Entrar

Direito de subscrição: veja como funciona a compra de ações e qual é a faixa de Score esperada

O direito de subscrição é o direito de preferência para a subscrição de ações. Leia o nosso post e veja como funciona a compra de ações e qual é a faixa de Score esperada.

Jornalista Serrana Filetti
Publicado em: 04 de julho de 2022.

O direito de subscrição nada mais é que o direito de preferência para a subscrição de ações. Quando uma empresa da qual você é acionista decide emitir novas ações e oferecê-las ao mercado, você tem a preferência de compra desses papéis por determinado período.

Leia mais: Direito de subscrição: o que é e para que serve

Assim, você tem o direito de adquirir, com preferência, as novas ações emitidas pela empresa na mesma proporção da posição que já detém. No entanto, como funciona a compra desse direito de subscrição e qual a taxa de Score esperada pelo acionista? Isso é o que mostraremos neste post. Acompanhe a leitura!

Como é a compra da subscrição de ações?

Se você adquire ações, passa a ser titular de uma fração do capital social de uma companhia. Veja um exemplo simples: imagine que a empresa tenha um milhão de ações emitidas e você compra 100 delas. Então, você terá 0,01% de participação dessa companhia, certo? Porém, se o capital é aumentado e novas ações são emitidas, suas ações passarão a representar uma fração menor do capital, mesmo se o valor em moeda for igual.

Se a companhia tem 200.000 novas ações, a quantidade total de ações será de 1.200.000, mas se o acionista tiver apenas 100 ações adquiridas originalmente, cairá para 0,008%, ou seja, 100/1.200.000.

Para evitar que a participação do acionista seja menor no capital da companhia, o artigo 109 da Lei das S. A. assegura que os acionistas têm um direito essencial e a preferência na subscrição das novas ações que serão emitidas em um aumento de capital, assim como na proporção de sua participação anteriormente ao aumento proposto.

Nesse aumento de capital hipotético, o acionista teria o direito de adquirir 0,01% das novas 200.000 ações emitidas. Assim, se ele exercer esse direito, terá 120 ações. Dessa forma, sua participação permanecerá em 0,01% (120/1.200.000) da companhia.

Leia mais: Tipos de ações disponíveis na Bolsa de Valores

Quem tem o direito de subscrição?

O direito de subscrição também é concedido aos acionistas nos casos em que há títulos conversíveis em ações, tais como debêntures conversíveis e bônus de subscrição. No entanto, de acordo com o artigo 171, da Lei das S. A., o direito de subscrição só pode ser exercido dentro de um prazo limitado.

Além disso, esse prazo deverá ser fixado pelo estatuto estadual da companhia ou na assembleia em que for deliberado o aumento do capital social. A emissão do título conversível em ações da companhia não poderá ser inferior a 30 dias.

Portanto, nesse período, o acionista deverá manifestar sua intenção de subscrever as novas ações emitidas no âmbito do aumento de capital ou dos títulos conversíveis em ações, conforme for o caso. Entretanto, caso não o faça, o direito de preferência caducará.

Qual é a taxa de Score esperada pelo acionista?

A tendência é de que quanto maior for o seu Score, mais ações você poderá comprar. Sua pontuação será um guia para as empresas entenderem sua confiabilidade como investidor. Portanto, um Score elevado é importante para você ter crédito em todas as instituições financeiras.

Para que você consiga compreender ainda mais, os investidores são divididos em três níveis, de acordo com o seu Score:

• 0 a 300 – alto risco;
• 301 a 700 – médio risco;
• 701 a 1000 – baixo risco.

Por fim, concluímos que um investidor com Score de 701 a 1000 é visto como confiável, pois significa que apresenta baixo risco.

Leia mais: O que é o Score de crédito?

O que são sobras de subscrição?

As sobras de subscrição são as ações que não foram compradas pelos investidores por falta de interesse em exercer o direito de subscrição. Essas sobras de subscrição são oferecidas novamente aos acionistas.

É importante saber que só quem adquire essas sobras é o investidor que já exerceu o seu direito de subscrição no primeiro momento. Essa é uma excelente oportunidade para quem pode exercer esse direito, pois, além de você manter a sua porcentagem de participação na empresa, também poderá aumentá-la.

Como funciona o direito de subscrição?

É importante lembrar que a empresa que deseja aumentar seu capital pode emitir novas ações na Bolsa. Desse modo, quem é acionista tem a preferência para comprar os ativos do novo lote. Entre as principais informações que os investidores recebem, podemos destacar:

• data limite para comprar as novas ações;
• data de emissão de novas ações;
• percentual que o acionista tem o direito a subscrever;
• preço das ações;
• data para negociação do direito na bolsa;
• data limite para exercer o direito de subscrição.

Também é importante destacar que, se quiser ter o direito de subscrição, você terá de demonstrar interesse dentro das datas estipuladas. Além disso, é necessário:

• avisar a sua corretora de valores;
• falar com algum assessor da empresa.

Como você viu neste artigo, quanto maior seu Score, melhor para exercer o direito de subscrição. Portanto, é importante mostrar ao mercado que ele pode confiar em você como investidor. Somente dessa maneira, conseguirá comprar as ações que deseja e ter uma boa participação na empresa.

Gostou do conteúdo? Quer ler mais? Leia o próximo artigo e saiba como aumentar o seu Score com 12 dicas da Serasa!