Entrar

Desafio 52 semanas: o desafio de economia fácil de cumprir!

O Desafio 52 semanas é um dos melhores e mais eficientes métodos para manter a disciplina na economia durante o ano todo

colunista Fabiana Ramos
Publicado em: 26 de abril de 2022.

O Desafio 52 semanas é um dos melhores e mais eficientes métodos para manter a disciplina na economia durante o ano todo

Se uma das suas dificuldades é economizar dinheiro para a realização de um sonho ou para comprar algo que já está de olho há algum tempo, queremos te apresentar um método famoso e eficaz que promete te ajudar a poupar de forma disciplinada: o Desafio 52 semanas!

Talvez você já tenha ouvido falar dele, mas não sabe ao certo como fazer; talvez o nome seja completamente desconhecido… mas não se preocupe. Continue a sua leitura que iremos explicar exatamente como funciona este desafio.

Desafio 52 semanas: o que é?

Tal como o nome indica, o desafio de 52 semanas é um método de economia que dura um ano (não sei se você sabe, mas um ano tem exatamente 52 semanas!).

A ideia é que, durante um ano inteiro, você consiga separar uma determinada quantia todas as semanas, sendo que, a cada semana passada, o valor da poupança aumenta. Então, por exemplo, você pode começar a primeira semana poupando R$ 5. Na segunda semana, o valor poupado passa para R$ 10. Na terceira semana, R$ 15, e assim por diante.

Aumentando R$5 reais a cada semana, você conseguirá juntar, ao final do desafio, R$ 6.890 em sua conta.

Se você considerar o valor semanal alto, pode começar com quantias menores.

Por exemplo, se você começar com R$ 1 real na primeira semana, terá que guardar R$ 2 na segunda semana e, assim, sucessivamente, fechando o ano com cerca de R$ 1.378.

Se considerar o valor baixo, sendo capaz de juntar mais, poderá começar com R$ 10, e terminará o ano com R$ 13.780.

Ou seja, o valor é definido por você, e deve ser pensado levando-se em consideração a sua realidade. O que não vale é estipular um valor muito alto que o impossibilite de continuar o desafio depois de algumas semanas, fazendo-o desistir. Mas também esse valor não deve ser muito baixo, afinal de contas, nada que é muito fácil pode ser chamado de “desafio”.

Como fazer o Desafio das 52 semanas?

Como esta é uma estratégia que tem a duração de um ano inteiro, o ideal é não confiar na própria memória e ter um meio de controle para te ajudar. Existem muitas tabelas que cumprem muito bem o papel de te auxiliar na sua organização e de manter o desafio em dia. Você mesmo pode produzir uma em um caderno ou escolher entre as várias planilhas disponíveis na internet.

Ela será semelhante a um modelo como esse:

banner-teste

Para quem não é muito fã de papel e caneta, ou mesmo de planilhas em Excel, existe também o App Desafio 52 semanas (IOS e Android), que atende perfeitamente aos mais tecnológicos.

No aplicativo gratuito, além de você definir o valor com que se vai começar a poupar, é possível também definir diversos desafios de forma simultânea. Ao longo do ano, o aplicativo vai enviando notificações para te lembrar de seguir com o seu objetivo.

Mas não pense que pelo fato do método ser extremamente simples que ele não é eficaz. Muito pelo contrário! Na verdade, o Desafio 52 de semanas é excelente para guardar uma boa quantia até o final do ano, mas essa não é a sua principal vantagem.

A ideia é justamente construir em você um dos hábitos mais desafiadores de todo investidor: a disciplina em juntar dinheiro. E, por isso, é fundamental manter a constância na manutenção da poupança semanal. Somente com muita disciplina e perserverança é que conseguimos atingir os nossos objetivos!

Se por um lado as primeiras semanas são bem fáceis e passam sem grande esforço, as últimas semanas já vão necessitar de muita dedicação e força de vontade, pelo fato de exigirem uma poupança maior.

Assista | PLANILHA DE GASTOS: como fazer seu controle financeiro

Como economizar para poder cumprir o desafio

Com a inflação subindo assustadoramente no mundo inteiro, uma dúvida comum a todas ou a quase todas as pessoas é: como economizar no dia a dia?

A primeira dica parece óbvia, mas quem não sabe para onde o dinheiro vai, não saberá também onde poderá cortar os gastos. Então, ter um controle financeiro é fundamental, pois ele servirá de bússola, nos indicando para onde o dinheiro está indo, e, claro, nos permitindo identificar os “ralos financeiros” que existem no nosso orçamento, fazendo o dinheiro desaparecer!

Uma tabela financeira é uma ótima ferramenta que nos ajuda no planejamento do orçamento mensal, permitindo ter clareza do quanto se ganha por mês, quanto deveria gastar para não extrapolar o orçamento e o quanto consegue guardar para atingir os objetivos.

Fora isso, é necessário também fazer a nossa parte: apagar as luzes da casa, diminuir o tempo no banho, evitar parcelamentos longos, diminuir a quantidade de assinaturas (seja de televisão, revistas, academia, aplicativos), não pagar contas com atraso (para evitar o pagamento de juros), não pagar o mínimo na fatura do cartão de crédito, estipular uma verba máxima para lazer e compras de vestuário, estabelecer teto de gastos em categorias como moradia, alimentação, educação, transporte, etc.

Todas essas são medidas que nos ajudarão a economizar no dia a dia!

Um desafio que se torna uma brincadeira

Esse é um ótimo método também para ensinar as crianças a lidarem com dinheiro, introduzindo desde já o assunto da educação financeira para elas.

Se a sua criança já recebe semanada ou mesada, adapte os valores para a quantia que ela dispõe e peça a sua companhia para fazerem juntos o desafio.

Não deixe esse dinheiro parado nem na conta nem no cofrinho!

Dinheiro parado é dinheiro perdido! Principalmente com a inflação que estamos tendo nos últimos meses. Portanto, a melhor forma de fazer o dinheiro crescer é investi-lo!

Pense bem: se por um lado estamos vendo no Brasil uma taxa de juros (a taxa Selic) que não para de crescer, encarecendo os empréstimos e os financiamentos de bens e serviços, por outro lado, uma taxa de juros alta beneficia os investimentos em renda fixa, aumentando a rentabilidade deles.

Investir na caderneta de poupança é uma boa saída? Definitivamente não! Mas um investimento que é seguro e tem sido muito beneficiado com essa alta dos juros é o título público do Tesouro Selic. Como é um título que acompanha a Selic, todas as vezes que a taxa Selic sobe, a rentabilidade do título sobe também. Toda vez que a taxa Selic desce, a rentabilidade do título também diminui.

Além da boa rentabilidade que vem apresentando nos últimos meses (aproveitando toda a alta da taxa Selic), o título do Tesouro Selic é o investimento mais seguro do país, uma vez que ele tem a garantia do Governo Federal.

Gostou do desafio? Já conhecia? Para te ajudar ainda mais, a Serasa preparou o Trilha Financeira, um curso de organização financeira completo e totalmente gratuito que vai te ajudar a controlar o orçamento, economizar, sair das dívidas e realizar os seus sonhos de consumo!