles.

Se você está nesta situação, este texto é para você. Saiba como organizar a vida financeira e sair do vermelho.

Como acabar com as dívidas e sair do vermelho

Em muitos casos, um mau planejamento financeiro pode ser o grande vilão. Por isso, é muito importante que as pessoas procurem ter educação financeira para se organizar. Dito isto, vamos ao passo a passo: aprenda como acabar com as dívidas e sair do vermelho!

1. Como sair do endividamento? Entenda a situação

  1. Como sair do endividamento? Entenda a situação
    Compreender a sua situação financeira é o primeiro passo. Coloque no papel todas as suas dívidas, seus gastos fixos e variáveis do mês e os seus ganhos. Só de fazer isso você terá uma visão mais ampla da sua vida financeira.

  2. Orçamento em dia
    Nesta etapa, vai ser preciso pensar em corte de gastos. Como você já tem uma lista dos seus gastos, tire o que não for necessário no momento. Serviços de streaming, TV a cabo, comer fora sempre, comprar roupas e sapatos todo mês, etc. Lembre-se: priorize o que você acha necessário na sua vida, pois seus gastos não podem ser maiores que o seu salário.

  3. Pague ou negocie as dívidas
    A recomendação de especialistas em educação financeira é sempre pagar suas dívidas à vista, mas sabemos que nem sempre é possível. A grande maioria das pessoas opta por negociar as dívidas. Ataque as despesas mais altas e que possuem maiores taxas de juros, como, por exemplo, o cartão de crédito e o cheque especial.

  4. Troca de dívidas
    Se você não tem como pagar as dívidas altas de uma vez, talvez trocá-las por modelos com taxas de juros menores seja a melhor opção. É possível conseguir um empréstimo para negativado, por exemplo.

    Desta forma, você consegue quitar o débito de uma vez, e as taxas e os juros exorbitantes param de correr. As taxas de juros de cartões de crédito podem chegar a 18% ao mês – muito superior a empréstimos ou outras modalidades de crédito. Além disso, o seu nome fica limpo e você pode aumentar o score, facilitando a obtenção de crédito no futuro.

  5. Busque uma renda extra
    Em momentos de crise, temos de fazer alguma coisa para vencê-los. Quando nos endividamos, geralmente, nosso salário não é suficiente para arcar com as pendências. Encontrar formas de obter renda extra pode ser uma alternativa. Veja algumas opções!

    ● Vender coisas que não preciso mais.
    ● Dirigir para aplicativos.
    ● Fazer coisas para vender: doces, artesanato, etc.
    ● Alugar um quarto ou a garagem.
    ● Procurar trabalhos freelancer.
    ● Cuidar de animais e passear com pets.

  6. Faça uma reserva de emergência
    Assim que você descobrir como sair do endividamento, o próximo passo é começar a construir sua reserva de emergência. Ela serve justamente para momentos como este de crise, e pode impedir que você caia na lista da inadimplência.

    Economize todo o dinheiro que você puder. É possível colocar na poupança ou fazer investimentos de baixo risco, como Tesouro Direto ou CDB. Não guarde na conta-corrente, pois, muitas vezes, ela tem taxas e não tem rendimentos.

    Recomenda-se que você separe de 15% a 30% do seu salário para formar a sua reserva de emergência. É indicado que ela corresponda a pelo menos seis vezes o seu salário. Assim, caso ocorra algum problema financeiro como o desemprego, você conseguirá se manter por seis meses, tempo suficiente para se recolocar no mercado.

    Confira mais conteúdos como este em nosso site. Acesse também nosso canal no YouTube e o podcast Serasa Ensina.