Entrar

Saiba por que uma planilha de orçamento familiar é importante

Você já tem uma planilha de orçamento familiar? Sabe o que é e qual a importância de ter uma? Descubra e aprenda como montar a sua.

Foto elaine ortiz
Publicado em: 27 de janeiro de 2022.

Você já se perguntou o que é uma planilha de orçamento familiar? Para que serve e se existe alguma diferença entre ela e a planilha de orçamento pessoal?

Neste conteúdo vamos abordar este tema, tão importante para quem quer começar o ano com o pé direito e as contas em dia. Vamos lá?

O que é uma planilha de orçamento familiar e para que serve?

O número de famílias endividadas no Brasil não para de crescer. Segundo dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), a capital paulista encerrou o ano de 2021 com número recorde de famílias endividadas: 2,98 milhões de lares possuíam algum tipo de dívida.

O dado é alarmante e revela que ainda hoje, mesmo com o aumento da procura por educação financeira e investimentos, muita gente não está sabendo lidar com os gastos do dia a dia e está se endividando. Além disso, a verdade é que o salário mínimo no Brasil é baixo, a inflação está voltando (por isso ir ao supermercado está cada vez mais caro) e o desemprego segue em alta. As famílias endividadas refletem essa situação crítica da economia do país.

É por isso que ter uma planilha de orçamento familiar pode ajudar as pessoas a se organizarem financeiramente diante de todos estes desafios, já que se trata de uma ferramenta cujo objetivo é exatamente este: organizar suas finanças.

Portanto, uma planilha de gastos nada mais é do que uma maneira de organizar e somar todas suas despesas em um só lugar, o que ajuda a enxergar com muito mais clareza para onde está indo seu dinheiro. É como o antigo caderninho, onde as pessoas marcavam suas receitas e suas despesas para manter o controle das finanças. Mas que funciona ainda de forma mais eficiente se utilizada no meio digital, em aplicativos ou no Excel, por exemplo.

Mas quais as vantagens de ter uma planilha orçamento familiar?

As principais vantagens mais evidentes de ter uma planilha de gastos ou uma planilha orçamento familiar são poder manter as contas em dia e não entrar em dívidas maiores do que se pode pagar. Como consequência, fica mais fácil manter o nome limpo e o score alto.

Leia também | Estou negativado. Como conseguir empréstimo com nome sujo?

Ao utilizar esse recurso, você visualiza todos os seus gastos, até mesmo os menores, que “nem entravam na conta”. Este é, inclusive, um erro muito comum que acontece com quem não faz um controle de gastos por meio de uma planilha.

Absolutamente tudo que gastamos deve ser contabilizado: do cafezinho depois do almoço ao aluguel, todos os gastos precisam ser contemplados para que sua planilha reflita o máximo da realidade possível.

Planilha de orçamento pessoal e planilha de orçamento familiar: tem diferença?

Existe sim uma diferença entre planilha orçamento pessoal e planilha de orçamento familiar. A primeira é individualizada, atende apenas uma pessoa. Já a segunda se refere a uma família e todos os membros dessa família devem ser considerados na tabela.

Por exemplo, em uma casa onde há dois moradores adultos, com renda, e uma criança, que não possui renda, a conta deve englobar as três pessoas, a renda de cada morador, as despesas fixas e variáveis da casa, os gastos com o menor de idade. É como se fossem três planilhas de orçamento pessoal para compor uma planilha de orçamento familiar.

De forma geral, é um pouco mais complicado administrar uma planilha de orçamento familiar, já que envolve mais pessoas e mais custos. Mas o funcionamento é o mesmo e o principal é alimentar a tabela frequentemente, para que ela esteja sempre atualizada.

Como montar uma planilha de orçamento familiar?

Você pode construir sua própria planilha de orçamento familiar do zero, caso tenha facilidade em trabalhar no Excel. Mas saiba que isso não é necessário.

Na internet, existe na internet uma infinidade de modelos de planilhas e tabelas que você pode baixar gratuitamente e adaptar à sua realidade. É muito mais fácil editar uma tabela, incluindo e excluindo itens, do que montar uma do zero.

Basicamente, sua planilha de orçamento familiar deve contemplar os seguintes itens:

1. Receita

Tudo o que entra de dinheiro na sua conta bancária. Se é assalariado ou autônomo, qual o valor líquido do seu salário? Você possui imóveis alugados que te geram renda? Você faz trabalhos extras que também trazem entrada de dinheiro ao seu orçamento? Coloque o total líquido da sua receita.

2. Gastos fixos e gastos variáveis

Essa parte é muito importante e deve ser bem detalhada. Absolutamente todo e qualquer custo deve aparecer na planilha. Os gastos fixos são aqueles que ocorrem todos os meses, com valores previsíveis e sem muita oscilação, como aluguel, conta de água, de telefone e de energia.

Já os gastos variáveis incluem as despesas que ocorrem de vez em quando, como jantar fora, compras no shopping, idas ao cinema, compra de presentes.

Dentro de cada um desses dois blocos é possível setorizar os gastos. Exemplo: moradia, transporte, supermercado, farmácia/saúde, alimentação, lazer.

3. Quantia para poupar e investir

Quando se inclui este tópico na planilha fica mais difícil “esquecer” da importância de reservar uma parte do seu orçamento para poupar e investir. Guardar uma quantia todos os meses, por menor que seja, pode ser muito útil na hora de uma emergência.

O bacana da planilha de orçamento familiar ou pessoal é que ao alimentá-la com todos esses dados, você consegue enxergar a real situação das suas contas e até mesmo prever quanto terá economizado se mantiver os gastos equilibrados. Este recurso é muito importante para manter a sua saúde financeira e, consequentemente, seu score alto – afinal, a sua pontuação de crédito é um reflexo da sua situação financeira atual.

Gostou deste conteúdo? No blog do Serasa Score, você pode conferir mais informações exclusivas e tirar suas dúvidas sobre como os seus hábitos financeiros influenciam sua pontuação de crédito. Acesse!