Entrar

Pagamento dia 5 e 20: como funciona? O adiantamento vale a pena?

“Pagamento dia 5 e 20, como funciona”? Você já fez essa pergunta? Entenda a sistemática do adiantamento salarial e descubra como utilizá-lo a seu favor.

colunista elaine ortiz
Publicado em: 13 de abril de 2022.

“Pagamento dia 5 e 20, como funciona”? Quem nunca ficou com essa dúvida que atire a primeira pedra! Parece confuso, complicado, mas é um sistema de pagamento que pode facilitar e muito a organização financeira das pessoas. E mais: pode ainda contribuir para evitar o endividamento quando solicitado pontualmente em um momento de emergência.

Além disso, no fim das contas, quando se entende o funcionamento exato do sistema você percebe que é mais simples do que parece. Continue a leitura e entenda tudo sobre adiantamento salarial.

Pagamento dia 5 e 20: como funciona e o que é o adiantamento salarial?

“Tem mês que sobra dia e falta salário”. Você já ouviu essa frase no ambiente de trabalho? É muito comum a reclamação de que o dinheiro mensal não foi suficiente para arcar com as despesas dos trinta dias. Os motivos são muitos, mas o principal costuma ser a falta de organização financeira. Afinal, mesmo se você considera que seu salário é baixo, é fundamental que você consiga adequar seu padrão de vida a esta quantia, ou buscar qualificação para conseguir um emprego novo, com salários mais altos, ou ainda encontrar formas de ganhar renda extra.

Do contrário, adaptar-se à renda mensal do seu emprego fixo e conseguir organizar o fluxo das suas contas para que nada fique em atraso é realmente muito importante. Existem, inclusive, algumas ferramentas que podem ajudar você neste processo: planilhas financeiras, aplicativos, planners.

Assista | Planilha de gastos: como fazer o seu controle financeiro

Nesse sentido, a antecipação de salário, também conhecida como adiantamento salarial, pode contribuir muito para a organização da sua vida financeira. Trata-se de um benefício corporativo oferecido aos funcionários das empresas que permite que o profissional antecipe o recebimento das diárias já trabalhadas. Ou seja, tenha acesso antecipado a um dinheiro que já é dele, fruto do seu trabalho.

Muitas empresas têm o adiantamento quase como uma regra e perguntam, no momento da contratação do novo colaborador, se ele prefere receber apenas uma vez por mês ou se quer aderir ao “vale”, recebendo o pagamento dia 5 e 20.

Outra prática comum é a empresa permitir ao funcionário que escolheu receber somente uma vez por mês fazer a solicitação pontual de adiantamento em um momento de necessidade financeira, algum imprevisto. É o “salário sob demanda”. Quando isso acontece e a empresa concede o adiantamento, ela está ajudando o colaborador, já que ao pagar de forma antecipada parte do salário, a pessoa pode deixar de contrair uma dívida, utilizar o cheque especial ou o rotativo do cartão de crédito.

Lembrando que o adiantamento salarial não é um benefício corporativo obrigatório, a legislação trabalhista, inclusive, é bem vaga a respeito do tema. Por isso, o que vale mais são os documentos coletivos de trabalho das diversas categorias profissionais, já que alguns determinam que o pagamento deve ser oferecido em duas parcelas de forma fixa.

Abaixo, a gente detalha o funcionamento das duas formas mais comuns de adiantamento salarial: o vale e o salário sob demanda.

Leia também | Crédito rotativo: entenda como funciona

Pagamento quinzenal, como funciona na prática?

Quando a empresa disponibiliza o adiantamento de salário de forma fixa, o pagamento é dividido e o colaborador recebe duas vezes ao mês. O adiantamento, também conhecido como “vale”, geralmente é realizado entre o 15º e o 20º dia útil do mês e o restante do pagamento é efetuado até o 5º dia útil do próximo mês. Por isso, essa segunda parte não é definida como adiantamento salarial dia 2, mas sim como o pagamento do salário de fato.

É importante saber que, no adiantamento de salário (no vale), não são aplicados dedução de impostos (INSS, imposto de rendas e outros benefícios, como vale-transporte, vale-refeição etc). Todos os descontos ocorrem no pagamento do dia 5 e são detalhados na folha de pagamento mensal.

Já o adiantamento pontual, conhecido como “salário sob demanda”, é aquele que pode ser solicitado de vez em quando, só em momentos de necessidade. A ideia é que o colaborador possa sacar o salário correspondente aos dias já trabalhados, de forma simples e rápida, sem precisar esperar o dia do pagamento.

Nas companhias que disponibilizam essa opção, o adiantamento permitido varia entre 20 e 40% do valor do salário do colaborador. Assim, alguém que tenha trabalhado 10 dias em um mês que tem 30 dias, pode receber até um terço (33%) do seu pagamento mensal antecipadamente.

Se você costuma receber seu pagamento em apenas uma data do mês, consulte o RH da empresa para saber se este benefício de adiantamento é oferecido. Em caso afirmativo, as regras internas para solicitação serão explicadas a você. Algumas empresas podem permitir que o desconto em folha seja realizado de forma parcelada, para não comprometer o salário líquido.

Nestes casos de salário sob demanda, costuma ser necessário assinar um contrato que discrimina os valores pagos e o dinheiro pode cair em até dois dias úteis na conta do funcionário.

Leia também | Como consultar o Score na Serasa

Afinal, pagamento vale dia 20 ajuda ou atrapalha?

Agora que você já respondeu à pergunta “pagamento dia 5 e 20: como funciona?”, talvez queira saber se é uma boa ideia aderir a antecipação do salário. A resposta é que sim, é um benefício que ajuda os colaboradores e também as empresas.

Para o empregador, os principais ganhos são melhoria na relação com os funcionários, aumento de produtividade, não comprometimento do fluxo de caixa da empresa e ainda funciona como recurso para atrair e reter talentos.

Para o colaborador, é uma excelente forma de ficar bem longe do endividamento, atendendo necessidades urgentes sem precisar recorrer a opções de crédito com juros abusivos, que facilmente viram uma bola de neve, sujam seu nome e fazem sua pontuação de crédito – score – cair fortemente.

Mas alguns cuidados devem ser tomados, principalmente no salário sob demanda, já que o colaborador não pode esquecer que o valor antecipado será descontado na próxima folha de pagamento. Ou seja, você já comprometeu parte do seu salário e terá menos dinheiro para arcar as contas do próximo mês. Aí, recorrer ao adiantamento pode acabar se tornando prática mensal, mas uma hora a conta pode não fechar mais.

Assim, se você solicitou o adiantamento este mês para uma urgência, controle seus gastos na ponta do lápis no mês seguinte, considerando que não terá 100% do seu próximo salário. E comece a utilizar uma planilha para organizar suas finanças. Sabendo quais as despesas fixas e variáveis e sua renda mensal, fica muito mais fácil não se perder e manter as finanças em dia, seu nome limpo e seu score alto.

Agora que você já sabe tudo sobre “pagamento dia 5 e 20 como funciona” e entendeu como organizar suas finanças, aproveite para descobrir como aumentar o score. E continue acompanhando os conteúdos exclusivos do blog da Serasa sobre educação financeira.

serasaecred.com.br pertence e é operado pela Serasa S. A., uma sociedade anônima sob o CNPJ/MF 62.173.620/0104-95, com domicílio na Rua Dr. Léo de Carvalho, 74 – Sala 1105 – Bairro Velha – Blumenau-SC – CEP 89036-239. A Serasa S.A. não é instituição financeira. Somos um correspondente bancário das instituições: BANCO CBSS S/A – CNPJ: 27.098.060/0001-45, Banco Votorantim S.A. – CNPJ/ME: 59.588.111/0001-03, Banco Pan S.A. – CNPJ: 59.285.411/0001-13, Finamax S./A. – Crédito, financiamento e investimento – CNPJ: 00.411.939/0001-49 e possuímos uma plataforma online (“Serasa eCred”) que facilita o acesso de clientes a produtos e serviços ofertados por instituições financeiras parceiras e credenciadas na plataforma.

Os correspondentes bancários são empresas contratadas por instituições financeiras e demais instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil para a prestação de serviços de atendimento aos clientes e usuários dessas instituições. A atividade de correspondente bancário é regulada pelo Banco Central do Brasil, nos termos da Resolução nº. 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. Prazo de pagamento: varia de acordo com a Instituição Financeira escolhida, podendo ser entre 3 e 60 meses. Custo Efetivo Total (CET): varia de acordo com a Instituição Financeira escolhida, podendo ser entre 26,76% e 605,85% a.a. Exemplo: Empréstimo de R$5.000,00. Taxa de juros: 3,23% a.m. A pagar em 18 parcelas mensais de R$380,55. Total a pagar: R$6.849,90. IOF incluso: R$134,00. Tarifa: R$0. CET: 52,80% a.a.

O Serasa eCred tem como compromisso a transparência com nossos clientes. Antes de iniciar o preenchimento de uma proposta, serão exibidos de forma clara: a taxa de juros utilizada, tarifas aplicáveis, número de parcelas, impostos (IOF) e o custo efetivo total (CET). Nossa central de atendimento está disponível para esclarecimento de dúvidas sobre quaisquer dos valores apresentados. Serasa Consumidor informa: o Serasa eCred é uma plataforma de comparação de ofertas de crédito 100% gratuita para consumidores.

Não realizamos nenhum tipo de cobrança para apresentar a você as propostas de crédito dos nossos parceiros. Caso receba alguma cobrança, não faça nenhum depósito ou pagamento, e entre em contato com o nosso time de atendimento.