Entrar

O que é crédito imobiliário? Vale a pena contratar?

Você tem dúvidas sobre o que é crédito imobiliário e se vale a pena contratar essa linha de crédito para adquirir um imóvel? Entenda.

Foto elaine ortiz
Publicado em: 27 de janeiro de 2022.

Você já se perguntou o que é crédito imobiliário, como funciona e o que fazer para ter acesso a esse recurso? Já considerou contratar o empréstimo para adquirir um imóvel ou implementar melhorias na casa que já possui? Continue a leitura porque vamos explicar, em detalhes, essas e outras dúvidas em relação ao crédito imobiliário.

Mas, afinal, o que é crédito imobiliário?

Se você quer saber o que significa crédito imobiliário ao pé da letra, eis uma definição: crédito imobiliário é uma linha de crédito oferecida por instituições financeiras para a compra, construção ou reforma de imóveis, para moradia ou para comércio. É também conhecido como financiamento imobiliário.

No entanto, há também o crédito que você consegue por meio de um imóvel. Por exemplo, quando contrata um crédito com garantia de imóvel. E essa modalidade também pode ser considerada um crédito imobiliário. A diferença, no entanto, é que o dinheiro emprestado pode ser utilizado para qualquer fim, já que o imóvel que você já possui está como garantia que o valor emprestado será pago.

Neste texto, vamos considerar o crédito imobiliário como sinônimo de financiamento imobiliário, já que no dia a dia as pessoas utilizam os termos para se referirem à mesma coisa: um empréstimo para adquirir um imóvel.

Como funciona o crédito imobiliário?

Parece complicado entender como funciona crédito imobiliário, mas as instituições financeiras que oferecem este tipo de produto aos clientes costumam ser claras na explicação, fornecendo um passo a passo para que o cliente interessado em adquirir o crédito tenha visibilidade de todas as etapas do processo.

Primeiro, para conseguir ter acesso a essa linha de crédito, é necessário ser maior de 18 anos, ter comprovação de renda e não ter restrições junto a entidades financeiras. Isto é, seu nome precisa estar limpo.

Nos casos de financiamento de um imóvel, o primeiro passo é justamente uma análise criteriosa do comprador que irá financiar o bem. Isso porque o banco precisa se certificar da capacidade de pagamento da dívida.

Após aprovar o crédito, os bancos partem para outra análise muito criteriosa: a do bem que será financiado. Para isso, exigem uma série de documentos sobre o imóvel e sobre o vendedor. Afinal, este imóvel ficará em posse do banco, alienado ao contrato, até a quitação completa da dívida (muitas vezes por prazos de até 35 anos).

Como são muitos documentos, a análise de todo o material leva um certo tempo. E o banco só liberará o crédito se todas as documentações estiverem em ordem, sem processos, sem dívidas.

Com a documentação ok, o próximo passo é o banco pagar ao vendedor o valor negociado. A partir deste momento, o comprador deverá pagar ao banco uma mensalidade, com uma taxa de juros pré-estabelecida. E vale dizer que tudo isso é registrado também em cartório.

O valor mensal e o período determinado em contrato para quitação variam de acordo com o total do financiamento, com a instituição e com a escolha do comprador.

E nas parcelas do financiamento estão embutidas, além da amortização (que é o pagamento do dinheiro emprestado pela instituição financeira), juros, seguro de vida e invalidez permanente, seguro de danos físicos ao imóvel e taxas administrativas.

As principais formas de pagar o valor da mensalidade são o Sistema de Amortização Constante (SAC), o Sistema Francês de Amortização, também conhecido como Tabela PRICE, e o Sistema de Amortização Crescente (SACRE).

No SAC, as parcelas são decrescentes e o saldo devedor diminui fixamente a cada pagamento. Na tabela PRICE as parcelas são fixas, mesmo com o valor da amortização aumentando e as taxas diminuindo. Já no SACRE as parcelas aumentam de acordo com o tempo de financiamento.

Basicamente, é assim que funciona o financiamento imobiliário.

Leia também | Qual score é bom para financiamento?

Quais os sistemas de financiamento imobiliário que existem?

Existem dois modelos de financiamento imobiliário: o Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

O SFH tem o valor máximo estipulado em 90% do preço do imóvel e a prestação só poderá comprometer até 30% da renda mensal do cliente. Este modelo só pode ser oferecido para pessoa física. O prazo para pagamento não poderá passar de 420 meses, ou seja, 35 anos. As parcelas são formadas pelo valor mensal do financiamento mais as taxas de juros e a TR (Taxa Referencial).

Existe também o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), que pode ser oferecido para pessoas físicas ou jurídicas. O crédito varia entre 80 a 90% do preço total do imóvel e o prazo para pagamento também é de 35 anos, mas os juros costumam ser mais altos que as outras modalidades.

Quais as vantagens e desvantagens de se fazer um crédito imobiliário?

A principal vantagem de fazer um crédito imobiliário para adquirir sua moradia é poder utilizar imediatamente a propriedade, mesmo sem ter o valor total que deverá ser pago pelo imóvel.

Por outro lado, para muitas pessoas, fazer uma dívida tão alta, por um prazo tão longo, não é a escolha mais interessante. Educadores financeiros e especialistas em finanças costumam defender o aluguel como uma opção mais vantajosa. Aqui, discutimos melhor a respeito dessa questão. Clique e leia para saber o que compensa mais: alugar ou comprar um imóvel.

E se você entender que financiamento não é a melhor ideia para você, mas quiser ter acesso a um empréstimo de qualidade, com taxas de juros justas, muitas vezes para fazer melhorias na moradia, mesmo sendo alugada, ou para qualquer outro fim, você pode fazer uma simulação online de empréstimo utilizando o Serasa eCred, serviço de crédito da Serasa.

Trata-se de uma ferramenta na qual você encontra, de forma rápida e prática, ofertas de empréstimo e também de cartão de crédito. Basta preencher com seus dados que o sistema fará a busca, apresentando todas as opções de empréstimo disponíveis para seu CPF.

Depois, basta analisar as condições, selecionar o que melhor se encaixar na sua vida, e contratar imediatamente. Simples, não?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o que é crédito imobiliário e até aprendeu a fazer uma simulação no Serasa eCred, continue acompanhando os conteúdos do blog da Serasa para tomar as melhores decisões quando o assunto for dinheiro